No­va Op­ti­fo­rum quer es­tar ao la­do dos pro­fis­si­o­nais

OftalPro - - NOTÍCIAS -

A equi­pa da Of­talP­ro mar­cou pre­sen­ça no al­mo­ço de na­tal da No­va Op­ti­fo­rum, al­tu­ra em que con­ver­sou com An­tó­nio Bor­ges, o di­re­tor ge­ral da em­pre­sa. Pa­ra o res­pon­sá­vel, es­te con­ví­vio ser­viu tam­bém pa­ra re­fle­tir so­bre o ano que ter­mi­na­va e co­me­çar a pre­pa­rar al­gu­mas no­vas es­tra­té­gi­as pa­ra 2014. “Fa­ço um ba­lan­ço po­si­ti­vo do tra­ba­lho efe­tu­a­do em 2013. Ago­ra, te­mos que ana­li­sar o que não se fez – ou se fez me­nos bem – e apli­car no­vas idei­as”. Qu­an­do qu­es­ti­o­na­do so­bre o que di­fe­re a No­va Op­ti­fo­rum das res­tan­tes em­pre­sas, An­tó­nio Bor­ges fa­lou-nos do ni­cho de mer­ca­do com que tra­ba­lham. “De­di­ca­mo-nos, ca­da vez mais, às len­tes de con­tac­to es­pe­ci­ais, pa­ra si­tu­a­ções de que­ra­to­co­nes e cór­ne­as ir­re­gu­la­res, en­tre ou­tras. É um ni­cho de ne­gó­cio gran­de, re­pre­sen­ta cer­ca de 40 por cen­to do mer­ca­do das len­tes de con­tac­to. Nos res­tan­tes 60 por cen­to, en­con­tram-se to­das as ou­tras em­pre­sas que tra­ba­lham as des­car­tá­veis. A No­va Op­ti­fo­rum es­tá nos dois mer­ca­dos, pois quer aju­dar os pro­fis­si­o­nais a ven­der, a sa­tis­fa­zer to­das as ne­ces­si­da­des dos seus cli­en­tes”. O res­pon­sá­vel acres­cen­tou ain­da que, “pa­ra além do apoio e as­sis­tên­cia que prestamos, os es­pe­ci­a­lis­tas po­dem es­pe­rar de nós mui­ta for­ma­ção. Tra­ba­lhar com si­tu­a­ções di­fe­ren­tes, que fo­gem à re­gra (co­mo é o ca­so dos que­ra­to­co­nes), exi­ge so­lu­ções es­pe­cí­fi­cas. E os óp­ti­cos/op­to­me­tris­tas pre­ci­sam de for­ma­ção nes­se sen­ti­do. Os que se es­pe­ci­a­li­zam nes­ta ma­té­ria têm ca­da vez mais cli­en­tes nos seus ga­bi­ne­tes, por­que re­sol­vem, e bem, os pro­ble­mas des­sas pes­so­as... é sem­pre uma mais-va­lia pa­ra os pro­fis­si­o­nais e, cla­ro, pa­ra os pa­ci­en­tes”.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.