Não fe­che os olhos à pro­te­ção solar

Sa­be­mos que ve­rão é si­nó­ni­mo de ca­lor, praia e sol, mas tam­bém po­de sig­ni­fi­car uma aten­ção re­do­bra­da à ex­po­si­ção solar e aos efei­tos dos rai­os ul­tra­vi­o­le­ta, es­pe­ci­al­men­te no que to­ca à vi­são.

GQ (Portugal) - - Corpo Cuidados -

Ain­da que não se­ja vi­sí­vel, o efei­to cau­sa­do nos olhos pe­los rai­os ul­tra­vi­o­le­tas, po­de ser tão ou mais pre­ju­di­ci­al que o fa­mo­so es­cal­dão. A in­ci­dên­cia di­re­ta dos rai­os ul­tra­vi­o­le­tas nos olhos tra­duz-se em le­sões ocu­la­res que, no pi­or dos ca­sos, po­dem agra­var-se pa­ra per­da to­tal ou par­ci­al da vi­são ou ain­da, pa­ra pro­ble­mas a lon­go pra­zo co­mo a ca­ta­ra­ta – uma das le­sões ocu­la­res mais co­muns do mun­do e cu­ja ocor­rên­cia es­tá re­la­ci­o­na­da com a ex­po­si­ção às ra­di­a­ções ul­tra­vi­o­le­ta. A me­lhor for­ma de pro­te­ger os olhos du­ran­te a ex­po­si­ção solar são os ócu­los de sol, po­rém, nem to­dos ofe­re­cem a pro­te­ção ade­qua­da. Na verdade, a uti­li­za­ção de ócu­los de sol que não te­nham pro­te­ção UV são mais pre­ju­di­ci­ais que não os usar, da­do que

a pu­pi­la – que se fe­cha pa­ra se pro­te­ger da lu­mi­no­si­da­de – é ini­bi­da de usar o seu me­ca­nis­mo de de­fe­sa na­tu­ral. O fac­to de a len­te dos ócu­los ser es­cu­ra com­pro­me­te a re­a­ção na­tu­ral – que se­ria fe­char os olhos

– e os rai­os ul­tra­vi­o­le­tas, que não são fil­tra­dos, afe­tam mais se­ve­ra­men­te a re­ti­na. Os efei­tos mais se­ve­ros são a lon­go pra­zo, mas o uso con­tí­nuo de len­tes ina­de­qua­das po­de ser a cau­sa de des­con­for­to, do­res de ca­be­ça e sen­sa­ção de mal-es­tar.

Pa­ra além da pro­te­ção, é im­por­tan­te pre­ve­nir a ca­ta­ra­ta e, pa­ra is­so, é re­co­men­da­do re­a­li­zar exa­mes vi­su­ais com op­to­me­tris­tas cre­den­ci­a­dos (pro­fis­si­o­nais al­ta­men­te qua­li­fi­ca­dos em saúde vi­su­al) e equi­pa­men­tos tec­no­ló­gi­cos de al­ta pre­ci­são dis­po­ní­veis nas óti­cas da re­de Op­ti­vi­são.

Na es­co­lha dos ócu­los ide­ais pa­ra ali­ar a es­té­ti­ca à pro­te­ção, de­ve­rá op­tar pe­las co­res mais ade­qua­das à sua con­di­ção vi­su­al

(por exem­plo, ver­de, cin­za e cas­ta­nho), da­do que a cor das len­tes es­tá tam­bém re­la­ci­o­na­da com pro­ble­mas co­mo en­xa­que­cas, do­res de ca­be­ça e fo­to­fo­bia.

Des­cu­bra nas óti­cas Op­ti­vi­são os ócu­los de sol que fil­tram os rai­os so­la­res, im­pe­din­do a pas­sa­gem e o con­tac­to com as ra­di­a­ções ul­tra­vi­o­le­tas (UV-400). No ca­so das cri­an­ças, o cui­da­do de­ve ser re­do­bra­do, sen­do que, nu­ma fa­se em que o glo­bo ocu­lar ain­da es­tá em for­ma­ção, a fal­ta de pro­te­ção po­de ori­gi­nar pro­ble­mas de vi­são ou agra­var os pro­ble­mas já exis­ten­tes.

Es­te ve­rão, lem­bre-se que o pro­te­tor solar não é o úni­co must-ha­ve na pro­te­ção con­tra os rai­os ul­tra­vi­o­le­ta.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.