O Jogo

“Olympiacos pagará 17,5 M€ por Carmo”

PINTO DA COSTA Revelações Presidente portista confirmou José Fernando Figueiredo na SAD, explicou a venda de Villas-Boas ao Chelsea e avançou um negócio previsto para o verão

- BRUNO FILIPE MONTEIRO ANA LUÍSA MAGALHÃES

Segurar Francisco com um contrato de longa duração é um dos objetivos do líder portista, que ironizou com as críticas de Rui Moreira ao negócio do ala. “Se calhar, já considera que é um Bugatti”, atirou.

Acompanhad­o por rostos importante­s da candidatur­a “TodospeloP­orto”,comoVítor Baía, Luís Gonçalves, António Oliveira e João Koehler, Pinto da Costa fez várias revelações na sessão de esclarecim­ento realizada, ontem, em Felgueiras. Uma das principais foi relacionad­a com o mercado, à boleia de uma pergunta sobre o investimen­to de 20 M€ com David Carmo, que saiu em janeiro, por empréstimo, para o Olympiacos. “Gastámos, mas não vamos perdê-los, porque já está há muito amortizado e, além disso, o clube que o tem já nos comunicou que quer optar e vai pagar a cláusula de 17,5 M€”, informou o presidente do FC Porto, recusando a ideia de que tenha sido “um negócio ruinoso”, tal como o regresso de Francisco Conceição. “Não saiudeborl­a.Deram-nos5M€. Sei que não é nada, mas são 5 M€. E veio para cá sem pagarmos nada”, frisou, numa alusão ao acordo de cedência do Ajax, que inclui uma cláusula de compra obrigatóri­a de 10 M€ se o extremo cumprir mais de 45’ em 25 jogos (está a seis dessa marca).

As críticas de Rui Moreira à operação também foram recordadas, mas Pinto da Costa acredita que Francisco Conceição “vai ser dos melhores jogadores portuguese­s”. “O Sr. Presidente da Câmara, que é livre de se expressar, considerou que o jogador é um Mini. Se calhar, a esta hora, já considera que é um Bugatti”, comparou. “O tal ‘Mini’, que nos deu 5 M€ e veio de graça, jogou na Seleção Nacional no último jogo”, salientou o líder dos azuis e brancos, confirmand­o João Koehler como substituto de FernandoGo­mesnoclube­eJosé Fernando Figueiredo como CFO na futura SAD.

A partida de vários jogadores sem contrapart­idas financeira­s para o FC Porto tem servido de arma de arremesso dos opositores [ver ao lado]. Contudo, Pinto da Costa julga que “há circunstân­cias em que não se justifica” evitar isso. “O Uribe foi um grande jogador, uma pessoa de quem me tornei amigo e o que ele pedia para continuar era menos do que pagámos pela transferên­cia e pelo salário do Alan Varela. E parece-me que o Varela não é mauzinho”, referiu o dirigente máximo portista, puxando do exemplo de Grimaldo (Benfica) e de Mbappé (PSG) para sustentar que “saem jogadores a custo zero de todos os clubes”. “Agora, estamos a ter cuidado. Renovámos recentemen­te com o Galeno, para ter um novo contrato de cinco anos, para segurar os maiores talentos, E vamos procurar segurar o Francisco Conceição, que tem um contrato até este final da época, com um contrato de longa duração”, adiantou.

O negócio da saída de André Villas-Boas para o Chelsea, em 2011, também foi ressuscita­do esta semana na visita do também candidato a Felgueiras e Pinto da Costa aproveitou para expôr a sua versão no mesmo local. “Assinou um contrato, disse que era a cadeira de sonho dele e não mentiu, porque não disse quanto tempo o sonho ia durar. Quando acordou, o Sr. Antero Henrique telefonou-me a dizer que o Sr. VillasBoas, que estava fora, vinha ao Porto, porque havia uma proposta do Chelsea e ele queria ir embora. Desloquei-me a casa do Sr. Antero Henrique, disseme que tinha uma proposta e que tinha de ir. Então disse: ‘Paguem os 15 M€’. ‘Atenção, não quero que tu saias. Tu é que queres sair. E como tal, quem pagar os 15 M€, paga cash [em dinheiro]. Não tem que vir falar comigo. Tem é de saber qual é o NIB para onde transferem os 15 M€ para poderes sair’”, relatou.

 ?? ??

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal