E-MAIL, BROW­SER, CA­LEN­DÁ­RIO E CLOUD

PC Guia - - CAPA -

O Win­dows 10, além das me­xi­das téc­ni­cas que fez ao “mo­tor”, tam­bém re­pre­sen­ta uma vi­ra­gem no de­sign de apli­ca­ções da Mi­cro­soft, ao pas­sar do skeu­morphic pa­ra o flat, o que tam­bém já se ti­nha vis­to no iOS 7 (2013) e, no ano an­tes, com o Win­dows Mo­bi­le 8. Com is­to, al­gu­mas das prin­ci­pais apps de pro­du­ti­vi­da­de des­te sis­te­ma ope­ra­ti­vo ti­ve­ram que se ali­nhar com a no­va in­ter­fa­ce e dei­xar o “fol­clo­re” de la­do. Pa­ra mim, a sim­pli­fi­ca­ção ex­tre­ma, pe­lo me­nos do cli­en­te de cor­reio elec­tró­ni­co e do brow­ser (de In­ter­net Ex­plo­rer pas­sou a Ed­ge), não cor­reu bem. Foi-me mui­to di­fí­cil en­con­trar aqui­lo de que pre­ci­sa­va em am­bas as in­ter­fa­ces, es­pe­ci­al­men­te na do Ed­ge. Há mais gen­te co­mo eu: bas­ta ver al­guns fó­runs do gé­ne­ro on­de as pes­so­as cri­ti­cam es­tas apps e que pre­fe­rem usar al­ter­na­ti­vas. Foi o que fiz e, pro­va­vel­men­te, tam­bém a mai­o­ria dos uti­li­za­do­res do Win­dows 10: mu­dar. No ca­so do cli­en­te de e-mail, nem pre­ci­sa de sair do uni­ver­so Mi­cro­soft, pois po­de usar o Ou­tlo­ok que vem com o Of­fi­ce. Já no ca­so de não se adap­tar ao Ed­ge, a me­lhor so­lu­ção é pro­va­vel­men­te a que já usa­va an­tes de fa­zer o update pa­ra es­te sis­te­ma ope­ra­ti­vo: con­ti­nu­ar a usar o Ch­ro­me. Eu per­ce­bo a es­tra­té­gia da Mi­cro­soft em re­de­se­nhar es­tas apps e man­tê­las mui­to sim­ples e des­pro­vi­das de bo­tões, mas, es­pe­ci­al­men­te no na­ve­ga­dor de In­ter­net, ti­ve mui­tas di­fi­cul­da­des em usar as fun­ções tra­di­ci­o­nais co­mo acon­te­ce na app da Go­o­gle – a cur­va de apren­di­za­gem é gran­de e o es­for­ço aca­ba por não com­pen­sar. O opos­to acon­te­ceu com ou­tra app de ori­gem do Win­dows 10: o Ca­len­dá­rio, on­de a adap­ta­ção ao no­vo de­sign se fez sem pro­ble­mas. Re­sul­ta­do: es­tá tu­do no sí­tio cer­to e é mui­to fá­cil ge­rir os nos­sos com­pro­mis­sos, o que me faz con­cluir que po­dia dei­xar de usar com­ple­ta­men­te a app cor­res­pon­den­te do Go­o­gle. Fi­nal­men­te, e pa­ra fe­char o te­ma da pro­du­ti­vi­da­de, te­mos o OneDrive, o ser­vi­ço de cloud da Mi­cro­soft, que nos dá 5 GB de es­pa­ço gra­tui­to; o pri­mei­ro pla­no nem é mui­to ca­ro, uma vez que a tro­co de ape­nas cin­co eu­ros men­sais fi­ca­mos com 50 GB dis­po­ní­veis. O pro­ble­ma é que nin­guém usa o OneDrive pa­ra tra­ba­lhar, pe­lo me­nos, as pes­so­as com quem te­nho de par­ti­lhar fi­chei­ros (e que par­ti­lham co­mi­go) di­a­ri­a­men­te. Tal co­mo o Word obli­te­ra com­ple­ta­men­te o Pa­ges, tam­bém o Drop­box não dei­xa mar­gem de ma­no­bra no cam­po da cloud e o fac­to de exis­tir uma coi­sa cha­ma­da Go­o­gle Dri­ve tam­bém não aju­da. A ver­da­de é que am­bos fun­ci­o­nam de for­ma mui­to me­lhor que a so­lu­ção da Mi­cro­soft – por exem­plo, não po­de­mos co­pi­ar um link pa­ra par­ti­lhar a par­tir do fi­chei­ro que es­tá nu­ma pas­ta lo­cal, um da­do ad­qui­ri­do nos ri­vais do OneDrive. Há pe­que­nas coi­sas a que já es­tou mui­to ha­bi­tu­a­do no Drop­box e que não con­si­go re­pli­car no OneDrive, pe­lo que ti­ve de co­lo­car es­te pro­gra­ma em se­gun­do pla­no. Po­rém, e co­mo 5 GB es­tão ga­ran­ti­dos, po­de sem­pre usar o seu es­pa­ço na cloud pa­ra fa­zer bac­kups de fi­chei­ros.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.