Notícias de tec­no­lo­gia, co­lu­na, Ma­de in Portugal, Hash­tags, Gre­en e a nos­sa en­tre­vis­ta: Que­re­mos Res­pos­tas.

A guer­ra en­tre os EUA e a Chi­na atin­giu um no­vo pa­ta­mar. Os pró­xi­mos equi­pa­men­tos da Hu­awei dei­xa­rão de ter aces­so ao An­droid mas a mar­ca chi­ne­sa tem até ao fi­nal de Agos­to pa­ra fa­zer a tran­si­ção com cal­ma.

PC Guia - - ÍNDICE - PE­DRO TRÓIA

A Go­o­gle sus­pen­deu o aces­so da Hu­awei às fu­tu­ras ac­tu­a­li­za­ções do An­droid. Es­ta de­ci­são vem na sequên­cia da in­clu­são da Hu­awei, e de mais ou­tras se­ten­ta em­pre­sas fa­bri­can­tes de ma­te­ri­al de te­le­co­mu­ni­ca­ções chi­ne­sas, nu­ma lis­ta ne­gra que im­pe­de que em­pre­sas ame­ri­ca­nas te­nham re­la­ções co­mer­ci­ais com en­ti­da­des con­si­de­ra­das “ris­cos de segurança” por co­la­bo­ra­rem com es­ta­dos ini­mi­gos. No en­tan­to, a Câ­ma­ra do Co­mér­cio dos Es­ta­dos Uni­dos deu à mar­ca chi­ne­sa uma li­cen­ça es­pe­ci­al de no­ven­tas di­as, pa­ra pro­te­ger as ope­ra­do­ras ame­ri­ca­nas que já uti­li­zam hard­ware da Hu­awei, mas que tam­bém po­de ser apro­vei­ta­da pe­la em­pre­sa e pe­los seus for­ne­ce­do­res ame­ri­ca­nos pa­ra se adap­ta­rem à no­va si­tu­a­ção. De­pois des­te pe­río­do tran­si­tó­rio, se Hu­awei qui­ser con­ti­nu­ar a uti­li­zar o sis­te­ma ope­ra­ti­vo mó­vel da Go­o­gle, te­rá de o fa­zer com a ver­são de có­di­go aber­to, que em­bo­ra ofe­re­ça pra­ti­ca­men­te as mes­mas fun­ci­o­na­li­da­des do An­droid com­ple­to não per­mi­te o aces­so à lo­ja de apli­ca­ções da em­pre­sa americana, nem aos seus vá­ri­os ser­vi­ços online.

O QUE SIG­NI­FI­CA IS­TO PA­RA OS UTI­LI­ZA­DO­RES HU­AWEI?

Pa­ra to­dos os que têm smartpho­nes da Hu­awei, nes­te mo­men­to, na­da. Tu­do vai con­ti­nu­ar a fun­ci­o­nar co­mo até ago­ra, quer no que res­pei­ta ao aces­so à lo­ja de apli­ca­ções da Go­o­gle, quer no que res­pei­ta ao aces­so a ser­vi­ços co­mo o Go­o­gle Maps, Gmail ou ou­tros.

O úni­co pro­ble­ma re­al pa­ra os uti­li­za­do­res já exis­ten­tes vai ser qu­an­do sair o no­vo An­droid Q, por­que, se a si­tu­a­ção se man­ti­ver, não vai es­tar dis­po­ní­vel, tan­to em no­vos mo­de­los, co­mo nos smartpho­nes que já fo­ram ven­di­dos. No en­tan­to, nu­ma en­tre­vis­ta ao jor­nal ale­mão Die Welt, Ri­chard Yu, di­rec­tor da di­vi­são de pro­du­tos de con­su­mo da Hu­awei, con­fir­mou que a em­pre­sa já es­tá há al­gum tem­po a de­sen­vol­ver um sis­te­ma ope­ra­ti­vo al­ter­na­ti­vo pa­ra os seus smartpho­nes, ca­paz de usar to­das as apli­ca­ções pa­ra o sis­te­ma ope­ra­ti­vo da Go­o­gle, que até po­de servir de ‘pla­no B’. Con­tu­do, is­to não re­sol­ve o pro­ble­ma do aces­so aos ser­vi­ços online,

A REACÇÃO DA HU­AWEI

E A CON­FIR­MA­ÇÃO DA GO­O­GLE

Num cur­to co­mu­ni­ca­do, a Hu­awei ga­ran­te que, ape­sar des­te im­pe­di­men­to, vai con­ti­nu­ar a for­ne­cer ac­tu­a­li­za­ções de segurança e ser­vi­ços pós-ven­da a to­dos os smartpho­nes e ta­blets Hu­awei e Ho­nor exis­ten­tes, que já te­nham si­do ven­di­dos, ou que ain­da es­te­jam em stock.

Do la­do da Go­o­gle, houve ape­nas a con­fir­ma­ção de que a em­pre­sa es­tá ape­nas a cum­prir or­dens su­pe­ri­o­res, mas que vai con­ti­nu­ar a for­ne­cer ac­tu­a­li­za­ções de segurança aos dis­po­si­ti­vos Hu­awei exis­ten­tes.

Os prin­ci­pais fa­bri­can­tes de cir­cui­tos in­te­gra­dos uti­li­za­dos em in­fra-es­tru­tu­ra e smartpho­nes, co­mo a In­tel, Qu­al­comm e Bro­ad­com, anun­ci­a­ram tam­bém que vão dei­xar de for­ne­cer os seus pro­du­tos à fa­bri­can­te chi­ne­sa.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.