EDI­TO­RI­AL

Jornal de Notícias - JN + Evasões - - EDITORIAL - DO­RA MO­TA

A pro­va de que pas­se­ar por Por­tu­gal é um des­lum­bra­men­to per­pé­tuo che­ga-nos a ca­da se­ma­na em que pe­di­mos tra­ba­lho aos jor­na­lis­tas da Eva­sões. Ou lhes pe­di­mos que nos con­tem os pla­nos de fol­ga que aju­dam a com­por es­tas no­vas du­as pá­gi­nas. É ra­ro não sal­ta­rem idei­as, su­ges­tões ou memórias de lu­ga­res on­de va­le a pe­na ir. E vol­tar. Ain­da nun­ca acon­te­ceu al­guém re­gres­sar de uma re­por­ta­gem pa­ra o ro­tei­ro de fim de se­ma­na sem mui­to pa­ra con­tar – e ad­mi­tin­do que não es­pe­ra­va ver o que viu, co­nhe­cer quem co­nhe­ceu ou até co­mer tão bem.

Acon­te­ceu no­va­men­te nes­ta se­ma­na com a Ana Luí­sa San­tos, que é de Gaia, a vol­tar en­can­ta­da com Vi­la Praia de Âncora, pa­ra on­de foi des­co­brir co­mo se faz um be­lís­si­mo pas­seio de in­ver­no nu­ma zo­na co­nhe­ci­da por ser de ve­ra­neio. Te­ve a for­tu­na de en­con­trar bons gui­as (in­cluin­do o seu par­cei­ro de re­por­ta­gem, o fo­to­jor­na­lis­ta Rui Ma­nu­el Fon­se­ca, que é de Ca­mi­nha), que a con­du­zi­ram àque­les lu­ga­res que só os lo­cais co­nhe­cem. A Ana Luí­sa te­ve a sor­te – e a res­pon­sa­bi­li­da­de – de par­ti­lhar al­guns des­ses te­sou­ros en­tre o mar e a ser­ra nes­ta edi­ção.

O mes­mo acon­te­ceu com o res­to da equi­pa, uma vez que es­te te­ma de ca­pa se faz com al­gu­mas das me­lho­res re­cor­da­ções de re­por­ta­gem dos úl­ti­mos me­ses. Elas tra­du­zi­ram-se em pro­pos­tas bem con­cre­tas pa­ra pas­se­ar, fi­car, co­mer e vi­si­tar nes­te 2019 re­che­a­do de opor­tu­ni­da­des de escapadelas. São fe­ri­a­dos na­ci­o­nais a ca­lhar à sex­ta ou, me­lhor ain­da, à ter­ça ou à quin­ta, per­mi­tin­do que com um dia de fé­ri­as se pos­sam fa­zer pla­nos pa­ra qua­tro di­as. E há ain­da, em al­guns con­ce­lhos, fe­ri­a­dos municipais que tam­bém con­vi­dam a fa­zer pon­tes.

Por is­so, guar­de es­ta Eva­sões e use-a pa­ra fa­zer que aqui­lo que não vol­ta pa­ra trás – o seu tem­po – se­ja bem apro­vei­ta­do a des­co­brir es­te país tão bo­ni­to (à vis­ta e ao co­ra­ção). Por­que se o tem­po não vol­ta pa­ra trás, o pen­sa­men­to vol­ta sem­pre que qui­ser. E as memórias de mo­men­tos bem pas­sa­dos são cer­ta­men­te o me­lhor que se le­va des­ta vi­da. Bo­as eva­sões.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.