BLOG­GER DE SU­CES­SO

PC Guia - - CAPA - POR GUSTAVO DI­AS, MÁR­CIA CAM­PA­NA, PE­DRO TRÓIA E RI­CAR­DO DU­RAND

Quan­do em 2003 a Go­o­gle ad­qui­riu a pla­ta­for­ma já eram mui­tos os uti­li­za­do­res que par­ti­lha­vam as su­as vi­das, idei­as, crí­ti­cas e tu­do o que lhes ape­te­ces­se. Nes­ta al­tu­ra tam­bém já exis­ti­am mui­tas pla­ta­for­mas de blo­gues em Por­tu­gal, mas foi tam­bém nes­te ano que foi lan­ça­da uma das pla­ta­for­mas por­tu­gue­sas mais co­nhe­ci­das, o Sa­po Blogs. Abrup­to, Bar­na­bé, Pas­to­ral Por­tu­gue­sa e Blas­fé­mi­as fo­ram al­guns dos pri­mei­ros e prin­ci­pais blo­gues cri­a­dos e ali­men­ta­dos por por­tu­gue­ses, mas ra­pi­da­men­te sur­gi­ram ou­tros, ho­je em dia mui­to mais fa­mo­sos, co­mo A Pi­po­ca Mais Do­ce, de Ana Garcia Mar­tins, ou A Mi­ni-Saia, de Mónica Li­ce.

DE HOBBY A PRO­FIS­SÃO

Os blo­gues são um dos mé­to­dos de comunicaçã­o em mas­sa com o cres­ci­men­to mais rá­pi­do. O que co­me­çou co­mo uma ma­nei­ra de ex­por e di­vi­dir idei­as e ide­ais, de­se­jos, de­sa­ba­fos, etc., é ho­je uma pro­fis­são le­va­da a ca­bo por de­ze­nas de pes­so­as em Por­tu­gal. O ca­rác­ter, nor­mal­men­te des­con­traí­do, faz dos blo­gues uma op­ção de lei­tu­ra di­ver­ti­da, ao mes­mo tem­po que trans­mi­te in­for­ma­ção. Com o cres­ci­men­to do nú­me­ro de se­gui­do­res, al­guns blog­gers tor­na­ram-se ver­da­dei­ras ve­de­tas e pes­so­as de in­fluên­cia. A mo­da tem si­do um dos te­mas mais es­co­lhi­dos pe­los blog­gers por­tu­gue­ses, mas tam­bém a tec­no­lo­gia es­tá sob as lu­zes da ri­bal­ta. Não nos po­de­mos es­que­cer ain­da de ques­tões tão im­por­tan­tes co­mo a po­lí­ti­ca, que tam­bém têm di­rei­to à sua quo­ta de aten­ção, mui­tas ve­zes sob a for­ma de es­cru­tí­nio hu­mo­rís­ti­co. Vá­ri­os blo­gues com­pe­tem ago­ra com mei­os de comunicaçã­o tra­di­ci­o­nais em ter­mos de nú­me­ro de lei­to­res e, sem dú­vi­da, na re­le­vân­cia cul­tu­ral. Is­to é es­pe­ci­al­men­te iden­ti­fi­cá­vel na área da mo­da, on­de os blog­gers são ver­da­dei­ros trend ma­kers, po­den­do até di­tar a res­pos­ta do pú­bli­co a de­ter­mi­na­da mar­ca ou ten­dên­cia. É nos blo­gues de­di­ca­dos à mo­da que gran­de par­te do pú­bli­co fe­mi­ni­no en­con­tra ins­pi­ra­ção pa­ra a rou­pa do dia-a-dia e fi­ca a co­nhe­cer as prin­ci­pais no­vi­da­des de ca­da es­ta­ção. No blo­gue a opi­nião é livre e obe­de­ce aos cri­té­ri­os do au­tor, as­sim co­mo o as­sun­to fi­ca a car­go da pes­soa que o es­cre­ve. Há blo­gues de tu­do: cu­li­ná­ria, mo­da, be­le­za, vi­a­gens, au­to­mó­veis, tec­no­lo­gia, his­tó­ri­as, pra­ti­ca­men­te tu­do tem di­rei­to a al­guém que es­cre­va so­bre o as­sun­to. Se des­co­briu al­go que ain­da não foi abor­da­do, po­de ter em mãos um fu­tu­ro su­ces­so ou um te­ma sem pro­cu­ra. Ini­ci­ar um blo­gue é qua­se tão fá­cil co­mo ini­ci­ar a ses­são no seu e-mail, mas exis­tem al­guns de­sa­fi­os, mui­tos re­la­ci­o­na­dos com a par­te cri­a­ti­va, que po­dem dar mais tra­ba­lho. Além dis­so, se quer que o seu blo­gue te­nha su­ces­so (afi­nal, se es­cre­ve­mos al­go on­li­ne é por­que qu­e­re­mos que al­guém leia) há al­gu­mas coi­sas a que de­ve dar aten­ção e al­gu­mas di­cas que po­de se­guir. Criá­mos o guia ide­al pa­ra quem quer ter um blo­gue de su­ces­so e ain­da fa­lá­mos com al­guns dos blog­gers por­tu­gue­ses com mais se­gui­do­res que nos de­ram as su­as di­cas, pa­ra o aju­dar. Se­lec­ci­o­ná­mos as du­as pla­ta­for­mas in­ter­na­ci­o­nais mais uti­li­za­das, uma das ofer­tas por­tu­gue­sas que con­si­de­ra­mos a me­lhor e pes­qui­sá­mos as ofer­tas de alo­ja­men­to ide­ais. Quan­do aca­bar de ler as pá­gi­nas que de­di­cá­mos a es­te te­ma es­ta­rá mais do que ap­to a cri­ar um blo­gue ca­paz de atrair mi­lha­res de se­gui­do­res. De­pois só pre­ci­sa de um te­ma for­te e de tem­po pa­ra es­cre­ver so­bre ele.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.