Te­nha uma prós­ta­ta de fer­ro

TEM O TA­MA­NHO DE UMA CAS­TA­NHA E É QUAN­DO CRES­CE QUE TODOS OS ALARMES CO­ME­ÇAM A SO­AR. APREN­DA A CUI­DAR DA SUA PRÓS­TA­TA. / POR DA­NI­E­LA COS­TA TEI­XEI­RA

Men's Health (Portugal) - - Mh 100% Útil -

COMECEMOS POR TIRAR TO­DAS AS DÚ­VI­DAS:

não é pre­ci­so che­gar à meia-ida­de pa­ra co­me­çar a pre­o­cu­par-se com a prós­ta­ta. Tu­do o que faz ago­ra tem im­pac­to no fun­ci­o­na­men­to e de­sen­vol­vi­men­to des­ta glân­du­la do apa­re­lho uro-ge­ni­tá­rio mas­cu­li­no, res­pon­sá­vel pe­la se­cre­ção das subs­tân­ci­as flui­di­fi­ca­do­ras do sé­men, as­sim co­mo pe­la ca­pa­ci­da­de de eja­cu­la­ção do mes­mo.

Ape­sar de ser a par­tir dos 50 que o ta­ma­nho da prós­ta­ta ten­de a cres­cer, a ver­da­de é que os cui­da­dos de­vem ser ti­dos em con­ta o quan­to an­tes – sim, já e ago­ra! Se­gun­do Adriana Ter­rá­dez, di­re­to­ra da On­coDNA, os exa­mes pe­rió­di­cos fa­zem par­te de to­do o pro­ces­so de pre­ven­ção, as­sim co­mo o há­bi­to de pres­tar aten­ção aos si­nais que o cor­po vai dan­do – e “a ne­ces­si­da­de de uri­nar mais ve­zes do que o ha­bi­tu­al” po­de ser um dos prin­ci­pais mo­ti­vos de pre­o­cu­pa­ção.

Co­mo não po­de­ria dei­xar de ser, “ter há­bi­tos de vi­da sau­dá­veis e ati­vos po­de aju­dar a man­ter a saú­de da prós­ta­ta, em­bo­ra a me­lhor de­fe­sa se­ja sem­pre ir ao uro­lo­gis­ta re­gu­lar­men­te”, pois, des­ta­ca, “gra­ças aos exa­mes de di­ag­nós­ti­co, os pro­ble­mas po­dem ser de­te­ta­dos pre­co­ce­men­te. E es­sa é a me­lhor ma­nei­ra de avan­çar e ven­cer o ‘jo­go’ o mais rá­pi­do pos­sí­vel”. Tu­do por uma prós­ta­ta de fer­ro:

Bom es­ti­lo de vi­da

“Pa­ra co­me­çar, há que le­var uma vi­da ati­va e evi­tar um es­ti­lo de vi­da se­den­tá­rio. Vá­ri­os es­tu­dos su­ge­rem que ho­mens obe­sos são mais pro­pen­sos a so­frer de can­cro de prós­ta­ta. As­sim, e por­que o exer­cí­cio tem mui­tos outros be­ne­fí­ci­os pa­ra a saú­de, é im­por­tan­te fi­car em for­ma, ca­da um na me­di­da das su­as ca­pa­ci­da­des. “Co­mo a maioria dos mé­di­cos re­co­men­da, um pas­seio diá­rio de 30 mi­nu­tos po­de ser uma boa ma­nei­ra de co­me­çar. Por ou­tro la­do, um des­por­to in­ti­ma­men­te li­ga­do aos pro­ble­mas da prós­ta­ta é o ci­clis­mo. Por­tan­to, o uso con­tí­nuo e ex­ces­si­vo da bi­ci­cle­ta é de­sen­co­ra­ja­do”.

Boa hi­gi­e­ne

“A hi­gi­e­ne diá­ria ade­qua­da é es­sen­ci­al, evi­tan­do o má­xi­mo pos­sí­vel a água fria e mu­dan­ças sú­bi­tas de tem­pe­ra­tu­ra”.

Bom se­xo

“Uma vi­da se­xu­al sau­dá­vel e sa­tis­fa­tó­ria é es­sen­ci­al pa­ra man­ter a boa saú­de da prós­ta­ta. É im­por­tan­te não ter re­la­ci­o­na­men­tos ar­ris­ca­dos e des­pro­te­gi­dos, pois po­dem cau­sar o efeito opos­to, pro­mo­ven­do do­en­ças ve­né­re­as que têm uma in­fluên­cia mui­to ne­ga­ti­va so­bre o sis­te­ma ge­ni­tu­ri­ná­rio do ho­mem”.

Boa co­mi­da

“A ali­men­ta­ção de­ve ser cui­da­da. O ho­mem tem de re­du­zir a in­ges­tão de gor­du­ras, es­pe­ci­al­men­te gor­du­ras sa­tu­ra­das, evi­tar cer­tos pro­du­tos, co­mo sal­si­chas e gor­du­ras ani­mais, e co­mer mo­de­ra­da­men­te car­ne, no­zes, óle­os ve­ge­tais (se pos­sí­vel azei­te) e pro­du­tos lác­te­os des­na­ta­dos. Um bom nú­me­ro de es­tu­dos tem as­so­ci­a­do gor­du­ras ani­mais com um ris­co au­men­ta­do de can­cro da prós­ta­ta, e é por is­so que o me­lhor é evi­tá-las”.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.