MANOS THE HANDS OF FATE

GQ (Portugal) - - Culto -

Não que­ren­do afron­tar a me­mó­ria do enor­me Ed Wo­od, es­te se­rá, mui­to pos­si­vel­men­te, o fil­me mais naïf ja­mais fei­to. Hal War­ren, um ven­de­dor de fer­ti­li­zan­tes nor­te-ame­ri­ca­no, apos­tou com um ar­gu­men­tis­ta que era ca­paz de fa­zer um fil­me de ter­ror pra­ti­ca­men­te sem di­nhei­ro. Pe­gou em 19 mil dó­la­res e fez es­te Manos, que con­ta a his­tó­ria de uma fa­mí­lia que se per­de

en­quan­to pro­cu­ra um ho­tel pa­ra pas­sar fé­ri­as. Nes­se ho­tel, vai co­nhe­cer uma es­pé­cie de de­mó­nio, o mestre de um cul­to pa­gão,

que vai que­rer jun­tar Mar­ga­ret, a mu­lher do ca­sal, à sua co­le­ção de es­po­sas. En­tre vá­ri­as ma­ra­vi­lhas, Manos, es­cri­to, re­a­li­za­do e pro­ta­go­ni­za­do por Hal War­ren, te­ve ain­da de ser do­bra­do, ten­do si­do usa­dos ape­nas três ou qua­tro ato­res pa­ra do­brar tu­do. Há ain­da um ca­sal a beijar-se e a be­ber num car­ro du­ran­te to­do o fil­me, mas não tem li­ga­ção apa­ren­te nem com o en­re­do, nem com ne­nhu­ma das ou­tras per­so­na­gens. O que im­por­ta é apa­re­cer.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.