O Exo­dus vai abrir as por­tas do mun­do a Avei­ro

Mais de 700 par­ti­ci­pan­tes vão en­cher o Cen­tro de Con­gres­sos da ci­da­de pa­ra ou­vir his­tó­ri­as ins­pi­ra­do­ras de vi­a­gem e aven­tu­ra. Ho­je e ama­nhã, o mun­do abre por­tas em Avei­ro. Luí­sa Pin­to

Publico - Fugas - - NATIONAL GEOGRAPHIC EXODUS AVEIRO FEST -

dis­se à Fu­gas que há bi­lhe­tes ven­di­dos pa­ra par­ti­ci­pan­tes de vá­ri­os paí­ses, e até con­ti­nen­tes.

Tal co­mo na pri­mei­ra edi­ção, o pai­nel prin­ci­pal dos dez ora­do­res que vão fa­zer o Exo­dus des­te ano é bas­tan­te di­ver­si­fi­ca­do den­tro das pró­pri­as áre­as da fo­to­gra­fia e do ví­deo. Mas tam­bém do pon­to de vis­ta etá­rio, pa­ra con­fir­mar que a ida­de ins­cri­ta no passaporte tem re­le­vân­cia re­du­zi­da. Em ter­mos de ida­des, o es­pec­tro co­me­ça em Wil­li­am Al­bert Al­lard, um ve­te­ra­no com mais de 50 anos de ex­pe­ri­ên­cia en­quan­to fo­tó­gra­fo da Na­ti­o­nal Ge­o­graphic, que fa­rá uma mas­ter­class so­bre os se­gre­dos da ilu­mi­na­ção, e ter­mi­na com Lil­li­a­na Li­bec­ki, de 14 anos, que vai acom­pa­nhar o pai, Mi­ke Li­bec­ki, nu­ma ses­são on­de pro­põem uma no­va abor­da­gem na for­ma co­mo se de­ve edu­car os mais no­vos e co­mo com cri­an­ças tam­bém se fa­zem gran­de vi­a­gens de ex­plo­ra­ção e aven­tu­ra (eles, por exem­plo, su­bi­ram ao Ki­li­man­ja­ro jun­tos).

Mas é di­ver­si­fi­ca­do tam­bém nos te­mas e nas téc­ni­cas, ten­do co­mo de­no­mi­na­dor co­mum o fac­to de ca­da um de­les ter mui­tas his­tó­ri­as pa­ra con­tar - e sur­pre­en­der. Por exem­plo, o en­ge­nhei­ro de mi­nas Ben­ja­mim Von Wong, que de­sis­tiu da pro­fis­são pa­ra ser um ar­ti­vist, um activista que usa a ar­te da fo­to­gra­fia co­mo fer­ra­men­ta pa­ra cha­mar a aten­ção dos pro­ble­mas do mun­do.

O ob­jec­ti­vo é, mais do que mos­trar as por­tas do mun­do aos 700 pre­sen­tes, que, tal co­mo no ano pas­sa­do, vão pre­en­cher to­das as ca­dei­ras de Cen­tro de Con­gres­sos de Avei­ro, é pôr to­da a gen­te a re­flec­tir, a con­ver­sar, a par­ti­lhar. Por­que “exo­dus” sig­ni­fi­ca mo­vi­men­to, e es­te Avei­ro Fest es­tá pau­la­ti­na­men­te a trans­for­mar-se nu­ma co­mu­ni­da­de que pre­co­ni­za o mo­vi­men­to glo­bal da cri­a­ti­vi­da­de, mas em prol de um pla­ne­ta sus­ten­tá­vel e com fu­tu­ro.

Po­de­rá pa­re­cer ce­do pa­ra es­tar a afir­má-lo, já que, afi­nal, a edi­ção que de­cor­re no pri­mei­ro fim-de-se­ma­na de De­zem­bro é ape­nas a se­gun­da. Mas bas­ta­rá sen­tir o pul­so aos que es­ti­ve­ram o ano pas­sa­do (e se apres­sa­ram a com­prar bi­lhe­tes pa­ra es­te ano) ou en­tão ler os re­la­tos dos ora­do­res que, em 2017, fo­ram as es­tre­las mai­o­res des­te fes­ti­val, pa­ra per­ce­ber que em Avei­ro se cri­ou um mo­men­to mui­to es­pe­ci­al. Que es­te ano to­dos que­rem ver re­pe­ti­do.

O fes­ti­val é fei­to de vá­ri­os mo­men­tos e vá­ri­os ní­veis, sem­pre de par­ti­lha. As spe­a­king ses­si­ons, pa­ra um pú­bli­co mais ge­ne­ra­lis­ta (sim, não é pre­ci­so ser fo­tó­gra­fo, vi­deó­gra­fo nem as­pi­ran­te de ne­nhu­ma des­tas dis­ci­pli­nas pa­ra apro­vei­tar es­tas ses­sões), vão con­tar com vá­ri­os no­mes no­mes de pe­so nas vá­ri­as áre­as do ci­ne­ma e da fo­to­gra­fia. A co­me­çar por Ce­li­ne Cous­te­au, re-

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.