O que é que fa­zem tan­tas câ­ma­ras num smartphone?

O seu te­le­fo­ne no­vo tem du­as câ­ma­ras? Três? Qua­tro? Tu­do is­so é in­di­fe­ren­te quan­do não sa­be pa­ra que ser­vem. Va­mos, en­tão, ex­pli­car-lhe por que ra­zão os smartpho­nes mais re­cen­tes usam tan­tos sen­so­res fo­to­grá­fi­cos.

PC Guia - - ÍNDICE - POR GUS­TA­VO DI­AS

Ig­no­ran­do a eu­fo­ria do 3D do iní­cio da se­gun­da dé­ca­da dos anos 2000, com lan­ça­men­tos co­mo o HTC EVO 3D e LG Op­ti­mus 3D, só em 2014 é que po­de­mos afir­mar que co­me­ça­ram a apa­re­cer os ver­da­dei­ros smartpho­nes com múltiplas câ­ma­ras tra­sei­ras, com o HTC One (M8). Es­te mo­de­lo usa­va um se­gun­do sen­sor de ima­gem pa­ra tra­ba­lhar co­mo sen­sor de pro­fun­di­da­de, per­mi­tin­do ajus­tar a pro­fun­di­da­de de cam­po de­pois de cap­tar a ima­gem. Po­rém, só com a che­ga­da do Huawei P9 em 2016 (o pri­mei­ro mo­de­lo a ti­rar par­ti­do da par­ce­ria com a Lei­ca) é que as­sis­ti­mos à pro­li­fe­ra­ção dos sis­te­mas de múltiplas câ­ma­ras, co­mo co­nhe­ce­mos ho­je em dia. O Huawei P9 usa um sen­sor prin­ci­pal RGB e um se­cun­dá­rio mo­no­cro­má­ti­co que, com­bi­na­dos, ga­ran­ti­am ima­gens com co­res vi­bran­tes e um gran­de de­ta­lhe. Ac­tu­al­men­te, en­con­tra­mos mo­de­los co­mo o no­vo Sam­sung Ga­laxy A9 a uti­li­zar uma so­lu­ção com qua­tro câ­ma­ras tra­sei­ras (cin­co, se con­tar­mos com a fron­tal). Mas pa­ra que ser­ve tu­do is­so?

UMA QUES­TÃO DE ÂNGULOS

Na fo­to­gra­fia, de­pre­en­de-se que uma aber­tu­ra en­tre 26 e 35 mm é a que me­lhor re­cria o ân­gu­lo de vi­su­a­li­za­ção do olho hu­ma­no (o equi­va­len­te a 77º de ân­gu­lo de vi­são), sen­do es­te o ti­po de am­pli­tu­de fo­cal mais uti­li­za­da pe­las ob­jec­ti­vas dos sen­so­res de ima­gem prin­ci­pais de, pra­ti­ca­men­te, to­dos os smartpho­nes do mer­ca­do. Pa­ra a ob­ten­ção de um ân­gu­lo de vi­são mais ele­va­do, igual­men­te de­sig­na­do por ‘efei­to ul­ta an­gu­lar de 120º’, é fre­quen­te uti­li­zar-se uma ob­jec­ti­va com uma dis­tân­cia fo­cal en­tre 12 a 17 mm, em­bo­ra es­ta se­ja uma so­lu­ção ain­da com pou­co uso. Ac­tu­al­men­te, só a en­con­tra­mos em dis­po­si­ti­vos co­mo o LG V30 e G7, Asus ZenFo­ne 5/5Z, Sam­sung Ga­laxy A7/ A9 (edi­ções de 2018) e Huawei Ma­te 20 Pro. Ou­tra so­lu­ção igual­men­te prá­ti­ca, mas mais usa­da, é a pos­si­bi­li­da­de de se usar um sen­sor se­cun­dá­rio pa­ra cri­ar o efei­to de zo­om, com ob­jec­ti­vas de 52 mm de am­pli­tu­de pa­ra um efei­to de zo­om óp­ti­co de 2x, co­mo acon­te­ce com os Sam­sung Ga­laxy S9 Plus, No­te 9 e Ga­laxy A9 (fo­to ao la­do), ou 80 mm pa­ra um zo­om óp­ti­co de 3x pa­ra o Huawei Ma­te 20 Pro.

EFEI­TO BOKEH

Em­bo­ra os efei­tos de zo­om e gran­de an­gu­lar se­jam mais prá­ti­cos e, vi­su­al­men­te, mais in­te­res­san­tes, a gran­de mai­o­ria dos dis­po­si­ti­vos que uti­li­zam du­as (ou mais) câ­ma­ras tra­sei­ras ten­dem a usar sen­so­res de me­nor re­so­lu­ção no sen­sor se­cun­dá­rio, já que es­te ape­nas tem co­mo fi­na­li­da­de me­dir a pro­fun­di­da­de de cam­po, pa­ra con­se­guir, por soft­ware, des­fo­car o fun­do da ima­gem. A van­ta­gem de es­te sis­te­ma ser ajus­ta­do por soft­ware per­mi­tir que, du­ran­te a cap­ta­ção, co­mo após a ima­gem cap­ta­da (só em al­guns equi­pa­men­tos), pos­sa ajus­tar o efei­to de des­fo­ca­gem do fun­do, in­ten­si­fi­can­do as­sim o efei­to de bokeh. Es­te ti­po de efei­to é ha­bi­tu­al­men­te usa­do nas fo­to­gra­fi­as ti­po re­tra­to, des­ta­can­do as­sim a ca­ra (ou cor­po) da pes­soa fo­to­gra­fa­da, fa­ce ao lo­cal on­de se en­con­tra.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.