An­ne­gret Kramp-Kar­ren­bau­er A pro­te­gi­da de Mer­kel

Jornal de Negócios - - ECONOMIA -

Co­nhe­ci­da pe­lo acró­ni­mo AKK, An­ne­gret Kramp-Kar­ren­bau­er (56 anos de ida­de) tor­nou-se se­cre­tá­ria-ge­ral da CDU em Fe­ve­rei­ro des­te ano, fi­can­do res­pon­sá­vel pe­la or­ga­ni­za­ção in­ter­na do par­ti­do. AKK é vis­ta co­mo a del­fim e pro­te­gi­da da chanceler e a pre­fe­ri­da de Mer­kel pa­ra a sua su­ces­são. Em Ou­tu­bro, na sequên­cia de no­vo mau re­sul­ta­do elei­to­ral dos de­mo­cra­tas-cris­tãos no es­ta­do de Hes­se, Mer­kel anun­ci­ou a não re­can­di­da­tu­ra à che­fia da CDU e a saí­da da po­lí­ti­ca em 2021, is­to se con­se­guir cum­prir os três anos que fal­tam da ac­tu­al le­gis­la­tu­ra.

Tal co­mo An­ge­la Mer­kel, a ex-lí­der do Go­ver­no do Es­ta­do de Sa­ar­land (2011-2018) si­tua-se ide­o­lo­gi­ca­men­te ao cen­tro da CDU, com um pen­sa­men­to mo­de­ra­do. No en­tan­to, em te­mas co­mo a po­lí­ti­ca mi­gra­tó­ria ou em ques­tões de cos­tu­mes tem po­si­ções mais con­ser­va­do­ras do que a chanceler. So­bre o aco­lhi­men­to de re­fu­gi­a­dos, por exem­plo, de­fen­deu a proi­bi­ção de en­tra­da na Ale­ma­nha de to­dos os re­que­ren­tes de asi­lo condenados por cri­mes gra­ves, uma po­si­ção que si­na­li­za al­gum afas­ta­men­to re­la­ti­va­men­te a Mer­kel.

Se­ja co­mo for, é en­tre os três can­di­da­tos quem es­tá mais pró­xi­ma da chanceler. Ou se­ja, é quem ga­ran­te uma li­nha de con­ti­nui­da­de fa­ce aos úl­ti­mos anos, de­ven­do man­ter o cen­tris­mo im­pri­mi­do pe­la chanceler. Não es­pan­ta, por­tan­to, que se­ja mui­tas ve­zes ape­li­da­da de “mi­ni Mer­kel”. O tra­jec­to po­lí­ti­co de AKK mos­tra al­guém com ex­pe­ri­ên­cia po­lí­ti­ca, ha­bi­tu­a­da a dis­pu­tar cam­pa­nhas elei­to­rais e a ven­cer elei­ções.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.