Ku­ra O DJ sem fron­tei­ras

Tem 31 anos, pou­co mais do que uma dé­ca­da de car­rei­ra e é o por­tu­guês mais bem co­ta­do de sem­pre no ran­king de uma das re­vis­tas in­ter­na­ci­o­nais de re­fe­rên­cia da mú­si­ca ele­tró­ni­ca.

Jornal de Notícias - JN + Noticias Magazine - - Portugueses Extraordinários -

A agenda de DJ Ku­ra diz tu­do. São vi­a­gens atrás de vi­a­gens, me­ses que co­me­çam em Por­tu­gal, pas­sam pe­la Ásia, vão aos Es­ta­dos Uni­dos, atra­ves­sam a Eu­ro­pa. Uma azá­fa­ma de atu­a­ções ao vi­vo Mun­do fo­ra, so­li­ci­ta­ções que con­fir­mam o es­ta­tu­to que al­can­çou no pa­no­ra­ma da mú­si­ca ele­tró­ni­ca in­ter­na­ci­o­nal. O pré­mio, qual ce­re­ja a co­brir bo­lo já bem re­che­a­do com re­co­nhe­ci­men­to e su­ces­so, che­gou com o 39.º lu­gar do ran­king da “DJ Mag”, pu­bli­ca­ção bri­tâ­ni­ca re­fe­rên­cia da mú­si­ca ele­tró­ni­ca, que lhe con­fe­riu o tí­tu­lo de DJ por­tu­guês mais bem re­fe­ren­ci­a­do a ní­vel in­ter­na­ci­o­nal da atu­a­li­da­de. “Foi uma vo­ta­ção aber­ta ao pú­bli­co, de po­pu­la­ri­da­de. Não es­ta­va mes­mo à es­pe­ra des­te ex­ce­len­te si­nal de apoio das pes­so­as”, con­fes­sa Ku­ra, pseu­dó­ni­mo mu­si­cal de Rú­ben de Al­mei­da, 31 anos. A al­cu­nha vem dos tem­pos em que fa­zia da ar­te ur­ba­na e do hip-hop mo­tes de vi­da ar­tís­ti­ca. “Os meus ami­gos cha­ma­vam-me to­dos as­sim e foi fi­can­do.”

Na­tu­ral de Lei­ria, há mui­to que as fron­tei­ras de Ku­ra ul­tra­pas­sa­ram mar­gens e mu­ros, gra­ças aos rit­mos com que foi in­cen­di­an­do pis­tas de dan­ça com ori­gi­nais que cau­sa­ram fu­ror e cha­ma­ram a aten­ção in­ter­na­ci­o­nal. Tan­to as­sim que não tar­dou che­gar-lhe, há qua­tro anos, o con­vi­te da Spin­nin’Re­cords, pro­du­to­ra ho­lan­de­sa que é au­tên­ti­ca ca­te­dral dos me­lho­res no­mes da ce­na te­ch­no e hou­se, en­tre ou­tras. “A mi­nha mú­si­ca pas­sou a che­gar

a paí­ses on­de as pes­so­as não te­ri­am a opor­tu­ni­da­de de a ou­vir se não a gra­vas­se pa­ra a Spin­nin”, diz.

An­tes de as­si­nar pe­la Spin­nin’Re­cords, Ku­ra ti­nha já si­do vo­ta­do

o oi­ta­vo me­lhor pro­du­tor de Big Ro­om (no­me prin­ci­pal de uma sa­la de dis­co­te­ca) e de três números um no top de ven­das da Be­at­port, si­te de com­pra de mú­si­ca ele­tró­ni­ca.

“O que fa­ço tem mui­to que ver com o meu gos­to pes­so­al. Ló­gi­co que a res­pon­sa­bi­li­da­de vai au­men­tan­do, mas con­ti­nuo a fa­zer as coi­sas de for­ma qua­se pu­ris­ta e não tan­to por ob­je­ti­vos. É amor à mú­si­ca, sim­ples­men­te”, de­fi­ne Ku­ra.

Quan­do fa­lou à “No­tí­ci­as Ma­ga­zi­ne”, Ku­ra en­con­tra­va-se num dos cur­tos in­ter­va­los que lhe per­mi­ti­ram re­gres­sar a Por­tu­gal. In­do­né­sia, Ja­pão, Vi­et­na­me, Chi­na, Tai­lân­dia, Amé­ri­ca do Sul e No­va Ior­que fo­ram per­cur­sos per­cor­ri­dos só nes­te úl­ti­mo par de me­ses de 2018. A agenda, lá es­tá ela a ser­vir no­va­men­te de pro­va, con­fir­ma que a no­to­ri­e­da­de e a in­fluên­cia de Ku­ra na mú­si­ca ele­tró­ni­ca são já in­des­men­tí­veis. ●m

o ano in­tei­ro M A agenda de Ku­ra é pre­en­chi­da com con­cer­tos es­pa­lha­dos por to­do o Mun­do du­ran­te

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.