As ban­dei­ras de Rui Rio: dos dez mil eu­ros por be­bé ao re­for­ço das re­si­dên­ci­as uni­ver­si­tá­ri­as

Edição Público Porto - - DESTAQUE - Só­nia Sa­pa­ge so­nia.sa­pa­[email protected]­bli­co.pt

Opri­mei­ro do­cu­men­to es­tra­té­gi­co que a equi­pa de Rui Rio apre­sen­tou foi so­bre na­ta­li­da­de, em Ju­nho do ano pas­sa­do, qua­tro me­ses de­pois de o lí­der ter to­ma­do pos­se. O úl­ti­mo, so­bre en­si­no su­pe­ri­or, foi já es­te ano, di­as an­tes de Rio ter si­do de­sa­fi­a­do a mar­car elei­ções di­rec­tas.

Na­ta­li­da­de

Foi no Por­to, a 4 de Ju­nho do ano pas­sa­do, que Rui Rio apre­sen­tou um pro­gra­ma de 100 pá­gi­nas de­sig­na­do “uma po­lí­ti­ca pa­ra a in­fân­cia” e des­ti­na­do a “es­tan­car a he­mor­ra­gia de­mo­grá­fi­ca” que o país atra­ves­sa. En­tre as pro­pos­tas apre­sen­ta­das es­ta­va a cri­a­ção de um apoio pa­ra os fi­lhos até aos 18 anos, em subs­ti­tui­ção do abo­no de fa­mí­lia (que to­ta­li­za­ria dez mil eu­ros pa­gos fa­se­a­da­men­te); cre­ches gra­tui­tas a par­tir dos seis me­ses de vi­da; en­si­no pré-es­co­lar tam­bém gra­tui­to; e um sub­sí­dio de 428,90 eu­ros pa­go a to­das as grá­vi­das até ao sé­ti­mo mês de gra­vi­dez. Fei­tas as contas, es­te pa­co­te cus­ta­ria “por ano ao Or­ça­men­to do Es­ta­do en­tre 400 e 500 mi­lhões de eu­ros”, ex­pli­cou Rio.

Jus­ti­ça

Em Ou­tu­bro, o Ex­pres­so no­ti­ci­ou que o PSD fez che­gar aos res­tan­tes par­ti­dos 51 pá­gi­nas com pro­pos­tas na área da Jus­ti­ça, com vis­ta à as­si­na­tu­ra de um pac­to. De acor­do com o jor­nal, o par­ti­do que­ria “me­xer na com­po­si­ção de conselhos su­pe­ri­o­res, re­du­zir cus­tas” e re­mu­ne­rar os ma­gis­tra­dos “de acor­do com a sua pro­du­ti­vi­da­de”. A mu­dan­ça na com­po­si­ção dos conselhos su­pe­ri­o­res foi a pro­pos­ta que ge­rou mais crí­ti­cas. Após a en­tre­ga do do­cu­men­to, o Go­ver­no quis ou­vir os par­ti­dos so­bre um even­tu­al pac­to, mas das reu­niões não saiu ne­nhum con­sen­so.

Or­ça­men­to

Em No­vem­bro, mais de uma cen­te­na de pro­pos­tas de al­te­ra­ção ao OE fo­ram en­tre­gues no Par­la­men­to — e 13 fo­ram apro­va­das pe­los deputados em vo­ta­ção fi­nal glo­bal. Dois exem­plos: a não-ac­tu­a­li­za­ção do va­lor das cus­tas pro­ces­su­ais e a eli­mi­na­ção da au­to­ri­za­ção legislativa pa­ra a cri­a­ção da con­tri­bui­ção municipal de pro­tec­ção ci­vil. Es­ta úl­ti­ma me­di­da foi apro­va­da na sequên­cia de uma co­li­ga­ção ne­ga­ti­va que go­rou um ob­jec­ti­vo do Go­ver­no.

Fun­dos co­mu­ni­tá­ri­os

Já em De­zem­bro, o Con­se­lho Es­tra­té­gi­co propôs um pa­co­te de me­di­das na área dos fun­dos co­mu­ni­tá­ri­os. No do­cu­men­to ini­ci­al, o PSD che­gou a de­fen­der a in­tro­du­ção da “fi­gu­ra da de­la­ção premiada” pa­ra re­for­çar o com­ba­te à cor­rup­ção, mas aca­bou por re­cu­ar e a ideia já não in­te­grou o tex­to fi­nal. O par­ti­do pro­pu­nha ain­da um “sis­te­ma an­ti­frau­de eu­ro­peu, as­sen­te no de­sen­vol­vi­men­to (...) de me­ca­nis­mos elec­tró­ni­cos de sub­mis­são de quei­xas pe­los ci­da­dãos”.

Ha­bi­ta­ção e ar­ren­da­men­to

Ain­da an­tes de o Par­la­men­to in­ter­rom­per pa­ra as fé­ri­as do Na­tal, o PSD apre­sen­tou dez pro­pos­tas de in­cen­ti­vo ao ar­ren­da­men­to ur­ba­no. En­tre as me­di­das es­ta­vam qua­tro que o PS aca­bou por apro­var na ge­ne­ra­li­da­de (co­mo a al­te­ra­ção da ta­xa es­pe­ci­al dos ren­di­men­tos pre­di­ais, atri­buin­do be­ne­fí­ci­os fis­cais no IRS aos se­nho­ri­os con­so­an­te a du­ra­ção dos con­tra­tos).

Saú­de

Já em Ja­nei­ro, foi apre­sen­ta­da a Lei de Ba­ses da Saú­de do PSD que pro­põe a co­o­pe­ra­ção en­tre os vá­ri­os sec­to­res da saú­de, pre­vê a exis­tên­cia de par­ce­ri­as pú­bli­co-pri­va­das e a ma­nu­ten­ção de ta­xas mo­de­ra­do­ras e de­fen­de que o Go­ver­no pos­sa es­ta­be­le­cer in­cen­ti­vos à cri­a­ção de uni­da­des pri­va­das e ao es­ta­be­le­ci­men­to de se­gu­ros pri­va­dos de saú­de.

En­si­no su­pe­ri­or

Fi­nal­men­te, pou­co an­tes de se instalar a cri­se no par­ti­do, o PSD apre­sen­tou um do­cu­men­to que pre­ten­de ser “uma es­tra­té­gia pa­ra a dé­ca­da” e cu­jas li­nhas ge­rais já eram co­nhe­ci­das des­de Ou­tu­bro. A du­pli­ca­ção das re­si­dên­ci­as uni­ver­si­tá­ri­as, o au­men­to das bol­sas de es­tu­do, a atrac­ção de mais alu­nos pa­ra ins­ti­tui­ções de en­si­no su­pe­ri­or do in­te­ri­or e de gru­pos so­ci­o­e­co­nó­mi­cos ac­tu­al­men­te sub-re­pre­sen­ta­dos são al­gu­mas das pro­pos­tas de­fen­di­das.

Atra­vés do con­se­lho es­tra­té­gi­co ou do gru­po parlamentar, o lí­der do PSD foi apre­sen­tan­do as su­as idei­as

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.