VF:

OftalPro - - ENTREVISTA -

Quan­do se tra­ba­lha em of­tal­mo­lo­gia, qual­quer si­tu­a­ção que exis­ta re­la­ci­o­na­da com os olhos tem que ser re­sol­vi­da até à úl­ti­ma ins­tân­cia, sen­do que, na op­to­me­tria, te­mos que ter cons­ci­ên­cia de que, quan­do não con­se­gui­mos re­sol­ver to­tal­men­te a si­tu­a­ção, de­ve­mos en­ca­mi­nhar o pa­ci­en­te pa­ra as pes­so­as cer­tas. Aliás, acho que as pes­so­as – e os pró­pri­os pro­fis­si­o­nais – olham pa­ra o op­to­me­tris­ta que tra­ba­lha na óti­ca de uma for­ma mais co­mer­ci­al, en­quan­to que o op­to­me­tris­ta que tra­ba­lha na clí­ni­ca of­tal­mo­ló­gi­ca é vis­to mais

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.