Nes­ta edi­ção, ex­pli­cá­mos-lhe co­mo fun­ci­o­nam os sis­te­mas de car­re­ga­men­to wi­re­less.

Uma so­lu­ção que co­me­çou ape­nas pa­ra car­re­ga­men­to de smartpho­nes, já po­de ser usa­da com ra­tos, re­ló­gi­os in­te­li­gen­tes e aus­cul­ta­do­res.

PC Guia - - ÍNDICE -

Em­bo­ra, tec­ni­ca­men­te, o car­re­ga­men­to sem fi­os não im­pli­que a li­ga­ção do dis­po­si­ti­vo que de­se­ja car­re­gar a um ca­bo ou to­ma­da eléc­tri­ca, na realidade pre­ci­sa­rá de li­gar a ba­se “fi­si­ca­men­te”. Es­ta so­lu­ção, em­bo­ra uti­li­za­da há vá­ri­os anos, per­mi­te ac­tu­al­men­te o car­re­ga­men­to de pra­ti­ca­men­te to­do o ti­po de dis­po­si­ti­vos. O con­cei­to bá­si­co re­cor­re à uti­li­za­ção de uma bo­bi­ne pa­ra ge­rar um cam­po magnético que trans­mi­tir cor­ren­te eléc­tri­ca pa­ra ou­tro dis­po­si­ti­vo, o que se de­sig­na por ‘in­du­ção mag­né­ti­ca’. É is­to que faz com que cha­me­mos ‘car­re­ga­men­to por in­du­ção’ a es­te ti­po de re­cur­so.

MA­GIA MAG­NÉ­TI­CA

Pa­ra que um dis­po­si­ti­vo se­ja com­pa­tí­vel com as so­lu­ções exis­ten­tes de car­re­ga­men­to sem fi­os, é ne­ces­sá­ria uma ba­se que te­nha no seu in­te­ri­or uma bo­bi­ne em co­bre que irá, por sua vez, ge­rar um cam­po magnético. Es­te é cap­ta­do por ou­tra bo­bi­ne, a do dis­po­si­ti­vo mó­vel, que a con­ver­te­rá em cor­ren­te eléc­tri­ca, car­re­gan­do as­sim a sua ba­te­ria. A ba­se po­de ter vá­ri­os ní­veis de po­tên­cia, de­pen­den­do a ve­lo­ci­da­de de car­re­ga­men­to do dis­po­si­ti­vo re­cep­tor: por exem­plo, o no­vo Hu­awei P30 Pro che­ga aos 15 W. Es­ta so­lu­ção é tão sim­ples e prá­ti­ca que tem vin­do a ser uti­li­za­da por di­ver­sos fa­bri­can­tes, co­mo a Ikea (em aces­só­ri­os de mo­bi­liá­rio), pas­san­do por ae­ro­por­tos, ca­dei­as de fast fo­od e au­to­mó­veis, on­de é pos­sí­vel car­re­gar o smartpho­ne bas­tan­do co­lo­car o mes­mo no lo­cal des­ti­na­do pa­ra es­te efei­to.

QI, POWERMAT E REZENCE

Co­mo se­ria de pre­ver, tam­bém nos car­re­ga­men­tos sem fi­os en­con­tra­mos vá­ri­os pa­drões que ten­tam, à sua ma­nei­ra, atin­gir o mes­mo fim. O pa­drão mais vul­gar é o Qi, que usa a já re­fe­ri­da ‘in­du­ção mag­né­ti­ca’ pa­ra car­re­ga­men­to de dis­po­si­ti­vos, tal co­mo o pa­drão Powermat, em­bo­ra es­te úl­ti­mo não se­ja com­pa­tí­vel com o pri­mei­ro. Is­to é vá­li­do tam­bém pa­ra os dis­po­si­ti­vos que de­se­ja­mos car­re­gar, pois um iPho­ne X não con­se­gue ser car­re­ga­do num sis­te­ma Powermat, em­bo­ra exis­tam dis­po­si­ti­vos com­pa­tí­veis com am­bos os pa­drões, co­mo os smartpho­nes da Galaxy S9, S10 e No­te 9 da Sam­sung, por exem­plo. Já o pa­drão Rezence uti­li­za um sis­te­ma di­fe­ren­te, de res­so­nân­cia mag­né­ti­ca. Em­bo­ra obri­gue a uma co­mu­ni­ca­ção Blu­e­to­oth en­tre o dis­po­si­ti­vo e o car­re­ga­do, tem a van­ta­gem de não exi­gir uma po­si­ção es­pe­cí­fi­ca pa­ra o car­re­ga­men­to co­mo o Qi, bem co­mo a pre­sen­ça de obs­tá­cu­los en­tre a ba­se o dis­po­si­ti­vo, co­mo uma re­vis­ta. Es­ta nor­ma con­se­gue fa­zer com que o car­re­ga­men­to de um dis­po­si­ti­vo se­ja pos­sí­vel até 45 mm de dis­tân­cia a par­tir da ba­se.

Fa­bri­can­tes co­mo a BMW já dis­po­ni­bi­li­zam uma so­lu­ção de car­re­ga­men­to sem fi­os (de 3,2 kW) pa­ra os seus veí­cu­los elec­tri­fi­ca­dos.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.