SPO aler­ta pa­ra a con­jun­ti­vi­te

OftalPro - - NOTÍCIAS -

A So­ci­e­da­de Por­tu­gue­sa de Of­tal­mo­lo­gia (SPO) avi­sa os por­tu­gue­ses que o au­men­to de po­li­ni­za­ção, tí­pi­co des­ta épo­ca, po­de au­men­tar o ris­co de con­trair con­jun­ti­vi­te alér­gi­ca. Em­bo­ra não se­ja uma do­en­ça pro­pri­a­men­te gra­ve, cau­sa um gran­de mal es­tar no pa­ci­en­te co­mo ver­me­lhi­dão, ar­dor e co­cei­ra nos olhos. Segundo Pau­lo Tor­res, pre­si­den­te da SPO, es­ta va­ri­an­te “é uma do­en­ça in­fla­ma­tó­ria da su­per­fí­cie ocu­lar ex­ter­na”, que se ma­ni­fes­ta tam­bém “atra­vés do pru­ri­do, fo­to­fo­bia e la­cri­me­jo”. Es­te ti­po de con­jun­ti­vi­te ma­ni­fes­ta-se mai­o­ri­ta­ri­a­men­te em am­bos os olhos e, mui­tas ve­zes, es­tá as­so­ci­a­da à ri­ni­te alér­gi­ca. Em es­pe­ci­al, a pri­ma­ve­ra é a al­tu­ra do ano em que uma mai­or quan­ti­da­de de pó­len vagueia pe­lo ar, o que au­men­ta a quan­ti­da­de de ca­sos de aler­gia. O ou­to­no tam­bém é par­ti­cu­lar­men­te des­pro­po­si­ta­do, com a que­da da fo­lha e con­se­quen­te es­pa­lha­men­to de po­ei­ras. No ge­ral, é tra­ta­da com “an­ti-his­ta­mí­ni­cos de ação rá­pi­da e os ini­bi­do­res da li­ber­ta­ção de me­di­a­do­res in­fla­ma­tó­ri­os, que ge­ral­men­te são efi­ca­zes no alí­vio qua­se ime­di­a­to dos sin­to­mas”, ex­pli­cou o of­tal­mo­lo­gis­ta. Acres­cen­ta ain­da que “os cor­ti­cos­te­rói­des tó­pi­cos são usa­dos nas for­mas mais gra­ves da do­en­ça, mas a sua uti­li­za­ção de­ve ser pon- de­ra­da e mo­ni­to­ri­za­da sem­pre”, ten­do em con­ta que “o di­ag­nós­ti­co, o tra­ta­men­to ini­ci­al e o acon­se­lha­men­to com ex­pli­ca­ção de pos­sí­veis si­nais de aler­ta de­vem ser sem­pre efe­tu­a­dos por um of­tal­mo­lo­gis­ta”. Aler­ta ain­da que “de­ve-se sem­pre ten­tar pre­ve­nir o de­sen­ca­de­ar ou o agra­va­men­to da aler­gia ocu­lar”, ao evi­tar a “ex­po­si­ção aos aler­gé­ni­os co­nhe­ci­dos”. Pa­ra tal, é ten­tar “não an­dar ao ar li­vre nas pri­mei­ras ho­ras da ma­nhã, em di­as ven­to­sos, quen­tes e se­cos e em es­pa­ços rel­va­dos”, mo­men­tos e lo­cais on­de há mai­or po­li­ni­za­ção. Ócu­los es­cu­ros com fil­tro UV são uma boa op­ção pa­ra aju­dar a evi­tar con­jun­ti­vi­tes. Há ain­da uma sub­va­ri­an­te des­te gé­ne­ro, a con­jun­ti­vi­te alér­gi­ca pe­re­ne, ori­gi­na­da pe­lo con­tac­to com áca­ros ou pê­lo de cão e gato, sen­do “fun­da­men­tal evi­tar a acu­mu­la­ção de pó” e man­ter um am­bi­en­te com cli­ma equi­li­bra­do, pois o ca­lor e a hu­mi­da­de são fa­to­res cha­ve pa­ra a pro­li­fe­ra­ção de áca­ros.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.