FA­ÇA­MOS NO­VOS DES­VI­OS

GQ (Portugal) - - In & Out Guia - Por Di­e­go Ar­més.

Na edi­ção pas­sa­da, su­ge­ri­mos 15 bons mo­ti­vos pa­ra sair da au­to­es­tra­da e pro­cu­rar al­guns dos me­lho­res res­tau­ran­tes que a tra­di­ção gas­tro­nó­mi­ca por­tu­gue­sa tem pa­ra mos­trar. De­di­cá­mos, en­tão, a nos­sa aten­ção à me­ta­de nor­te do País.

Nes­ta edi­ção, con­ti­nu­a­mos a vi­a­gem cheia de zi­gue­za­gues ru­mo ao Sul, on­de não fal­tam mo­ti­vos pa­ra fa­zer aque­le des­vio de vá­ri­os qui­ló­me­tros só pa­ra pro­var um pra­to es­pe­ci­al.

1 SO­LAR DOS AMI­GOS, CALDAS DA RAI­NHA

Aqui se en­con­tram al­guns dos me­lho­res pra­tos e igua­ri­as da tra­di­ção por­tu­gue­sa, das en­tra­das às so­bre­me­sas. €10 a €30 por pes­soa.

2 O FU­SO, AR­RU­DA DOS VINHOS

Boa es­co­lha, tan­to no pra­to co­mo na gar­ra­fei­ra, mas há uma pa­la­vra que tem de ser su­bli­nha­da quan­do se fa­la do Fu­so: ba­ca­lhau. €10 a €35 por pes­soa.

3 TOMBALOBOS, PORTALEGRE

A so­fis­ti­ca­ção do es­pa­ço é o pri­mei­ro ele­men­to a cau­sar boa im­pres­são, mas o res­tau­ran­te não se fi­ca por aqui, ser­vin­do o que há de me­lhor na tra­di­ção lo­cal com uma abor­da­gem, em cer­tos casos, mais con­tem­po­râ­nea. €15 a €40 por pes­soa.

4 TABERNA DA MU­RA­LHA, AVIS

Fi­ca li­te­ral­men­te na mu­ra­lha da for­ta­le­za, o que lhe dá um en­can­to es­pe­ci­al. Os se­cre­tos de por­co pre­to são dos me­lho­res da re­gião.

€10 a €20 por pes­soa.

5 TABERNA DO ADRO, VI­LA FER­NAN­DO (EL­VAS)

É um da­que­les casos em que se jus­ti­fi­ca uma vi­a­gem ao in­te­ri­or do País, qua­se na fron­tei­ra com a Ex­tre­ma­du­ra es­pa­nho­la, pa­ra fruir de uma re­fei­ção no li­mi­ar da per­fei­ção: é um Alentejo in­tei­ro ali, nas pa­re­des, nas tra­ves­sas e nos co­pos. €10 a €25 por pes­soa.

6 O PES­CA­DOR, LAGAMEÇAS

Não há quem não ga­be os pei­xes fres­cos do Pes­ca­dor, al­gu­res en­tre Pi­nhal No­vo e Águas de Mou­ra, e ain­da acres­cen­te “aque­le am­bi­en­te” des­con­traí­do em que pes­so­as à som­bra de­gus­tam o que há de me­lhor. €8 a €20 por pes­soa.

7 PÉ­RO­LA DA MOURISCA, MITRENA (SE­TÚ­BAL)

O sí­tio é inu­si­ta­do, mas pi­men­to re­che­a­do com sa­pa­tei­ra? É in­su­pe­rá­vel. To­dos os pe­tis­cos me­re­cem pro­va. €10 a €20 por pes­soa.

8 POR­TO SAN­TA­NA, ALCÁCER DO SAL

Os vinhos da ca­sa são im­ba­tí­veis, no­me­a­da­men­te os de Por­to­car­ro, mas são os fi­le­tes de pei­xe-ga­lo com açor­da de ovas que nos fazem an­si­ar pe­lo des­vio na ro­ta. €10 a €25 por pes­soa.

9 A ADE­GA, MON­TE­MOR-O-NO­VO

As vá­ri­as for­mas de fa­zer ba­ca­lhau e ain­da o pol­vo à la­ga­rei­ro me­re­cem os des­ta­ques nu­ma ca­sa de am­bi­en­te fa­mi­li­ar. €10 a €20 por pes­soa.

10 O BO­LAS, AZARUJA (ÉVO­RA)

As so­pas de po­e­jo têm boa fa­ma, mas im­por­ta não es­que­cer as car­nes com mi­gas. €10 a €30 por pes­soa.

11 O CHANA DO BER­NAR­DI­NO, AL­DEIA DA SER­RA D’OSSA (REDONDO)

Pe­tis­cos alen­te­ja­nos.

Não va­le a pe­na ten­tar es­pe­ci­fi­car mais, é dis­to que se tra­ta. Saia da es­tra­da, cor­ra. Es­ta­mos pe­ran­te um to­po de ga­ma. Che­ga­do ao res­tau­ran­te, ou­ça a ex­pli­ca­ção que o pro­pri­e­tá­rio tem pa­ra ca­da pra­to e dei­xe-se afo­gar avi­da­men­te na água da sua pró­pria bo­ca. €10 a €30 por pes­soa.

12 ADE­GA VE­LHA, MOU­RÃO

En­so­pa­do de bor­re­go, so­pa de ca­ção e co­zi­do de grão, uma es­pé­cie de su­pre­ma trin­da­de do in­te­ri­or alen­te­ja­no, acom­pa­nham com vi­nho da ta­lha, por exem­plo. É di­fí­cil con­se­guir me­lhor. €10 a €20 por pes­soa.

13 TABERNA DO ARRUFA, CU­BA

Se os olhos tam­bém co­mem, aqui che­ga­mos à me­sa de bar­ri­ga cheia: a apre­sen­ta­ção dos pra­tos abre ca­mi­nho pa­ra uma re­fei­ção à ba­se de pe­tis­cos. €10 a €20 por pes­soa.

14 ADE­GA MOLHÓ BICO, SERPA

Tor­na-se di­fí­cil es­co­lher en­tre as es­pe­ci­a­li­da­des de per­diz, o en­so­pa­do de bor­re­go, as mi­gas, o por­co pre­to, ou até os ovos com es­par­gos. De €10 a €30 por pes­soa.

15 TASCA DO CEL­SO, VI­LA NO­VA DE MILFONTES

Fu­são per­fei­ta en­tre re­quin­te, so­fis­ti­ca­ção, tra­di­ção e des­con­tra­ção. To­das as car­nes e pe­tis­cos são dig­nos de no­ta e há ain­da uma ex­ce­len­te gar­ra­fei­ra por des­bra­var. €15 a €35 por pes­soa.

16 A CAVALARIÇA, CAS­TRO VER­DE

O fo­co es­tá no fun­da­men­tal: as car­nes alen­te­ja­nas. Pa­ra quê com­pli­car? €10 a €20 por pes­soa.

17 CAS­TRO DA CO­LA, OURIQUE

O es­pa­ço, em si, me­re­ce vi­si­ta e a co­mi­da aju­da, sen­do, ob­vi­a­men­te, um tí­pi­co e pro­fun­do alen­te­ja­no. €10 a €20 por pes­soa.

18 A PA­RA­GEM, CORVOS (MÉRTOLA)

Uma es­pla­na­da com uma co­ber­tu­ra ba­ra­ta a di­zer “piz­za­ria – pra­tos tra­di­ci­o­nais”. Lá den­tro, pra­tos tra­di­ci­o­nais in­crí­veis (o co­zi­do de grão é o me­lhor do Alentejo até pro­va em con­trá­rio) e vinhos do Gu­a­di­a­na de al­ta qua­li­da­de. Tu­do is­to, num am­bi­en­te fa­mi­li­ar em que nos dão re­al­men­te aten­ção. €10 a €20 por pes­soa.

19 BARCA TRANQUITAN­AS, POR­TO DAS BARCAS (ZAMBUJEIRA DO MAR)

Um am­bi­en­te agra­dá­vel e tran­qui­lo, uma de­co­ra­ção con­di­zen­te e uns óti­mos fi­le­tes de pam­po com mi­gas de le­gu­mes, eis o que es­pe­rar do Tranquitan­as. €20 a €50 por pes­soa.

20 O PAU­LO, ARRIFANA

Os sa­bo­res do mar num sí­tio pri­vi­le­gi­a­do. €10 a €30 por pes­soa.

21 TASCA DO PETROL, MARMELETE

As car­nes da ser­ra de Mon­chi­que me­re­cem o me­lhor des­ta­que. O lo­cal on­de fi­ca aju­da a per­ce­ber a emen­ta. €8 a €20 por pes­soa.

22 O FI­A­LHO, LUZ DE TAVIRA

Co­mo bom al­gar­vio, faz do ar­roz de lin­guei­rão um pon­to de hon­ra. Acres­cen­ta-lhe um en­so­pa­do de en­gui­as de enor­me ca­te­go­ria e ain­da mui­tas op­ções de ma­ris­co. €20 a €50 por pes­soa.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.