Jornal de Notícias - JN + Noticias Magazine

ESTAS LOJAS SÃO AUTÊNTICAS AMAZON EM PORTUGUÊS

É o “Made in Portugal” em plataforma­s digitais carregadas de produtos 100% nacionais. Muitas vendem mais para o estrangeir­o do que cá dentro. As nossas marcas servidas online.

- Catarina Silva POR

O slogan usados nos anos 80 do século passado pela Nacional e que continua a sobreviver ao tempo e a ser resgatado por todos não podia fazer mais sentido. O que é nacional é tão bom que já há plataforma­s online carregadas de produtos portuguese­s, desde vinhos ao artesanato, que correm as bocas da Europa. Algumas vendem mais lá fora do que cá dentro. Só há uma regra: é tudo 100% feito cá e está numa só loja. Como a que Pedro Baptista criou faz agora dois anos. Uma década em Portugal foi o suficiente para o jovem cabo-verdiano se render. Aliás, ele já é português e “com orgulho”.

Há muito que o mestre em negócios internacio­nais queria investir, faltava-lhe descobrir a paixão. Encontrou. O Portugal Nosso é uma espécie de mercearia fina com produtos de norte a sul do país, “de qualidade superior, de pequenos produtores, que de outra forma não teriam visibilida­de” e que não cabem num supermerca­do. Chocolates, doces e compotas, vinhos, cervejas artesanais, azeites, queijos, biológicos e vegan. É a Disneylând­ia de quem gosta de comer bem. Dá para pesquisar por região, basta apontar o rato ao mapa.

E até há uma caixa surpresa, que varia dos 35 aos 50 euros. A loja é para todos os portuguese­s apaixonado­s pela diferença, para datas especiais ou para o dia a dia. Para emigrantes com saudades do país ou turistas que tenham cá passado. Os pedidos chegam de França, Itália, Dinamarca, Bélgica ou Estados

Unidos. E a pandemia fez disparar em 200% as vendas.

Internacio­nalizar as marcas

Exatamente no mesmo ano de 2019 também abriu a 4ARCA, a plataforma online que é um autêntico baú da tradição portuguesa, mas muito pouco tradiciona­l. A ideia é divulgar o “Made in Portugal” lá fora, ajudar a internacio­nalizar marcas portuguesa­s. A bagagem e a experiênci­a no ramo mobiliário das amigas Carla Almeida e Armanda Letra ajudaram a montar o marketplac­e português que pensa para

lá do óbvio. Além de vender ao cliente final – cervejas artesanais, chinelos, jogos para crianças, vinho, carteiras vegan –, também dá palco a serviços e a produtos que querem chegar às prateleira­s de lojas estrangeir­as.

Armanda já leva uma vida de trabalho no ramo da exportação, sabe como funciona o mercado internacio­nal. “Sempre notei que há poucos produtos nacionais no estrangeir­o. Quando ia a supermerca­dos e a lojas, via muita coisa made in Italy, Spain, Greece e nada português, quando nós temos mais qualidade.” Do país, diz a portuguesa de costela alemã, conhece-se Cristiano Ronaldo, as praias e o vinho do Porto. Pouco mais. Mas a 4ARCA quer mudar isso, é um marketplac­e virado para o estrangeir­o, uma montra, uma ponte, um chamariz para o produto nacional que já chega a grandes cadeias da Alemanha ou da Áustria.

Para um português licenciado em História e apaixonado pelo país, a Charme Rural foi a plataforma que sempre quis criar, mesmo sem saber. Luís Minas começou por abrir loja no Bairro Alto, Lisboa, em 2016. Fechou, rendeu-se ao online há menos de um ano, num site pintado a azulejos coloridos. “Temos produtos de excelência que nem sempre são bem tratados e quis trazer para cima da mesa o que de melhor se faz cá.” Um retrato fiel de um país de muitas cores, aromas e texturas. Conhece todos os fornecedor­es, um a um. Prova tudo o que vende. Tem mercearia, desde vinagre, vinhos, chocolates, azeite. Mas também artesanato – cadeiras, canecas, cestas – e cosmética artesanal.

Vive dos bons ventos que sopram. “As pessoas procuram cada vez mais coisas diferentes. O supermerca­do oferece em quantidade, mas nem sempre em qualidade. Um licor artesanal faz a diferença.” A diferença de um saber que se há de perder se não passar de pais para filhos. No online, encontrou o caminho para a clientela portuguesa e descobriu a facilidade de chegar aos países da Europa. Não falta procura, desde o mercado da saudade a estrangeir­os.

O “sumo” do país em casa

Nesta mercearia gourmet, há presentes originais e tudo serve para mantermos a despensa saudável. Ana Lucas cria receitas de compotas com mirtilos de Sever do Vouga ou cerejas do Fundão em forno de lenha, de biscoitos, chocolates, azeites aromatizad­os, tisanas biológicas. Recorre a pequenos produtores artesanais para pôr em prática as suas ideias. A ligação à cozinha vem da mãe e da avó. Lançou a Juice At Home, que leva o “sumo” do país a casa, já lá vão seis anos. Tinha cargos executivos numa grande empresa e viajava muito. “As pessoas falavam-me dos azeites, das azeitonas, das sardinhas.” Sempre desenvolve­u os negócios dos outros e quis investir no seu.

Além dos seus produtos, vende outras marcas. Desde os vinhos da Herdade do Sobroso aos biscoitos Paupério, as sardinhas enlatadas La Gôndola d’a Poveira, as compotas em bisnaga da Meia.dúzia, queijos e enchidos. A loja é uma ode aos presentes. São cabazes carregados de coisas boas para encher uma mesa em datas especiais, como o Dia da Mãe. E até há caixas com os ingredient­es para cozinhar receitas dos chefs Hélio Loureiro ou Álvaro Costa.

Agora, Ana vai investir na venda à unidade. E nem só de mercearia gourmet e biológica se faz a Juice At Home, que também lhe junta chávenas de cerâmica e cortiça, galheteiro­s, pratos de degustação de azeite.

Um mundo de produtos

Aqui há de tudo, numa loja que vive da saudade e que dá palco a tantas marcas que resistiram ao tempo. Guarda em prateleira­s virtuais produtos nacionais fabricados desde há muito, que devem a longevidad­e à qualidade. A Vida Portuguesa nasceu pelas mãos da jornalista Catarina Portas, depois de uma investigaç­ão sobre produtos antigos portuguese­s, aqueles que conhecemos há décadas. O projeto nasceu em 2004 e em 2007 mudou de nome para nunca mais conhecer travão. Tem lojas físicas, que perderam as “hordas de turistas” na pandemia e que já só existem em Lisboa, mas é a plataforma online que nos traz aqui. Até porque Catarina criou a loja para os portuguese­s, nunca a considerou “loja de souvenirs”.

É mercearia, perfumaria, livraria ou papelaria. Lá há louças, cremes, champôs, roupa, calçado, brinquedos, cestas, malas, mochilas, drogaria, produtos de jardim. É um mundo sem fim de ADN português que quer garantir a sobrevivên­cia das nossas fábricas mais tradiciona­is. Foi pioneira e esconde produtos exclusivos, feitos em parceria com marcas, como os sabonetes Ach.brito e Confiança, as andorinhas Bordalo Pinheiro (campeãs de vendas online), os lápis Viarco ou os cadernos Emílio Braga e Serrote. É só entrar e descobrir um mundo bem português.●m

 ??  ??
 ??  ??
 ??  ??
 ??  ?? ❶ A 4ARCA aposta na internacio­nalização ❷ Luís Minas criou a Charme Rural em 2016 ❸ A Juice At Home é uma mercearia fina ❹ A Vida Portuguesa tem produtos exclusivos ❺ No Portugal Nosso dá para pesquisar por região
❶ A 4ARCA aposta na internacio­nalização ❷ Luís Minas criou a Charme Rural em 2016 ❸ A Juice At Home é uma mercearia fina ❹ A Vida Portuguesa tem produtos exclusivos ❺ No Portugal Nosso dá para pesquisar por região
 ??  ??
 ??  ??

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal