Di­gi­ta­li­za­ção em Por­tu­gal é len­ta

O es­tu­do anu­al de ben­ch­mark ela­bo­ra­do pe­la IDC re­ve­la que 37% das or­ga­ni­za­ções na­ci­o­nais têm uma es­tra­té­gia de trans­for­ma­ção di­gi­tal ali­nha­da com a es­tra­té­gia de ne­gó­cio, en­quan­to nos Es­ta­dos Uni­dos são 50% das em­pre­sas.

Jornal de Negócios - - NEGÓCIOS - FI­LI­PE S. FERNANDES

“AA­pe­sar da qua­li­da­de des­te ano do Por­tu­gal Di­gi­tal Awards ter su­pe­ra­do em mui­to o que se ob­ser­vou no ano pas­sa­do, te­mo que o pro­gres­so na di­gi­ta­li­za­ção na mai­o­ria das em­pre­sas na­ci­o­nais se­ja ain­da mui­to ini­ci­al, in­cre­men­tal fa­ce ao ‘sta­tus quo’ e aci­ma de tu­do de pro­gres­são len­ta”, aler­tou Rui Pe­rei­ra, VP of Di­gi­tal Trans­for­ma­ti­on da Outsys­tems e mem­bro do jú­ri.

Es­ta si­tu­a­ção po­de ser a por­ta de en­tra­da de uma con­cor­rên­cia mais ágil e rá­pi­da que con­si­ga adap­tar-se e res­pon­der me­lhor jun­to dos con­su­mi­do­res e cli­en­tes. O co-fun­da­dor da Outsys­tems, um dos mais re­cen­tes uni­cór­ni­os por­tu­gue­ses e ava­li­a­do em mais de mil mi­lhões de dó­la­res, in­cen­ti­va “os lí­de­res na­ci­o­nais a olhar de for­ma mui­to es­tra­té­gi­ca e com­pro­me­ti­da com o ca­mi­nho da trans­for­ma­ção dos seus ne­gó­ci­os nos no­vos ce­ná­ri­os com­pe­ti­ti­vos pe­la qu­al to­das as in­dús­tri­as es­tão a pas­sar. É di­fí­cil ver a rel­va a cres­cer mas sem dú­vi­da que cres­ce, cres­ce e só con­se­gui­mos dar por is­so quan­do a te­mos de cor­tar. No ca­so das em­pre­sas po­de­rá ser tar­de de mais”.

Gap di­gi­tal

Ga­bri­el Coimbra, Group Vi­ce-Pre­si­dent & Coun­try Ma­na­ger da IDC Por­tu­gal, con­cor­da e re­fe­re que “ain­da exis­te um gran­de gap en­tre a di­gi­ta­li­za­ção da eco­no­mia na­ci­o­nal e a eco­no­mia glo­bal, en­quan­to em Por­tu­gal pre­ve­mos em 2021 30% da eco­no­mia na­ci­o­nal já es­te­ja di­gi­ta­li­za­da, a ní­vel glo­bal ul­tra­pas­sa­rá os 50%”. Na sua opi­nião te­rá si­do “im­pul­si­o­na­da pe­las no­vas ofer­tas di­gi­tais, pe­la di­gi­ta­li­za­ção das ope­ra­ções e das ca­dei­as de va­lor, as­sim co­mo pe­la in­te­gra­ção en­tre os ca­nais fí­si­cos e di­gi­tais”.

Es­te gap en­tre a eco­no­mia mun­di­al e a na­ci­o­nal de­ve-se so­bre­tu­do ao fac­to de “gran­de par­te das or­ga­ni­za­ções na­ci­o­nais ain­da não con­se­gui­rem com­pre­en­der a trans­for­ma­ção di­gi­tal de for­ma trans­ver­sal”, re­fe­re Ga­bri­el Coimbra. O que pas­sa pe­la ca­pa­ci­da­de de re­pen­sar os processos, a ex­pe­ri­ên­cia do ecos­sis­te­ma e o de­sen­vol­vi­men­to de no­vos pro­du­tos e ser­vi­ços com ba­se nas tecnologias de 3ª Pla­ta­for­ma (so­lu­ções as­sen­tes em IoT, In­te­li­gên­cia Ar­ti­fi­ci­al, Im­pres­são 3D, no­vos In­ter­fa­ces Hu­ma­nas/Di­gi­tais, Ro­bó­ti­ca e Block­chain) e com os Ace­le­ra­do­res de Ino­va­ção.

Pa­ra o res­pon­sá­vel da IDC Por­tu­gal, os pro­jec­tos di­gi­tais, de mui­tas or­ga­ni­za­ções a ní­vel na­ci­o­nal, são ha­bi­tu­al­men­te processos iso­la­dos, que não es­tão ali­nha­dos com a es­tra­té­gia de ne­gó­cio e in­te­gra­dos num mo­de­lo que abran­ja to­da a or­ga­ni­za­ção. “O es­tu­do anu­al de ben­ch­mak ela­bo­ra­do pe­la IDC so­bre o te­ma trans­for­ma­ção di­gi­tal ilus­tra is­so mes­mo, ape­nas 37% das or­ga­ni­za­ções na­ci­o­nais têm uma es­tra­té­gia de trans­for­ma­ção di­gi­tal ali­nha­da com a es­tra­té­gia de ne­gó­cio, ver­sus qua­se 50% pa­ra as su­as con­gé­ne­res nor­te-ame­ri­ca­nas”, con­cluiu Ga­bri­el Coimbra.

“Gran­de par­te das or­ga­ni­za­ções na­ci­o­nais ain­da não con­se­gui­rem com­pre­en­der a trans­for­ma­ção di­gi­tal de for­ma trans­ver­sal. GA­BRI­EL COIMBRA Group Vi­ce-Pre­si­dent & Coun­try Ma­na­ger da IDC Por­tu­gal

Inês Go­mes Lourenço

Rui Pe­rei­ra é co-fun­da­dor da Outsys­tems, um dos mais re­cen­tes uni­cór­ni­os por­tu­gue­ses.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.