DE­FEI­TOS ES­PE­CI­AIS

PC Guia - - ÍNDICE - RI­CAR­DO DU­RAND / Editor

O Ri­car­do Du­rand dá a sua opi­nião so­bre os tu­to­ri­ais obri­ga­tó­ri­os dos jo­gos ac­tu­ais.

Não sei quan­do é que is­to co­me­çou, mas de há al­guns anos pa­ra cá qual­quer jogo no­vo traz um tu­to­ri­al que não po­de­mos pas­sar e que em 99% dos ca­sos é uma va­len­te xa­ro­pa­da. So­mos obri­ga­dos a ver co­mo é que tu­do fun­ci­o­na, pa­ra que ser­vem to­das a te­clas, apren­der a ata­car, a dis­pa­rar, a de­fen­der, a se­lec­ci­o­nar ar­mas, a car­re­gar, a an­dar, a cor­rer, a ro­lar, a sal­tar e a fa­zer mais umas 500 coi­sas di­fe­ren­tes. Em mui­tos ca­sos so­mos ain­da obri­ga­dos a ver cuts­ce­nes, a ler li­nhas de diá­lo­go in­ter­mi­ná­veis, a ver um fil­me e não a jo­gar. Até jo­gos sem qual­quer com­ple­xi­da­de co­mo co­mo o Candy Crush ou o An­gry Birds têm ní­veis com­ple­tos de tu­to­ri­ais pa­ra nos en­si­nar o que de­ve­mos fa­zer com os nos­sos de­dos. Mas al­guém, há 30 anos, an­tes de jo­gar nas ar­ca­des ou nas pe­que­nas con­so­las por­tá­teis apren­deu a vi­rar pe­ças do Te­tris ou pa­ra que é que ser­vi­am as fru­tas no Pac­man? Jogava-se e lo­go se via: à me­di­da que jo­gá­va­mos des­co­bri­a­mos os jo­gos e is­so só tor­na­va tu­do mais emo­ci­o­nan­te. Nin­guém te­ve ní­veis de tu­to­ri­al no So­nic pa­ra Me­ga Dri­ve ou no Su­per Má­rio pa­ra NES; nem, mais tar­de, a Ei­dos nos en­si­nou co­mo é que se con­tro­la­va La­ra Croft no pri­mei­ro Tomb Rai­der. E vo­cês ago­ra vão di­zer: pois, mas nes­sa al­tu­ra os tu­to­ri­ais vi­nham nos pe­que­nos li­vros que estavam nas cai­xas dos jo­gos e os co­man­dos eram mais sim­ples. É ver­da­de. E era exac­ta­men­te pa­ra aí que os gui­as pa­ra apren­der a jo­gar de­vi­am con­ti­nu­ar a ser re­le­ga­dos: pa­ra qual­quer la­do, fí­si­co ou di­gi­tal, me­nos den­tro do pró­prio jogo e mas­ca­ra­dos de pró­lo­go, de história ou de ní­veis pa­ra to­tós. O que eu mais que­ria vol­tar a ver num jogo ac­tu­al era ver o tí­tu­lo a apa­re­cer no ecrã e uma men­sa­gem a di­zer ‘Press Start to Play’ e man­dar-me de ca­be­ça. Na ver­da­de, eu só que­ro jo­gar. É as­sim tão di­fí­cil?

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.