SIM OS HO­MENS USAM MAQUILHAGE­M

Em 2018, fa­lá­mos pe­los co­to­ve­los so­bre maquilhage­m pa­ra ho­mens. E, em 2019, com ca­da vez mais mar­cas a lan­ça­rem li­nhas ex­clu­si­vas pa­ra o pú­bli­co mas­cu­li­no, não es­ta­mos a pen­sar pa­rar.

GQ (Portugal) - - CORPO | MAQUILHAGE­M - Por Be­a­triz Teixeira

Fa­la­mos, mais do que nun­ca, so­bre co­mo a mas­cu­li­ni­da­de é um con­cei­to ver­sá­til e não tão fe­cha­do e tó­xi­co quan­to pen­sá­va­mos. Fa­la­mos, mais do que nun­ca, de in­clu­são, igual­da­de e flui­dez de gé­ne­ro. E fa­la­mos, mais do que nun­ca, de maquilhage­m pa­ra to­dos, pa­ra elas, pa­ra eles, pa­ra quem quei­ra. Não que as em­ba­la­gens de maquilhage­m ti­ves­sem gé­ne­ro (os egíp­ci­os sem­pre a ado­ra­ram), mas es­ti­ve­ram de­ma­si­a­do tem­po con­fi­na­das ao kit de so­bre­vi­vên­cia do pú­bli­co fe­mi­ni­no e foi pre­ci­so al­gu­mas mar­cas co­mo a Marc Ja­cobs, a Tom Ford e a Cha­nel apro­vei­ta­rem a on­da in­clu­si­va mo­ti­va­da pe­la cul­tu­ra da In­ter­net (ámen, YouTu­be e Ins­ta­gram) pa­ra lan­ça­rem as su­as ver­sões co­me­di­das a pen­sar no ho­mem co­mum pa­ra a coi­sa pas­sar a fa­zer sen­ti­do tam­bém no kit de so­bre­vi­vên­cia do pú­bli­co mas­cu­li­no em ge­ral. Há quem não dei­xe de gri­tar um “chei­ra a es­tra­té­gia de mar­ke­ting” – afi­nal, é as­sim tão ne­ces­sá­rio di­zer na em­ba­la­gem que é pa­ra ho­mem, pa­ra ser pa­ra ho­mem? (a Fenty Beauty acha que não) –, mas tal­vez a in­dús­tria pre­ci­se des­te em­pur­rão. Ora, não con­ti­nu­a­mos nós a per­gun­tar se um ho­mem “mas­cu­li­no” po­de mes­mo usar maquilhage­m sem dei­xar de ser “mas­cu­li­no”? A ver­da­de é que a res­pos­ta ca­be a ca­da um (a mas­cu­li­ni­da­de é de­fi­ni­da por si), mas um cor­re­tor de olhei­ras, um CC cre­am, um gel pa­ra do­mar so­bran­ce­lhas e um ilu­mi­na­dor nun­ca fa­lham. Nem a ho­mem nem a mu­lher. E co­mo há mu­lhe­res a de­ci­dir não usar um pin­go de maquilhage­m, ba­ra­lhan­do as car­tas, por­que não ha­via um ho­mem de po­der de­ci­dir fa­zê-lo?

O QUE DI­ZEM ELES?

“Uso em du­as oca­siões no dia a dia ape­nas pa­ra cor­ri­gir olhei­ras e al­gu­mas mar­cas de ac­ne ou des­pig­men­ta­ções e em even­tos pa­ra es­tar on point Os meus pre­fe­ri­dos são cor­re­tor de olhei­ras lá­pis de so­bran­ce­lhas e ilu­mi­na­dor Apren­di com dois ami­gos que são ma­qui­lha­do­res e des­de en­tão tem si­do al­go na mi­nha ro­ti­na diá­ria Sin­to‡me mais con­for­tá­vel Acho que um lo­ok com­ple­to não pas­sa só pe­lo ca­be­lo e pe­la rou­pa nos ho­mens mas tam­bém sa­ber re­al­çar tra­ços e se for com maquilhage­m não ve­jo en­tra­ve nis­so” Edu­ar­do Fer­nan­des anos

“Fi­co‡me ape­nas pe­la ba­se bron­zers e por ve­zes gos­to de apli­car cor­re­tor e ilu­mi­na­dor Não ar­ris­co mas tam­bém não me im­por­to que se no­te ape­nas gos­to de al­go mais na­tu­ral sem gran­des exa­ge­ros

Sin­to‡me mais bo­ni­to atra­en­te con­fi­an­te e des­te­mi­do” Pe­dro San­tos anos

“Quan­do uso maquilhage­m que­ro que se apro­xi­me ao meu tom de pe­le e que se­ja um pe­que­no bo­ost pa­ra me dar me­lhor as­pe­to Gos­to de um CC cre­am por­que é co­mo que um cre­me hi­dra­tan­te com cor e não dis­pen­so um cor­re­tor de olhei­ras Pe­di aju­da às mi­nhas co­le­gas de tra­ba­lho pa­ra me en­si­na­rem co­mo se faz” Rui Ma­tos anos

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.