O Jogo

Será que tudo se resume a dois jogos?

- Manuel Moura dos Santos Manuel Moura dos Santos escreve de acordo com a antiga ortografia

Na próxima semana o Sporting defronta duas vezes o Benfica no espaço de quatro dias.

O primeiro jogo será no Estádio da Luz, onde se decidirá a presença na final da Taça de Portugal. O Sporting leva uma pequena vantagem (2-1), mas por culpa própria, pois teve ocasiões no 1.º jogo para jogar este segundo jogo com uma vantagem mais confortáve­l. Se jogarmos o futebol que exibimos na 1.ª volta da liga, na Luz, e sobretudo se acabarmos com 11 jogadores em campo, temos boas hipóteses de ter sucesso. É claro que o opositor é o Benfica, o que torna o jogo e o resultado imprevisív­eis. A irregulari­dade exibiciona­l do Benfica não o tem impedido de estar a disputar o título de campeão da Liga, e o acesso à final da Taça de Portugal. Nestes jogos, o momento da cada equipa é irrelevant­e, pois estes dérbis têm caracterís­ticas especiais, em que a história e a rivalidade têm um peso suplementa­r. O Sporting conhece bem o Benfica, e Rúben Amorim saberá montar uma estratégia ganhadora. Ainda que o empate seja suficiente, e a pressão esteja sobretudo do lado do Benfica, o Sporting tem que jogar para ganhar, pois são os audazes que ficam na história.

O segundo jogo será em Alvalade, e será decisivo para as contas do campeonato. Mais uma vez só a vitória interessa ao Sporting, pois permitirá aumentar a diferença pontual para o seu rival eterno. O empate deixará tudo na mesma com o Porto a aproximar-se. A derrota dará a liderança da liga ao Benfica.

Esta é uma fase decisiva em que é fundamenta­l manter a liderança da competição. Uma vitória das cores leoninas deixará o Benfica duplamente pressionad­o, com o Sporting mais longe e o Porto mais perto.

Não tenho qualquer dúvida que Rúben Amorim sabe perfeitame­nte o contexto em que este jogo se realiza, e da importânci­a de o ganhar.

Jogamos o melhor futebol da primeira liga, mas isso só por si não dá vitorias. É preciso muito foco e concentraç­ão para ganhar ao Benfica.

Espero sinceramen­te que João Pinheiro não seja nomeado para nenhum destes dois jogos. Nem como apanha-bolas.

Com este conhecido anti-sportingui­sta a arbitrar, o Sporting entra a jogar contra doze. A nomeação deste árbitro será um insulto e uma

“Espero sinceramen­te que João Pinheiro não seja nomeado para nenhum destes dois jogos. Nem como apanha-bolas”

provocação à instituiçã­o Sporting Clube de Portugal. Ganhámos ao Estrela da Amadora com toda a justiça por uma simples razão: fomos melhores.

Mais uma vez entrámos no jogo a perder, com uma nova fífia de Franco Israel. Começam a ser fífias a mais, e o meu clube tem que avaliar seriamente da necessidad­e de ter um guarda-redes com outro estofo.

Trincão está em grande forma, e foi decisivo para sairmos vitoriosos da Amadora.

Até para a semana.

 ?? ??
 ?? ??

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal