D E O LH O S N O S O LH O S

Jornal de Negócios - - A MINHA ECONOMIA -

Pe­dro Ca­la­pez pro­du­ziu qua­tro de­ze­nas de no­vas obras pa­ra se­rem apre­sen­ta­das de for­ma in­vul­gar – a mai­o­ria de­las ci­rur­gi­ca­men­te co­lo­ca­das ao lon­go das sa­las da Ca­sa Mu­seu Me­dei­ros e Al­mei­da (na imagem). A ex­po­si­ção tem um per­cur­so re­co­men­da­do e su­ge­re-se a con­sul­ta de uma fo­lha in­for­ma­ti­va que per­mi­te ir se­guin­do sa­la a sa­la o que se pas­sa – e aí pro­cu­ran­do e des­co­brin­do as obras (al­gu­mas de­las em lo­cais pou­co evi­den­tes). O tí­tu­lo da ex­po­si­ção é “Olhos nos Olhos”: “Pro­cu­rar­mos per­ce­ber por­que de­ter­mi­na­dos olha­res não se fi­xam no nos­so é o que per­mi­te pe­ne­trar no in­te­ri­or da pin­tu­ra”, es­cre­ve Pe­dro Ca­la­pez no tex­to que acom­pa­nha a ex­po­si­ção. A mon­ta­gem é mui­to cui­da­da, ca­da obra de Ca­la­pez in­te­gra-se nuns ca­sos e pro­vo­ca nou­tros, no meio da co­lec­ção de pre­ci­o­si­da­des do lo­cal, des­de a ca­pe­la à bi­bli­o­te­ca, pas­san­do pe­las ou­tras sa­las do 1.º an­dar. Na re­a­li­da­de, tra­ta-se de uma du­pla des­co­ber­ta – a de vi­si­tar es­te es­pa­ço pou­co co­nhe­ci­do com a me­mó­ria que lá es­tá sal­va­guar­da­da e, pa­ra­le­la­men­te, ver a no­va pro­du­ção ar­tís­ti­ca de Ca­la­pez, que em vá­ri­as pe­ças abre pis­tas de de­sen­vol­vi­men­to da sua obra. Além da mis­ci­ge­na­ção com a co­lec­ção da Ca­sa Mu­seu, há um es­pa­ço on­de vá­ri­as obras se apre­sen­tam a so­lo, com des­ta­que pa­ra um con­jun­to da sé­rie de on­ze te­las “A Dor pas­sou Pa­ra Os Qua­dros” e a pin­tu­ra a pas­tel de óleo so­bre pa­pel “Co­mo Os Ho­mens Se Me­tem Pa­ra Den­tro”. To­das as obras se­gui­rão de­pois pa­ra a Ale­ma­nha, on­de Pe­dro Ca­la­pez te­rá uma mos­tra bre­ve­men­te. A ex­po­si­ção po­de ser vis­ta até 21 de De­zem­bro, na Ca­sa Mu­seu Me­dei­ros e Al­mei­da, Rua Rosa Araújo n.º 41.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.