Ins­ti­tui­ções que­rem mais apoio do Es­ta­do à pro­mo­ção ex­ter­na

Edição Público Porto - - SOCIEDADE - Sa­mu­el Sil­va

As uni­ver­si­da­des e os ins­ti­tu­tos po­li­téc­ni­cos que­rem que o Es­ta­do aju­de a fi­nan­ci­ar as su­as ini­ci­a­ti­vas de pro­mo­ção do en­si­no su­pe­ri­or na­ci­o­nal no ex­te­ri­or, com as quais têm atraí­do um nú­me­ro cres­cen­te de es­tu­dan­tes es­tran­gei­ros (ver tex­to ao la­do). A re­de de em­bai­xa­das e con­su­la­dos tem tam­bém um pa­pel fun­da­men­tal a de­sem­pe­nhar, de­fen­dem as ins­ti­tui­ções.

“Não po­de­mos ser ape­nas nós a fi­nan­ci­ar es­tas ope­ra­ções”, entende o pre­si­den­te do Con­se­lho de Rei­to­res das Uni­ver­si­da­des Por­tu­gue­sas (CRUP), An­tó­nio Fon­tai­nhas Fer­nan­des. “Es­ta­mos a di­vul­gar uma mar­ca, que é Por­tu­gal”, acres­cen­ta o mes­mo res­pon­sá­vel, elen­can­do os efei­tos po­si­ti­vos que a cap­ta­ção de alu­nos in­ter­na­ci­o­nais tem pa­ra o país, se­ja a en­tra­da de di­vi­sas, bem co­mo efei­tos in­di­rec­tos co­mo as vi­si­tas de fa­mi­li­a­res e ami­gos dos es­tu­dan­tes ou um con­jun­to de ne­gó­ci­os vo­ca­ci­o­na­dos pa­ra apoi­ar os es­tran­gei­ros que têm nas­ci­do nas ci­da­des que têm en­si­no su­pe­ri­or.

O mai­or en­vol­vi­men­to do Es­ta­do na pro­mo­ção in­ter­na­ci­o­nal do en­si­no su­pe­ri­or não de­ve pas­sar ape­nas pe­lo fi­nan­ci­a­men­to, diz o pre­si­den­te do Con­se­lho Co­or­de­na­dor dos Ins­ti­tu­tos Su­pe­ri­o­res Po­li­téc­ni­cos (CCISP), Pe­dro Do­min­gui­nhos. Tam­bém é ne­ces­sá­rio ga­ran­tir um re­for­ço da ar­ti­cu­la­ção en­tre as uni­ver­si­da­des e po­li­téc­ni­cos e a re­de de con­su­la­dos e em­bai­xa­das “é fun­da­men­tal”.

Em 2016, as ins­ti­tui­ções de en­si­no su­pe­ri­or pú­bli­co ga­ran­ti­ram um fi­nan­ci­a­men­to de 8 mi­lhões de eu­ros de fun­dos co­mu­ni­tá­ri­os, cap­ta­dos atra­vés do pro­gra­ma Com­pe­te, pa­ra di­vul­gar in­ter­na­ci­o­nal­men­te Por­tu­gal en­quan­to des­ti­no pa­ra es­tu­dar.

O pro­jec­to ter­mi­nou for­mal­men­te em Ju­nho e, com ele, tam­bém o fi­nan­ci­a­men­to. A pre­sen­ça em fei­ras in­ter­na­ci­o­nais de en­si­no tem, des­de en­tão, si­do fi­nan­ci­a­da di­rec­ta­men­te pe­las ins­ti­tui­ções.

Uni­ver­si­da­des e po­li­téc­ni­cos têm até ao fi­nal do ano pa­ra en­tre­gar os res­pec­ti­vos re­la­tó­ri­os de ava­li­a­ção das ini­ci­a­ti­vas apoi­a­das pe­lo Com­pe­te. As ins­ti­tui­ções pro­pu­nham-se a atrair mais 3000 es­tu­dan­tes nos três anos se­guin­tes. A mar­ca foi atin­gi­da ao fim de ape­nas um ano. O que quer di­zer que, até ao fi­nal do pro­jec­to, o ob­jec­ti­vo ini­ci­al “se­rá mul­ti­pli­ca­do por três ou qua­tro ve­zes”, su­bli­nha Pe­dro Do­min­gui­nhos.

Pa­ra o pre­si­den­te do CCISP, o su­ces­so das ini­ci­a­ti­vas de pro­mo­ção de Por­tu­gal co­mo des­ti­no pa­ra es­tu­dar vai pa­ra além dos nú­me­ros. Es­ta per­mi­tiu às ins­ti­tui­ções uma “fo­ca­gem” nos mer­ca­dos on­de o país con­se­gue ter mais su­ces­so; uma apos­ta mais cons­tan­te em fei­ras in­ter­na­ci­o­nais; bem co­mo um au­men­to do nú­me­ro de cur­sos em par­ce­ria com ins­ti­tui­ções es­tran­gei­ras.

As es­tra­té­gi­as co­muns pu­se­ram fim a uma prá­ti­ca em que ca­da uni­ver­si­da­de ou po­li­téc­ni­co de­ci­dia in­di­vi­du­al­men­te a sua es­tra­té­gia pa­ra a pro­mo­ção in­ter­na­ci­o­nal pe­lo que, em vá­ri­as fei­ras in­ter­na­ci­o­nais de en­si­no po­di­am en­con­trar-se stands de di­fe­ren­tes ins­ti­tui­ções por­tu­gue­sas. As ins­ti­tui­ções não per­de­ram au­to­no­mia pa­ra man­ter as su­as pró­pri­as ac­ções de di­vul­ga­ção, com es­ta es­tra­té­gia con­cer­ta­da ape­nas ha­ve­rá du­as re­pre­sen­ta­ções na­ci­o­nais em even­tos des­se ti­po: uma do sub­sec­tor uni­ver­si­tá­rio, ou­tra dos po­li­téc­ni­cos.

Os fun­dos co­mu­ni­tá­ri­os fo­ram usa­dos pa­ra fi­nan­ci­ar a pre­sen­ça em fei­ras, a apos­ta na di­vul­ga­ção em di­fe­ren­tes pla­ta­for­mas de co­mu­ni­ca­ção, as ini­ci­a­ti­vas que le­va­ram ao es­ta­be­le­ci­men­to de pro­to­co­los de co­la­bo­ra­ção com ou­tras ins­ti­tui­ções de en­si­no su­pe­ri­or, câ­ma­ras de co­mér­cio e as­so­ci­a­ções em­pre­sa­ri­ais.

Apoio do Es­ta­do não de­ve ser ape­nas fi­nan­cei­ro, diz Pe­dro Do­min­gui­nhos, do CCISP

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.