Use o seu smartphone para cor­rer jo­gos de realidade virtual

Di­zem que a realidade virtual é a pró­xi­ma gran­de mo­da para os fa­bri­can­tes de com­po­nen­tes de computador­es po­de­rem ven­der os seus equi­pa­men­tos. E o me­lhor é que há uma for­ma mui­to fá­cil de usar o seu smartphone em vez dos dis­pen­di­o­sos ócu­los VR exis­ten­tes.

PC Guia - - ÍNDICE - POR GUS­TA­VO DI­AS

Ocu­lus Rift e HTC Vi­ve são al­guns dos sis­te­mas que per­mi­tem cor­rer jo­gos es­pe­ci­fi­ca­men­te cri­a­dos para ex­pe­ri­ên­ci­as de realidade virtual (RV). In­fe­liz­men­te, nem to­dos nós nos po­de­mos dar ao lu­xo de pa­gar cen­te­nas de eu­ros por ócu­los que são, mui­to ho­nes­ta­men­te, al­go li­mi­ta­dos. Mas há uma es­pe­ran­ça: um smartphone, An­droid ou iOS, po­de ser trans­for­ma­do num ecrã de realidade virtual, com o apoio dos inú­me­ros adap­ta­do­res dis­po­ní­veis no mer­ca­do, que po­dem cus­tar en­tre 15 a 100 eu­ros. Para tal, te­rá de usar dois ti­pos de apli­ca­ções fun­da­men­tais, o Tri­nus VR (tri­nus­vr.com) e o Tri­def 3D (tri­def.com). Mas fi­ca avi­sa­do que nem to­dos os smartpho­nes são per­fei­tos para es­te ti­po de uti­li­za­ção, sen­do re­co­men­dá­vel o uso de dis­po­si­ti­vos com ecrãs de gran­des di­men­sões e que te­nham uma ele­va­da den­si­da­de (al­ta re­so­lu­ção para a di­men­são do ecrã).

CONVERSÃO VR

Para co­me­çar, de­ve­rá ins­ta­lar o Tri­nus­VR no computador, para que o mes­mo ac­tue co­mo ser­vi­dor (gra­tui­to), e no smartphone (An­droid e iOS), per­mi­tin­do es­te ape­nas que uti­li­ze ses­sões de quin­ze mi­nu­tos. O Tri­nus­VR foi a nos­sa es­co­lha por não ser li­mi­ta­ti­vo co­mo o VRid­ge, que só cor­re jo­gos com­pa­tí­veis com sis­te­mas Ocu­lus Rift e HTC Vi­ve, vis­to cri­ar um mo­do 3D virtual, que per­mi­te con­ver­ter qual­quer tí­tu­lo com gra­fis­mo em três di­men­sões num tí­tu­lo de RV.

ACRESCENTA­R PROFUNDIDA­DE

Com o Tri­nus­VR de­di­ca­do a con­ver­ter tí­tu­los em RV, é ne­ces­sá­rio usar o Tri­Def 3D (tri­def.com) para acrescenta­r profundida­de à ac­ção. Es­te soft­ware, que po­de ser ex­pe­ri­men­ta­do gra­tui­ta­men­te du­ran­te ca­tor­ze di­as, uti­li­za as in­for­ma­ções de z-buf­fer dos tí­tu­los com­pa­tí­veis (mais de 900, in­cluin­do Sky­rim e GTA V), cri­an­do uma profundida­de re­al es­te­re­os­có­pi­ca, fun­da­men­tal para uma ex­pe­ri­ên­cia de realidade virtual cre­dí­vel. Re­cor­da­mos que al­guns tí­tu­los com­pa­tí­veis com a pla­ta­for­ma Ste­amVR dis­pen­sam o uso des­te Tri­Def 3D, vis­to que a ques­tão da profundida­de é to­tal­men­te ge­ri­da pe­la apli­ca­ção Ste­amVR.

LIGUE TU­DO

Para dar iní­cio à ac­ção, te­rá de con­fi­gu­rar o seu smartphone para fun­ci­o­nar em con­jun­to com o seu computador. De­ve­rá ac­ti­var o mo­do de tethe­ring (an­co­ra­gem) por USB, sen­do ne­ces­sá­rio ace­der às de­fi­ni­ções adi­ci­o­nais de li­ga­ções, on­de ha­bi­tu­al­men­te cos­tu­ma es­tar a op­ção de ac­ti­var o Hots­pot Por­tá­til.

ESTEREOSCO­PIA

Abra o Tri­Def 3D e es­co­lha a op­ção de cor­rer jo­gos em três di­men­sões, co­mo for­ma de evi­tar o ir­ri­tan­te me­nu ini­ci­al. A apli­ca­ção irá pes­qui­sar que jo­gos tem ins­ta­la­dos no seu sis­te­ma, em­bo­ra es­te ten­de a pes­qui­sar ape­nas nas pas­tas de sis­te­ma, sen­do ne­ces­sá­rio in­tro­du­zir a lo­ca­li­za­ção dos exe­cu­tá­veis ma­nu­al­men­te, ca­so es­te­jam ins­ta­la­dos em pas­tas di­fe­ren­tes. Aten­ção, que nem to­dos os tí­tu­los são com­pa­tí­veis, sen­do re­co­men­dá­vel dar uma vis­ta de olhos na lis­ta em goo.gl/FnLPxm. Se tu­do cor­rer bem, bas­ta­rá cli­car du­as ve­zes no ata­lho cri­a­do para o tí­tu­lo de­se­ja­do, sen­do re­pro­du­zi­da uma ja­ne­la com o jo­go, ja­ne­la es­sa que re­co­men­da­mos que se­ja cor­ri­da em formato 4:3 e com uma re­so­lu­ção bai­xa (800 x 600 ou 1024 x 768), com ní­vel de fil­tros an­ti-ali­a­sing bai­xa, sen­do-lhe re­pro­du­zi­da uma ima­gem de ecrã di­vi­di­do nes­sa ja­ne­la.

STREAMING

Com o jo­go a cor­rer, es­tá na al­tu­ra de abrir o Tri­nus, tan­to no computador que irá fun­ci­o­nar co­mo ser­vi­dor, bem co­mo no smartphone, para re­ce­ber o si­nal. Lem­bre-se que o smartphone tem de es­tar li­ga­do ao PC atra­vés da re­fe­ri­da fun­ção de an­co­ra­gem por USB. No ser­vi­dor, ace­da ao se­pa­ra­dor ‘Ví­deo’ e des­li­gue a fun­ção ‘Fa­ke 3D’ (3D fal­so), es­co­lhen­do o mo­do de cap­tu­ra ‘Ge­ne­ral, no me­nu prin­ci­pal. Cli­que, de se­gui­da, no íco­ne do tri­ân­gu­lo para efec­tu­ar a li­ga­ção com o seu dis­po­si­ti­vo móvel, cli­can­do de se­gui­da na ja­ne­la on­de o jo­go es­tá a cor­rer, para que es­te apa­re­ça no ecrã do smartphone. Se o pro­ces­so de­cor­rer sem problemas, po­de­rá co­lo­car o smartphone den­tro dos ócu­los e ini­ci­ar o pas­so se­guin­te: o do ajus­te de ima­gem.

AJUS­TE DE IMA­GEM

Es­te pas­so é fun­da­men­tal, até por­que as de­fi­ni­ções es­ta­rão lon­ge de se­rem as ide­ais para o seu dis­po­si­ti­vo e para a sua vis­ta. Por de­fei­to, o Tri­nus não uti­li­za cor­rec­ta­men­te o mo­do de cor­rec­ção de len­tes, o que fa­rá com que cer­tas áre­as do ecrã fi­ca­rão fo­ra de vi­são, ge­ran­do um re­sul­ta­do con­fu­so e pre­ju­di­ci­al para a vis­ta. No computador, cli­que no tri­ân­gu­lo para ter­mi­nar a li­ga­ção, ace­da ao me­nu prin­ci­pal e ajus­te a es­ca­la da ima­gem para ‘Ul­tra’, ar­ras­tan­do o pon­tei­ro das de­fi­ni­ções de com­pres­são para a di­rei­ta. No me­nu ‘He­ad Mount’, ve­ri­fi­que se os seus ócu­los es­tão aí re­fe­ri­dos e vá, de se­gui­da, para as de­fi­ni­ções na apli­ca­ção no smartphone, es­co­lhen­do a op­ção de ac­ti­var as len­tes e ajus­tar o desempenho para mo­do ‘Qu­a­lity’. Vol­te a li­gar os ócu­los e a abrir o jo­go, ve­ri­fi­can­do nos ócu­los se a ima­gem es­tá to­tal­men­te vi­sí­vel e sig­ni­fi­ca­ti­va­men­te mais de­fi­ni­da.

AJUS­TE DE PROFUNDIDA­DE

Nes­te pas­so irá fa­zer um dos mais im­por­tan­tes ajus­tes para de­ter­mi­nar a efi­ci­ên­cia do sis­te­ma cri­a­do. Com o jo­go a cor­rer, car­re­gue no bo­tão nu­mé­ri­co ‘0’ para ace­der às de­fi­ni­ções no ecrã do Tri­Def. A par­tir des­te me­nu, e uti­li­zan­do as te­clas nu­mé­ri­cas ‘8’,‘4’, ‘2’ e ‘6’ para na­ve­gar e te­cla ‘5’ para se­lec­ci­o­nar, ace­da ao me­nu ‘3D’ para ajus­tar a profundida­de de cam­po. Evi­te co­lo­car os va­lo­res no má­xi­mo, uma vez que es­te ge­ra efei­tos de som­bra em ob­jec­tos dis­tan­tes, o que tor­na o re­sul­ta­do fi­nal de­ma­si­a­do ar­ti­fi­ci­al. Po­de­rá ain­da in­ver­ter a estereosco­pia, per­mi­tin­do apro­xi­mar ain­da mais os ob­jec­tos que es­tão mais pró­xi­mos, em­bo­ra is­to te­nha três efei­tos se­cun­dá­ri­os: o des­gas­te da sua vis­ta, o es­for­ço adi­ci­o­nal para a sua pla­ca grá­fi­ca e a per­da de qua­li­da­de de ima­gem, já que es­ta­rá sem­pre li­mi­ta­do pe­la den­si­da­de do ecrã do seu smartphone.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.