Jornal Madeira

GLÓRIAS DÃO O MOTE

Jantar de homenagem a Heitor reuniu futebolist­as de várias gerações que ajudaram a construir um Marítimo de primeira. Confiança é palavra de ordem.

- Por Hélder Teixeira helder.teixeira@jm-madeira.pt

O Marítimo terá que levar a melhor sobre o Estrela da Amadora no play-off de manutenção da I Liga, nos próximos dias 3 e 11 de junho, para evitar a descida ao segundo escalão, isto quase quatro décadas depois da última vez.

No jantar de homenagem ao ex-futebolist­a Heitor, que decorreu ontem no Estádio do Marítimo – e que contou com a presença de jogadores verde-rubros das várias gerações que ajudaram a construir a rica história do centenário emblema do Almirante Reis –, o sentimento era unânime: o Marítimo tem capacidade para se manter no patamar maior do futebol nacional.

O homenagead­o Heitor - que perdura na lembrança dos adeptos verde-rubros, sobretudo pela forma como executava lances de bola parada – continua a acompanhar a carreira do clube no seu Brasil natal e não tem dúvidas que o Marítimo tem tudo para assegurar a manutenção. “Este ano foi um ano difícil. Em muitas ocasiões, o Marítimo jogou um bom futebol, mas os resultados não acontecera­m. Nesta reta final houve uma luz no caminho. Estou confiante que o Marítimo vai superar o play-off”, sublinha o ex-lateral, que vestiu de verde e rubro na primeira metade dos anos 1990 e que lamenta que no futebol moderno sejam cada vez mais raros os jogadores que decidem desafios através de lances de bola parada.

Quando Heitor – com dois filhos nascidos na ilha – estava prestes a terminar a carreira, surgiam na equipa principal do Marítimo jovens madeirense­s que dariam continuida­de à história de um Marítimo de primeira, casos de Bruno e de Zeca. Os médios que um dia envergaria­m a braçadeira de capitão pedem “atitude”, “inteligênc­ia” e “energia positiva” para levar a melhor no play-off.

“Ninguém queria estar nesta situação. É um momento de união e um momento de apoio. É preciso manter esta atitude que o Marítimo tem tido nos últimos jogos e acreditar que será possível ficar na I Liga. Mas há que respeitar o Estrela da Amadora, que joga numa divisão onde há muito combate, o Marítimo tem que estar preparado para isso”, afirma o ex-camisola 10 Bruno, que confessa que não estava à espera desta situação, contudo assume que “quem anda no futebol tem que estar preparado para estas situações e há que trabalhar para reverter a situação”.

Já Zeca pede garra, reforçando a importânci­a que é representa­r o ‘Leão do Almirante’.

“As expectativ­as eram outras, mas neste momento o nosso pensamento está em ganhar o play-off. O mais importante é estarmos todos com energia positiva, que as coisas vão correr bem. Há que entrar com garra e sentir verdadeira­mente a nossa camisola, porque o Marítimo merece. Há que dar tudo em campo”, refere o antigo camisola 7.

 ?? ??

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal