Jens Spahn Con­ser­va­dor do fu­tu­ro

Jornal de Negócios - - ECONOMIA -

“A CDU pre­ci­sa de uma re­al mu­dan­ça ge­ra­ci­o­nal.

O ac­tu­al mi­nis­tro da Saú­de é o mais jo­vem dos can­di­da­tos (38 anos) e é tam­bém aque­le que dis­põe de me­no­res pos­si­bi­li­da­des de vi­tó­ria. Qu­an­do, já es­te ano, foi es­co­lhi­do por Mer­kel pa­ra o seu der­ra­dei­ro go­ver­no, es­sa de­ci­são foi ob­ser­va­da co­mo mais uma jo­ga­da da chanceler pa­ra “apa­gar” mais um ad­ver­sá­rio in­ter­no.

À se­me­lhan­ça de Fri­e­dri­ch Merz, tam­bém Spahn vem do mun­do da ban­ca e ofe­re­ce um ca­mi­nho dis­tin­to re­la­ti­va­men­te à CDU dos úl­ti­mos anos, mais à di­rei­ta e mais con­ser­va­dor. Ten­do as­su­mi­do a li­de­ran­ça do blo­co mais crí­ti­co da chanceler no seio da CDU, Spahn apos­tou, an­tes de ir pa­ra o go­ver­no, nu­ma re­tó­ri­ca com pin­ce­la­das po­pu­lis­tas, de­sig­na­da­men­te em ques­tões re­la­ci­o­na­das com imi­gran­tes ou po­lí­ti­ca eu­ro­peia. To­da­via, o res­sur­gi­men­to de Merz re­ti­rou-lhe boa par­te dos apoi­os da fac­ção mais à di­rei­ta do par­ti­do, re­du­zin­do a mar­gem de ac­tu­a­ção do ti­tu­lar da pas­ta da Saú­de.

Ca­tó­li­co e gay, é um po­lí­ti­co po­la­ri­za­dor, des­de lo­go por­que tem tam­bém uma veia con­ser­va­do­ra mui­to vin­ca­da, o que por ve­zes le­va a con­tra­di­ções en­tre dis­cur­so e prá­ti­ca. Mes­mo per­den­do es­ta elei­ção, pa­ra a qual sur­ge co­mo o can­di­da­to me­nos co­ta­do, te­rá se­gu­ra­men­te ou­tras opor­tu­ni­da­des no fu­tu­ro. Schäu­ble já dis­se que Spahn é uma das prin­ci­pais “es­pe­ran­ças” pa­ra o fu­tu­ro da CDU. A juventude de Spahn é, po­rém, uma fa­ca de dois gu­mes, já que par­te da CDU con­si­de­ra que ele é ain­da mui­to no­vo pa­ra li­de­rar o país e, con­se­quen­te­men­te o go­ver­no fe­de­ral.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.