Im­mo­chan ace­le­ra cres­ci­men­to ru­mo à li­de­ran­ça na Gran­de Lisboa

A Im­mo­chan es­tá a apos­tar em for­ça no mer­ca­do por­tu­guês. In­ves­tiu 411 mi­lhões de eu­ros na aqui­si­ção do Fó­rum Mon­ti­jo, Fó­rum Sin­tra e Sin­tra Re­tail Park e tem já no­vas car­tas na man­ga pa­ra os pró­xi­mos anos

Publico - Imobiliario - - Casas De Banho - Susana Cor­reia

O bra­ço imo­bi­liá­rio do gru­po Au­chan es­tá a apos­tar em for­ça no mer­ca­do por­tu­guês. E, de­pois de in­ves­tir 411 mi­lhões de eu­ros na aqui­si­ção, à Blacks­to­ne, do Fó­rum Mon­ti­jo, Fó­rum Sin­tra e Sin­tra Re­tail Park, pa­ra ace­le­rar o seu cres­ci­men­to na Gran­de Lisboa, a em­pre­sa li­de­ra­da por Má­rio Cos­ta tem já no­vas car­tas na man­ga pa­ra os pró­xi­mos anos. E, ain­da que o de­sen­vol­vi­men­to de pro­je­tos de raiz vá ser o im­pul­si­o­na­dor do cres­ci­men­to, a aqui­si­ção de ou­tros ati­vos em ope­ra­ção tam­bém não es­tá des­car­ta­da.

“Te­mos uma es­tra­té­gia de lon­go pra­zo pa­ra o mer­ca­do por­tu­guês. E, em­bo­ra te­nha­mos no pi­pe­li­ne al­guns pro­je­tos no­vos de raiz, em di­fe­ren­tes es­tá­gi­os de de­sen­vol­vi­men­to; nes­ta fa­se achá­mos ne­ces­sá­rio ace­le­rar o nos­so pro­ces­so de cres­ci­men­to em Por­tu­gal e par­tir pa­ra a com­pra de ati­vos já em ope­ra­ção”, ex­pli­cou o di­re­tor-ge­ral em Lisboa, num en­con­tro com os jor­na­lis­tas pa­ra dar a co­nhe­cer os tra­ços ge­rais da no­va “Vi­são Im­mo­chan 2030”.

Re­a­li­za­da com re­cur­so a ca­pi­tais pró­pri­os, a com­pra dos três ati­vos à Blacks­to­ne “foi uma ex­ce­ção, pois não é o nos­so mo­dus ope­ran­di co­mum, mas per­mi­tiu-nos con­quis­tar mais ra­pi­da­men­te o pa­ta­mar de di­men­são de am­bi­ci­o­ná­mos pa­ra o mer­ca­do na­ci­o­nal”, “sal­tan­do” pa­ra o se­gun­do lu­gar no ran­king na­ci­o­nal das em­pre­sas pro­pri­e­tá­ri­as e ges­to­ras de cen­tros co­mer­ci­ais de mé­dia e gran­de di­men­são. No con­jun­to, es­tes três ati­vos re­pre­sen­tam uma área de mais de 130.000 m² de ABL, 19,5 mi­lhões de vi­si­tan­tes anu­ais e 306 lo­jis­tas, dos quais 114 no­vas mar­cas.

Pa­ra os pró­xi­mos cin­co anos, con­ti­nu­am em car­tei­ra “mais dois pro­je­tos im­por­tan­tes, tam­bém lo­ca­li­za­dos na Gran­de Lisboa. Tra­tam­se de pro­je­tos que in­clu­em ou­tras va­lên­ci­as que não ape­nas re­ta­lho, são mul­tiu­sos e pro­cu­ram não só dar res­pos­ta às no­vas ten­dên­ci­as de con­su­mo, cor­res­pon­den­do tam­bém às nos­sas pre­o­cu­pa­ções de diversificação imo­bi­liá­ria”, afir­mou Má­rio Cos­ta.

Ain­da há mui­to po­ten­ci­al por de­sen­vol­ver

A es­tes po­dem ain­da vir a jun­tar-se no­vos pro­je­tos nas ime­di­a­ções dos Fó­rum Mon­ti­jo e Sin­tra, re­co­nhe­ceu aque­le res­pon­sá­vel. “Ain­da há mui­to po­ten­ci­al imo­bi­liá­rio pa­ra de­sen­vol­ver em Sin­tra e no Mon­ti­jo”, afir­mou o di­re­tor-ge­ral da Im­mo­chan. “Além de to­dos es­tes ati­vos te­rem es­pa­ço pa­ra ex­pan­sões fu­tu­ras, as pró­pri­as zo­nas on­de es­tão in­se­ri­das en­cer­ram ho­je um gran­de po­ten­ci­al pa­ra o de­sen­vol­vi­men­to de ou­tros pro­je­tos imo­bi­liá­ri­os que não têm de pas­sar ne­ces­sa­ri­a­men­te pe­lo re­ta­lho”, co­men­tou. No ca­so de Sin­tra, além do Fó­rum e do Re­tail Park, a com­pra in­cluiu tam­bém um lo­te de ter­re­no ad­ja­cen­te com po­ten­ci­al de de­sen­vol­vi­men­to ur­ba­nís­ti­co pa­ra mais de 8.000 m² de área bru­ta de cons­tru­ção.

Mas, pa­ra já es­tá ape­nas con­fir­ma­do um in­ves­ti­men­to adi­ci­o­nal de “dois a três mi­lhões de eu­ros, pa­ra fa­zer al­gu­mas in­ter­ven­ções na qua­li­fi­ca­ção da­que­les ati­vos”. Um va­lor que se­rá apli­ca­do em ações co­mo a re­po­si­ci­o­na­men­to das áre­as co­muns, na cri­a­ção de ci­clo­vi­as e ca­mi­nhos pe­do­nais que vão re­for­çar a li­ga­ção do Fó­rum Mon­ti­jo à ci­da­de, ou na “im­por­ta­ção” pa­ra Sin­tra e Mon­ti­jo do con­cei­to “Me­ren­da”, a área de restauração que a Im­mo­chan de­sen­vol­veu no Ale­gro Cas­te­lo Bran­co.

O re­bran­ding dos cen­tros co­mer­ci­ais do Mon­ti­jo e Sin­tra, que ope­ram sob a mar­ca Fó­rum, pa­ra a mar­ca Ale­gro é ou­tra das pos­si­bi­li­da­des que a Im­mo­chan es­tá a es­tu­dar, mas não é, pe­lo me­nos pa­ra já, a pri­o­ri­da­de do no­vo pro­pri­e­tá­rio.

Pa­ra já, uma coi­sa é cer­ta: “com es­tas aqui­si­ções a Im­mo­chan con­so­li­dou a sua po­si­ção no mer­ca­do da Gran­de Lisboa, on­de já es­tá­va­mos com o Ale­gro Al­fra­gi­de e o Ale­gro Setúbal, en­tre ou­tras ga­le­ri­as. Ho­je, so­mos um dos prin­ci­pais players na re­gião, on­de pers­pe­ti­va­mos atin­gir qua­se 40 mi­lhões de vi­si­tas anu­ais”.

Pa­ra os pró­xi­mos cin­co anos, a em­pre­sa ga­ran­te ter em car­tei­ra mais dois pro­je­tos im­por­tan­tes, tam­bém lo­ca­li­za­dos na Gran­de Lisboa

DR

Má­rio Cos­ta, di­re­tor-ge­ral da Im­mo­chan

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.