Ha­bi­ta­ção ga­ma al­ta: Pre­ço na AM Por­to é qua­se o do­bro das re­giões Nor­te e Cen­tro

Publico - Imobiliario - - Oportunidades -

Com o Por­to a li­de­rar os pre­ços de ha­bi­ta­ção pre­mium (4.292 eu­ros/m2 no 3º tri­mes­tre 2017) a ní­vel re­gi­o­nal, a Área Me­tro­po­li­ta­na do Por­to apre­sen­ta um va­lor mé­dio de oferta pa­ra es­te ti­po de ca­sas na or­dem dos 3.065 eu­ros/m2, sen­do que em con­ce­lhos co­mo Gaia, Ma­to­si­nhos ou Gon­do­mar os pre­ços mé­di­os de oferta na ga­ma al­ta não pas­sam dos 2.600 eu­ros/m2, de acor­do com os da­dos apu­ra­dos pe­la Con­fi­den­ci­al Imobiliário pa­ra o Pú­bli­co Imobiliário.

O con­tras­te é ain­da mais acen­tu­a­do fa­ce às re­giões Nor­te e Cen­tro, com os pre­ços na In­vic­ta a mais que du­pli­ca­rem os va­lo­res mé­di­os de oferta re­gis­ta­dos a ní­vel re­gi­o­nal pa­ra es­ta ga­ma, de, res­pe­ti­va­men­te, 1.706 eu­ros/m2 e de 1.856 eu­ros/ m2. Em cidades co­mo Bra­ga, Vi­a­na do Cas­te­lo, Gui­ma­rães, ou nas zo­nas bal­ne­a­res de Es­po­sen­de e Ca­mi­nha, os pre­ços pa­ra es­te ti­po de imó­vel su­pe­ra­ram qua­se sem­pre a mé­dia re­gi­o­nal, mas es­tão mui­to lon­ge da re­a­li­da­de do Por­to, si­tu­an­do-se en­tre os 1.500 e os 2.800 eu­ros/m2. Tam­bém na re­gião Cen­tro, cidades co­mo Aveiro, Coim­bra e Lei­ria apre­sen­tam pre­ços de oferta na ga­ma al­ta en­tre os 1.900 e os 2.400 eu­ros/m2, igual­men­te ni­ve­la­dos aci­ma da mé­dia re­gi­o­nal, mas bas­tan­te dis­tan­tes da re­fe­rên­cia do Por­to. Na re­gião Cen­tro des­ta­cam-se, ain­da as­sim, al­guns des­ti­nos tu­rís­ti­cos cres­cen­te­men­te po­pu­la­res co­mo Na­za­ré e Óbi­dos, on­de os va­lo­res es­tão já em tor­no dos 3.500 eu­ros/m2. Na com­pa­ra­ção da mé­dia re­gi­o­nal, Nor­te e Cen­tro apre­sen­tam va­lo­res mé­di­os cer­ca de 45% abai­xo da Área Me­tro­po­li­ta­na do Por­to, mos­tram os da­dos da Con­fi­den­ci­al Imobiliário. gru­ta e um par­que in­fan­til, ro­de­a­dos de uma enor­me di­ver­si­da­de de plan­tas e de ár­vo­res. Os imó­veis “en­con­tram-se, no ge­ral, em mui­to bom es­ta­do de con­ser­va­ção“des­ta­ca Rui Fel­guei­ras, Res­pon­sá­vel de Ven­das deste imó­vel, o que, as­so­ci­a­do a to­do o en­qua­dra­men­to da pro­pri­e­da­de, lhe con­fe­re inú­me­ras po­ten­ci­a­li­da­des de uti­li­za­ção. Tra­ta- se de “uma opor­tu­ni­da­de úni­ca” pa­ra pri­mei­ra ou se­gun­da ha­bi­ta­ção pa­ra “cri­a­ção de um turismo de ha­bi­ta­ção de char­me ou mes­mo pa­ra um res­tau­ran­te ou even­tos”, no­ta o Ban­co. Os es­tran­gei­ros, quer “par­ti­cu­la­res quer em­pre­sas ho­te­lei­ras com in­te­res­se em uni­da­des de char­me”, es­tão na mi­ra da co­mer­ci­a­li­za­ção, no­ta Ema­nu­el Po­ças, só­cio ge­ren­te da Ar­ca­da Imo­bi­liá­ria – San­ta Ma­ria da Fei­ra (me­di­a­do­ra par­cei­ra do Ban­co), des­ta­can­do a pro­xi­mi­da­de ao Por­to (34 kms) e Aveiro (48 kms). Rui Fel­guei­ras acre­di­ta que “po­de­rá ser uma ca­sa mui­to in­te­res­san­te pa­ra o mer­ca­do de investidores bra­si­lei­ros e fran­ce­ses”, até pe­la pro­xi­mi­da­de ao aeroporto do Por­to. O mer­ca­do na­ci­o­nal está tam­bém a ser ati­va­men­te tra­ba­lha­do. “Nu­ma pri­mei­ra fa­se, es­ta­mos a tra­ba­lhar o mer­ca­do de 2ª ha­bi­ta­ção com con­tac­tos a em­pre­sá­ri­os da re­gião, va­mos fa­zer a apre­sen­ta­ção a cli­en­tes da Re­de do Pri­va­te Ban­king e co­me­ça­mos apre­sen­ta­ções a em­pre­sas de even­tos lo­cais com vi­si­tas ao es­pa­ço”, ex­pli­ca Rui Fel­guei­ras. A pers­pe­ti­va é con­cre­ti­zar a ven­da do imó­vel no de­cur­so deste ano. O ati­vo está em ven­da por cer­ca de 500 mil eu­ros, um va­lor con­si­de­ra­do “mui­to com­pe­ti­ti­vo, ten­do em con­ta a sua lo­ca­li­za­ção, a área e os imó­veis que in­te­gra” ter­mi­na Ema­nu­el Po­ças.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.