Go­ver­no cria me­ga­ba­se de da­dos dos fun­ci­o­ná­ri­os

In­for­ma­ção dos tra­ba­lha­do­res se­rá or­ga­ni­za­da por pseu­dó­ni­mos e per­mi­ti­rá co­nhe­cer me­lhor a re­a­li­da­de do em­pre­go na Fun­ção Pú­bli­ca. Exe­cu­ti­vo vai ain­da apos­tar na con­tra­ta­ção cen­tra­li­za­da.

Jornal de Negócios - - PRIMEIRA PÁGINA - CA­TA­RI­NA AL­MEI­DA PE­REI­RA ca­ta­ri­na­pe­rei­[email protected]­go­ci­os.pt JOÃO D’ESPINEY jo­a­o­des­pi­[email protected]­go­ci­os.pt

Os da­dos dos tra­ba­lha­do­res se­rão or­ga­ni­za­dos atra­vés de pseu­dó­ni­mos, de acor­do com a pro­pos­ta de lei do Go­ver­no com as al­te­ra­ções ao Sis­te­ma de In­for­ma­ção da Or­ga­ni­za­ção do Es­ta­do. Uma me­ga­ba­se de da­dos pa­ra per­mi­tir sa­ber com ri­gor quan­tos fun­ci­o­ná­ri­os pú­bli­cos te­mos e quan­to ga­nham.

Ano­va me­ga­ba­se de da­dos com a ca­rac­te­ri­za­ção dos ser­vi­ços da Ad­mi­nis­tra­ção Pú­bli­ca e res­pec­ti­vos re­cur­sos hu­ma­nos vai in­cluir da­dos pes­so­ais dos tra­ba­lha­do­res, pas­sar a abran­ger os ór­gãos de so­be­ra­nia, re­gu­la­do­res – in­cluin­do o Ban­co de Por­tu­gal – e con­ter in­for­ma­ção mais de­ta­lha­da so­bre os sa­lá­ri­os dos fun­ci­o­ná­ri­os pú­bli­cos. Es­tas são, em sín­te­se, as três prin­ci­pais no­vi­da­des do fu­tu­ro Sis­te­ma de In­for­ma­ção da Or­ga­ni­za­ção do Es­ta­do (SIOE) e que se­gun­do o Go­ver­no irá per­mi­tir, fi­nal­men­te, sa­ber com ri­gor quan­tos fun­ci­o­ná­ri­os pú­bli­cos exis­tem e quan­to ga­nham, en­tre ou­tros in­di­ca­do­res.

O ac­tu­al SIOE, em vi­gor des­de 2012, só dis­po­ni­bi­li­za, ba­si­ca­men­te, in­for­ma­ção ge­né­ri­ca e agre­ga­da so­bre as va­ri­a­ções do em­pre­go pú­bli­co, os re­gi­mes ju­rí­di­cos de em­pre­go e as re­mu­ne­ra­ções pra­ti­ca­das. Os da­dos são for­ne­ci­dos de for­ma agre­ga­da pe­los ser­vi­ços, tri­mes­tral­men­te. É por is­so que é di­fí­cil per­ce­ber com se­gu­ran­ça, por exem­plo, quan­tos fun­ci­o­ná­ri­os re­ce­bem o sa­lá­rio mí­ni­mo.

A in­ten­ção de aper­fei­ço­ar es­te sis­te­ma de in­for­ma­ção foi pro­me­ti­da há vá­ri­os anos – des­de pe­lo me­nos 2016 –, mas só ago­ra é que o projecto de diploma foi apre­sen­ta­do aos sin­di­ca­tos.

“Im­por­ta pro­ce­der à re­for­ma e ro­bus­te­ci­men­to do sis­te­ma de in­for­ma­ção e à al­te­ra­ção da es­tru­tu­ra da in­for­ma­ção de ca­rac­te­ri­za­ção das en­ti­da­des pú­bli­cas e dos seus re­cur­sos hu­ma­nos, de for­ma a ob­ter da­dos mais ri­cos, que po­ten­ci­em e fun­da­men­tem a ela­bo­ra­ção de aná­li­ses es­ta­tís­ti­cas e de es­tu­dos téc­ni­cos”, lê-se na pro­pos­ta de lei, a que o Ne­gó­ci­os te­ve aces­so e que ain­da te­rá de pas­sar pe­lo Par­la­men­to.

Ape­sar das pre­o­cu­pa­ções ma­ni­fes­ta­das pe­la Co­mis­são Na­ci­o­nal de Pro­tec­ção de Da­dos, o Mi­nis­té­rio ga­ran­te que o no­vo SIOE “re­for­ça­rá as ga­ran­ti­as de si­gi­lo no tra­ta­men­to de da­dos pes­so­ais” e que es­tá ali­nha­do com as “de­ter­mi­na­ções” do Re­gu­la­men­to Ge­ral so­bre a Pro­tec­ção de Da­dos.

Uma das me­di­das pre­vis­tas no diploma pa­ra sal­va­guar­dar o si­gi­lo dos da­dos é a “pseu­do­no­mi­za­ção” do da­dos in­di­vi­du­ais dos tra­ba­lha­do­res. En­tre a in­for­ma­ção que vai cons­tar do no­vo re­gis­to es­tão o no­me (pseu­dó­ni­mo); a na­ci­o­na­li­da­de; a da­ta de nas­ci­men­to e o se­xo; o grau de in­ca­pa­ci­da­de por mo­ti­vo de de­fi­ci­ên­cia ou do­en­ça cró­ni­ca, qu­an­do apli­cá­vel; a mo­ra­da; os nú­me­ros de iden­ti­fi­ca­ção ci­vil, fis­cal e da Se­gu­ran­ça Social; o re­gi­me de pro­tec­ção social apli­cá­vel; e as ha­bi­li­ta­ções li­te­rá­ri­as e pro­fis­si­o­nais.

Da­dos mais de­ta­lha­dos so­bre as re­mu­ne­ra­ções

Além dos da­dos já dis­po­ni­bi­li­za­dos so­bre a si­tu­a­ção re­mu­ne­ra­tó­ria dos fun­ci­o­ná­ri­os pú­bli­cos, o fu­tu­ro SIOE vai pas­sar a in­cluir in­for­ma­ção de­ta­lha­da so­bre su­ple­men­tos re­mu­ne­ra­tó­ri­os com ca­rác­ter per- ma­nen­te e tran­si­tó­rio, pré­mi­os de de­sem­pe­nho ou equi­va­len­tes, tra­ba­lho su­ple­men­tar, ou­tros su­ple­men­tos, sub­sí­di­os, be­ne­fí­ci­os, gra­ti­fi­ca­ções e ou­tros abo­nos. E vai ter da­dos so­bre a ava­li­a­ção de de­sem­pe­nho, a na­tu­re­za do res­pec­ti­vo vín­cu­lo e mo­ti­vo da en­tra­da, a da­ta da úl­ti­ma pro­mo­ção, pro­gres­são ou mu­dan­ça de po­si­ci­o­na­men­to re­mu­ne­ra­tó­rio.

O diploma pre­vê ain­da in­for­ma­ção so­bre ac­ti­vi­da­des de for­ma­ção pro­fis­si­o­nal, de se­gu­ran­ça e saú­de dos tra­ba­lha­do­res; aci­den­tes de tra­ba­lho e do­en­ças pro­fis­si­o­nais, gre­ves e pres­ta­do­res de ser­vi­ço. Os pos­tos de tra­ba­lho pre­vis­tos e não ocu­pa­dos, o nú­me­ro de tra­ba­lha­do­res de em­pre­sas de tra­ba­lho tem­po­rá­rio, o “po­ten­ci­al de ho­ras e ho­ras não tra­ba­lha­das, e ele­men­tos so­bre “dis­ci­pli­na” são ou­tros da­dos do fu­tu­ro SIOE.

AR, Be­lém, Ban­co de Por­tu­gal e re­gu­la­do­res abran­gi­dos

Ou­tra das no­vi­da­des é o alar­ga­men­to do âm­bi­to de apli­ca­ção do no­vo sis­te­ma aos ór­gãos de so­be­ra­nia e res­pec­ti­vos ór­gãos e ser­vi­ços de apoio, ao Ban­co de Por­tu­gal e às en­ti­da­des ad­mi­nis­tra­ti­vas in­de­pen­den­tes. Até ago­ra, o SIOE só abran­gia “os ser­vi­ços in­te­gra­dos, ser­vi­ços e fun­dos au­tó­no­mos, re­giões, au­tar­qui­as lo­cais e ou­tras en­ti­da­des que in­te­gram o uni­ver­so das AP”.

Mi­guel Bal­ta­zar

O Go­ver­no re­ce­be es­ta sex­ta-fei­ra os sin­di­ca­tos da Fun­ção Pú­bli­ca, pe­la pri­mei­ra vez de­pois da apro­va­ção do Or­ça­men­to do Es­ta­do.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.