PROJETIVOS VERSUS OB­JE­TI­VOS

GQ (Portugal) - - Setembro -

São os dois gran­des ti­pos de tes­tes de personalid­ade. O pri­mei­ro as­su­me que a personalid­ade po­de ser ava­li­a­da pe­lo mo­do co­mo um in­di­ví­duo in­ter­pre­ta uma in­for­ma­ção am­bí­gua

(co­mo as co­nhe­ci­das man­chas de tin­ta do teste de Rors­cha­ch). O se­gun­do ba­seia-se prin­ci­pal­men­te em au­tor­re­la­to – ou se­ja, na res­pos­ta a ques­tões

pa­dro­ni­za­das que in­ter­ro­gam o in­di­ví­duo so­bre o seu com­por­ta­men­to. A pre­fe­rên­cia en­tre um ou

ou­tro não é con­sen­su­al en­tre os psi­có­lo­gos. Cer­to é que nos pri­mei­ros, pe­la

sua na­tu­re­za sub­je­ti­va, “os cri­té­ri­os da fi­de­li­da­de

e da va­li­da­de ten­dem a apre­sen­tar va­lo­res bai­xos e al­ta­men­te va­riá­veis”, ex­pli­ca o psi­có­lo­go João Ti­a­go Oli­vei­ra: “A pró­pria for­ma co­mo se apli­ca o teste – o con­tex­to, as ins­tru­ções da­das – po­dem in­flu­en­ci­ar a res­pos­ta que se dá. Por­tan­to, os tes­tes projetivos não têm si­do fo­co

de tan­ta in­ves­ti­ga­ção pe­la di­fi­cul­da­de de pa­dro­ni­za­ção e es­ta­bi­li­da­de ao lon­go

do tem­po.”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.