Bru­xe­las põe dé­fi­ce de Cen­te­no no pó­dio dos me­nos cre­dí­veis

Co­mis­são Eu­ro­peia pre­vê tra­va­gem do PIB em 2019. Pre­vi­são fi­ca qua­tro dé­ci­mas aci­ma da do Go­ver­no.

Jornal de Negócios - - PRIMEIRA PÁGINA - MAR­GA­RI­DA PEI­XO­TO mar­ga­ri­da­pei­xo­to@ne­go­ci­os.pt

No con­jun­to da zo­na eu­ro, Por­tu­gal é o ter­cei­ro país cu­ja me­ta or­ça­men­tal é con­si­de­ra­da me­nos cre­dí­vel por Bru­xe­las. Olhan­do pa­ra o ob­jec­ti­vo fi­xa­do pe­los Go­ver­nos na­ci­o­nais, e com­pa­ran­do-o com a pro­jec­ção da Co­mis­são Eu­ro­peia, só Es­pa­nha e Itá­lia apre­sen­tam di­fe­ren­ças mai­o­res.

Nas Pre­vi­sões de Ou­to­no, pu­bli­ca­das on­tem em Bru­xe­las, a Co­mis­são Eu­ro­peia an­te­ci­pa um dé­fi­ce de 0,6% do PIB pa­ra as ad­mi­nis­tra­ções pú­bli­cas por­tu­gue­sas. Es­te va­lor con­tras­ta com a me­ta de 0,2%, as­su­mi­da por Mário Cen­te­no, mi­nis­tro das Fi­nan­ças, pe­ran­te o Par­la­men­to por­tu­guês e o Exe­cu­ti­vo co­mu­ni­tá­rio.

A di­fe­ren­ça são 0,4 pon­tos per­cen­tu­ais e re­sul­tam de uma di­ver- gên­cia já anun­ci­a­da: qua­tro di­as de­pois de Cen­te­no ter sub­me­ti­do o seu pla­no de OE 2019 em Bru­xe­las, re­ce­beu uma car­ta on­de se ques­ti­o­na­vam as con­tas e se avi­sa­va pa­ra o ris­co de um des­vio sig­ni­fi­ca­ti­vo das re­gras do bra­ço pre­ven­ti­vo do Pac­to de Es­ta­bi­li­da­de (e Cres­ci­men­to).

Nas Pre­vi­sões de Ou­to­no, e mes­mo de­pois de o Mi­nis­té­rio das Fi­nan­ças ter res­pon­di­do à Co­mis­são, Bru­xe­las não mu­dou de idei­as. O sal­do glo­bal mais ele­va­do tem im­plí­ci­ta uma ma­nu­ten­ção do sal­do es­tru­tu­ral (que des­con­ta as me­di- das tem­po­rá­ri­as e o im­pac­to do ci­clo eco­nó­mi­co), em vez de uma me­lho­ria de 0,6 pon­tos, co­mo se­ria su­pos­to pa­ra cum­prir as re­gras.

0,6% DÉ­FI­CE Es­te é o va­lor do dé­fi­ce que a Co­mis­são Eu­ro­peia es­ti­ma pa­ra Por­tu­gal, em 2019. Tem im­plí­ci­ta a ma­nu­ten­ção do sal­do es­tru­tu­ral.

As di­fe­ren­ças im­por­tam?

En­quan­to pre­si­den­te do Eu­ro­gru­po, Mário Cen­te­no vai ho­je a Ro­ma pres­si­o­nar Gi­o­van­ni Tria, o mi­nis­tro das Fi­nan­ças ita­li­a­no, a apro­xi­mar os seus pla­nos or­ça­men­tais das nor­mas co­mu­ni­tá­ri­as. “A Co­mis­são não é in­sen­sí­vel. Po­de­mos apro­xi­mar-nos, mas de­ve­mos res­pei­tar as re­gras. A Co­mis­são não po­de fa­zer

Mário Cen­te­no vai ho­je à ca­pi­tal italiana pa­ra ten­tar con­ven­cer o go­ver­no a al­te­rar a pro­pos­ta de or­ça­men­to.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.