Me­nos pro­tes­to, mais mo­de­ra­ção e com­pro­mis­so

Pa­ra o po­li­tó­lo­go An­dré Frei­re, o Blo­co pas­sou da sim­ples con­tes­ta­ção pa­ra a obri­ga­ção de es­ta­be­le­cer “pon­tos de en­con­tro” e de fa­zer “ce­dên­ci­as”

Edição Público Porto - - DESTAQUE - Ma­ria João Lo­pes

Do “pon­to de vis­ta da iden­ti­da­de pro­gra­má­ti­ca”, o po­li­tó­lo­go An­dré Frei­re não vê “gran­des al­te­ra­ções” no Blo­co de Es­quer­da por apoi­ar ago­ra uma so­lu­ção de go­ver­no, quan­do an­tes o par­ti­do se si­tu­a­va so­bre­tu­do na opo­si­ção, no pro­tes­to, na con­tes­ta­ção. Não vê al­te­ra­ções nes­se cam­po, mas vê nou­tros: na “prá­ti­ca po­lí­ti­ca”, na dis­po­ni­bi­li­da­de pa­ra o com­pro­mis­so, no “es­ti­lo de ac­tu­a­ção”.

“Do pon­to de vis­ta da iden­ti­da­de pro­gra­má­ti­ca, não há gran­des al­te­ra­ções. O que há é em ter­mos de prá­ti­ca po­lí­ti­ca. Pre­ci­sa de ge­rir a agen­da em fun­ção dos com­pro­mis­sos, mas a iden­ti­da­de pro­gra­má­ti­ca per­ma­ne­ce. Era um par­ti­do mais de pro­tes­to e, des­se pon­to de vis­ta, há uma al­te­ra­ção de iden­ti­da­de, por­que pas­sa a es­tar mais dis­po­ní­vel pa­ra com­pro­mis­sos”, diz An­dré Frei­re que vê, po­rém, “es­sa al­te­ra­ção co­mo po­si­ti­va”. Porquê? “Não re­pre­sen­ta uma al­te­ra­ção da iden­ti­da­de pro­gra­má­ti­ca, mas de iden­ti­da­de de ac­tu­a­ção, em ter­mos de es­ti­lo de ac­tu­a­ção. Era um par­ti­do mais de con­tes­ta­ção e ago­ra es­tá mais apos­ta­do em en­con­trar pon­tos de en­con­tro e mais dis­po­ní­vel pa­ra fa­zer ce­dên­ci­as”, no­ta.

Foi um par­ti­do, re­cor­da o do­cen­te uni­ver­si­tá­rio e in­ves­ti­ga­dor do Ins­ti­tu­to de Ci­ên­ci­as So­ci­ais, que so­freu “flu­tu­a­ções” ao lon­go dos tem­pos, mas que, se co­me­çou por ser pe­que­no, aca­bou por con­se­guir afir­mar-se até che­gar à ac­tu­al ban­ca­da par­la­men­tar. “Con­so­li­dou-se à vol­ta de um re­sul­ta­do bas­tan­te

mais subs­tan­ci­al do pon­to de vis­ta nu­mé­ri­co”, ar­gu­men­ta o po­li­tó­lo­go. Su­bli­nha que, “mes­mo não es­tan­do no Go­ver­no”, o BE tem uma “pro­xi­mi­da­de com o po­der”, atra­vés do acor­do as­si­na­do em 2015 com o exe­cu­ti­vo do PS, que lhe dá “uma in­fluên­cia na fei­tu­ra de po­lí­ti­cas pú­bli­cas” que “nun­ca” ti­nha ti­do.

O ac­tu­al ce­ná­rio po­lí­ti­co, con­ti­nua An­dré Frei­re, deu aos par­ti­dos que apoi­am a so­lu­ção go­ver­na­ti­va, BE e PCP, uma “mai­or dis­po­ni­bi­li­da­de pa­ra o com­pro­mis­so e mo­de­ra­ção po­lí­ti­ca”, pro­van­do que fo­ram “ca­pa­zes de su­bal­ter­ni­zar as di­fe­ren­ças” e ele­ger as “ques­tões mais re­le­van­tes” da agen­da po­lí­ti­ca. “Es­tes par­ti­dos fi­cam mais dis­po­ní­veis pa­ra ali­an­ças no que is­so sig­ni­fi­ca pa­ra ce­dên­ci­as mú­tu­as, no­me­a­da­men­te na agen­da eu­ro­peia, por exem­plo”, acres­cen­ta o do­cen­te.

Es­sa ne­go­ci­a­ção per­ma­nen­te per­mi­tiu aos so­ci­a­lis­tas ga­ran­ti­rem os com­pro­mis­sos eu­ro­peus e aos par­ti­dos mais à es­quer­da ace­le­ra­rem a re­po­si­ção de ren­di­men­tos que ti­nham si­do cor­ta­dos, co­mo su­bli­nha o po­li­tó­lo­go: “Os com­pro­mis­sos in­ter­na­ci­o­nais fo­ram cum­pri­dos, o que era o pon­to-cha­ve pa­ra o PS. Mas, ao mes­mo tem­po, es­tes par­ti­dos tam­bém fi­ze­ram vin­gar a sua voz. Fo­ram re­cu­pe­ra­dos cor­tes de uma for­ma mais rá­pi­da do que o PS pro­pu­nha. E is­so é, em gran­de par­te, a in­fluên­cia da es­quer­da ra­di­cal no PS.”

Pa­ra An­dré Frei­re, o ba­lan­ço é po­si­ti­vo pa­ra es­tes par­ti­dos, mas não só — o pró­prio po­der e sis­te­ma po­lí­ti­cos be­ne­fi­ci­a­ram com es­ta cor­re­la­ção de for­ças: “[A so­lu­ção go­ver­na­ti­va] é be­né­fi­ca pa­ra o sis­te­ma, por­que traz mais in­clu­si­vi­da­de e ino­va­ção. Es­tes par­ti­dos es­ta­vam fo­ra da es­fe­ra go­ver­na­ti­va. E é mais ino­va­do­ra, por­que es­ta so­lu­ção nun­ca ti­nha si­do ex­pe­ri­men­ta­da e, até ago­ra, fun­ci­o­nou mui­to bem, do pon­to de vis­ta da es­ta­bi­li­da­de do sis­te­ma e do Go­ver­no.”

MI­GUEL MANSO

An­dré Frei­re é in­ves­ti­ga­dor em Ci­ên­cia Po­lí­ti­ca

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.