Con­tra­ta­ção de no­vos qua­dros da Fun­ção Pú­bli­ca se­rá cen­tra­li­za­da

O Go­ver­no vai al­te­rar as re­gras dos con­cur­sos, apos­tan­do no re­cru­ta­men­to cen­tra­li­za­do pa­ra em­pre­ga­do­res de vá­ri­as áre­as do Es­ta­do. O ob­jec­ti­vo é pou­par re­cur­sos e uni­for­mi­zar cri­té­ri­os, sob o con­tro­lo de uma en­ti­da­de tu­te­la­da pe­las Fi­nan­ças.

Jornal de Negócios - - ECONOMIA - Má­rio Cruz/Lusa CAP

O Go­ver­no quer al­te­rar as re­gras dos con­cur­sos na Ad­mi­nis­tra­ção Pú­bli­ca, apos­tan­do num re­cru­ta­men­to cen­tra­li­za­do que se­lec­ci­o­ne fun­ci­o­ná­ri­os de qual­quer car­rei­ra ou ca­te­go­ria pa­ra um con­jun­to de en­ti­da­des pú­bli­cas, even­tu­al­men­te de di­fe­ren­tes sec­to­res.

Até aqui exis­ti­am es­sen­ci­al­men­te dois ti­pos de con­cur­so: o que se di­ri­gia ao re­cru­ta­men­to ime­di­a­to pa­ra os lugares nos ma­pas de pes­so­al dos ser­vi­ços (ou pa­ra fu­tu­ras ne­ces­si­da­des); e o que se des­ti­na a cons­ti­tuir reservas pa­ra fu­tu­ro.

No projecto de por­ta­ria apre­sen­ta­do aos sin­di­ca­tos in­tro­duz- -se ago­ra uma ter­cei­ra mo­da­li­da­de de “re­cru­ta­men­to cen­tra­li­za­do pa­ra sa­tis­fa­ção de ne­ces­si­da­des de um con­jun­to de em­pre­ga­do­res pú­bli­cos”. Es­te pro­ce­di­men­to abran­ge tan­to a cons­ti­tui­ção das reservas de re­cru­ta­men­to na Di­rec­ção- Ge­ral da Qua­li­fi­ca­ção dos Tra­ba­lha­do­res em Fun­ções Pú­bli­cas (INA) – tu­te­la­da pe­las Fi­nan­ças – co­mo as ofer­tas de co­lo­ca­ção que daí de­cor­rem.

No pró­xi­mo ano, o Es­ta­do irá re­cru­tar cerca de mil no­vos pro­fis­si­o­nais com for­ma­ção su­pe­ri­or, anun­ci­ou em Ju­lho o pri­mei­ro-mi­nis­tro, An­tó­nio Cos­ta. Em Maio, no Par­la­men­to, o mi­nis­tro das Fi­nan­ças já tinha as­su­mi­do que que­ria lan­çar con­cur­sos pa­ra cons­ti­tuir reservas de re­cru­ta­men­to cen­tra­li­za­das, ge­ran­do “ga­nhos de efi­ci­ên­cia” e fa­ci­li­tan­do a for­ma­ção.

Con­tu­do, tal co­mo tam­bém ex­pli­cou Má­rio Cen­te­no, o lan­ça­men­to des­tes con­cur­sos de­ve­ria ser pre­ce­di­do da apre­sen­ta­ção de um pla­no plu­ri­a­nu­al de con­tra­ta­ções, de­ta­lha­do por ser­vi­ço, que nos ter­mos da Lei do Or­ça­men­to do Es­ta­do pa­ra 2018 de­ve­ria ter si­do di­vul­ga­do até 31 de Maio. Qu­an­do em Agos­to o Ne­gó­ci­os re­fe­riu o atra­so, o Mi­nis­té­rio das Fi­nan­ças ga­ran­tiu que o pla­no se­ria di­vul­ga­do “opor­tu­na­men­te”. Es­ta quin­ta-fei­ra não res­pon­deu às ques­tões so­bre o as­sun­to.

José Abraão, di­ri­gen­te da Fe­sap, ex­pli­ca que até aqui a re­gra era o lan­ça­men­to de con­cur­sos pa­ra ad­mi­tir, por exem­plo, dez fun­ci­o­ná­ri­os e dei­xar ou­tros dez em re­ser­va. “Ago­ra, os mi­nis­té- ri­os da Jus­ti­ça, das Fi­nan­ças e da Eco­no­mia po­dem lan­çar con­cur­sos pa­ra as­sis­ten­tes téc­ni­cos”, ilus­tra. “É mais um ins­tru­men­to de con­tro­lo das ad­mis­sões.”

Cri­té­ri­os fa­vo­re­cem can­di­da­tos mais no­vos

Se­rá com ba­se no ma­pa anu­al glo­bal de re­cru­ta­men­tos au­to­ri­za­dos (o cha­ma­do MARA, que não é co­nhe­ci­do) que as Fi­nan­ças po­dem pe­dir ao INA um con­cur­so. O INA pu­bli­ca o des­pa­cho e de­sig­na o jú­ri. Ter­mi­na­do o pra­zo de can­di­da­tu­ras, que é de 10 a 15 di­as úteis, o jú­ri va­li­da os can­di­da­tos.

De acor­do com o projecto de por­ta­ria, os mé­to­dos de selecção a apli­car são a pro­va de co­nhe­ci­men­tos (70%) e a ava­li­a­ção psi­co­ló­gi­ca (30%). Em ca­so de de­sem­pa­te têm pre­fe­rên­cia os ex-con­tra­ta­dos a ter­mo, os que têm mai­or grau de ha­bi­li­ta­ção, mai­or mé­dia fi­nal de cur­so, ou que não ve­nham do pri­va­do, por es­ta or­dem.

O projecto de por­ta­ria dá pre­fe­rên­cia às can­di­da­tu­ras elec­tró­ni­cas e ga­ran­te a divulgação de va­gas pa­ra pes­so­as com de­fi­ci­ên­cia. São cri­a­das re­gras pa­ra agi­li­zar con­cur­sos mai­o­res.

“Es­tes pro­ce­di­men­tos cen­tra­li­za­dos tra­rão evi­den­tes ga­nhos de efi­ci­ên­cia (...), per­mi­tin­do dar ade­qua­da for­ma­ção. MÁ­RIO CEN­TE­NO Mi­nis­tro das Fi­nan­ças, a 23 de Maio, no Par­la­men­to

An­tó­nio Cos­ta anun­ci­ou a con­tra­ta­ção de mil fun­ci­o­ná­ri­os qua­li­fi­ca­dos.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.