Pro­du­tos Bar­bot ga­nham uma nova ima­gem

Dois pro­du­tos da Bar­bot ga­nha­ram uma nova ima­gem. A tin­ta Bar­bo­li­te Hy­dro e a tin­ta para ex­te­ri­or Bar­bo­cril Plus D7 sur­gem ago­ra em em­ba­la­gens on­de do­mi­nam os tons de azul.

Publico - Imobiliario - - Soluções Técnicas Na Ru -

A re­no­va­ção da ima­gem dos pro­du­tos é um dos ob­je­ti­vos da Bar­bot. De­pois da mu­dan­ça da la­ta da tin­ta Per­fect, no ano pas­sa­do, a marca ofe­re­ceu uma “rou­pa­gem” mais cle­an às tin­tas Bar­bo­li­te Hy­dro e Bar­bo­cril Plus D7.

“É im­por­tan­te man­ter­mos a ima­gem dos nos­sos pro­du­tos atu­a­li­za­da e ape­la­ti­va no pon­to de venda. A Bar­bot quer que as em­ba­la­gens das so­lu­ções es­pe­lhem a sua ino­va­ção e que, ao mes­mo tem­po, se­jam atra­ti­vas ao con­su­mi­dor. Is­to sem per­der a identidade da marca”, re­fe­riu So­fia Mi­guel, diretora de Mar­ke­ting da marca por­tu­gue­sa de tin­tas e ver­ni­zes.

Am­bas as tin­tas apre­sen­tam-se ago­ra nu­ma em­ba­la­gem ins­pi­ra­da nos tons de azul. Ape­sar da mu­dan­ça, os dois pro­du­tos man­têm as mes­mas ca­rac­te­rís­ti­cas e a mes­ma qua­li­da­de.

De sa­li­en­tar que a Bar­bo­cril Plus D7 é uma tin­ta ma­te 100% acrí­li­ca, in­di­ca­da para a pin­tu­ra de fa­cha­das, pois ofe­re­ce du­ra­bi­li­da­de e co­ber­tu­ra, im­pe­din­do o de­sen­vol­vi­men­to de fun­gos e al­gas na pe­lí­cu­la e es­tá dis­po­ní­vel em três ca­pa­ci­da­des: 1 li­tro, 5 li­tros e bal­des de 15 li­tros.

Já o pro­du­to Bar­bo­li­te Hy­dro é uma tin­ta aquo­sa com re­si­nas Hy­dro Pli­o­te. Pos­sui re­sis­tên­cia à al­ca­li­ni­da­de, é per­meá­vel ao va­por de água e im­per­meá­vel à água lí­qui­da e es­tá dis­po­ní­vel em du­as ca­pa­ci­da­des: 5 li­tros e 15 li­tros e afi­ná­vel no sis­te­ma Bar­bot­mix.

Con­su­mi­do­res exi­gen­tes

Ain­da re­cen­te­men­te So­fia Mi­guel, diretora de Mar­ke­ting da Bar­bot, as­su­mia ao Pú­bli­co Imobiliário que, ho­je, não bas­ta ter pro­du­tos de qua­li­da­de para vin­gar no mer­ca­do. Aliás, a qua­li­da­de é al­go que de­ve­rá fa­zer, des­de lo­go, par­te in­trín­se­ca do pro­du­to, do seu ADN. Por is­so, há que ser mui­to mais. Os va­lo­res ine­ren­tes a uma marca têm de es­tar, para além de bem co­mu­ni­ca­dos, tam­bém eles in­cu­ti­dos no pro­du­to.

Daí que as exi­gên­ci­as e de­sa­fi­os têm vin­do a al­te­rar-se nos úl­ti­mos anos. So­fia Mi­guel ex­pli­ca­va-nos que os de­sa­fi­os de ho­je pas­sam, pre­ci­sa­men­te, por acom­pa­nhar as no­vas exi­gên­ci­as do mer­ca­do. “Os con­su­mi­do­res têm vá­ri­as pre­o­cu­pa­ções que não pas­sam ape­nas pe­la qua­li­da­de do pro­du­to. O pú­bli­co tem ca­da vez mais aten­ção à saúde e bem-es­tar e, as­sim, exi­ge pro­du­tos que se ade- qu­em a es­te es­ti­lo de vi­da”.

E é pre­ci­sa­men­te es­sa a pos­tu­ra, de di­na­mis­mo e adap­ta­ção às no­vas cir­cuns­tân­ci­as, que es­ta marca – nas­ci­da no Por­to, em 1920, pe­las mãos de Di­o­go Bar­bot – in­sis­te e per­sis­te em man­ter ao lon­go dos anos. “A Bar­bot im­põe-se no mer­ca­do pe­lo seu es­pí­ri­to, além da qua­li­da­de. Somos uma marca emo­ti­va que quer es­tar pró­xi­mo do seu pú­bli­co e me­re­cer fa­zer par­te do seu dia-a-dia”.

Mer­ca­do na­ci­o­nal com­pe­ti­ti­vo

O mer­ca­do na­ci­o­nal é ca­da vez mais com­pe­ti­ti­vo, exi­gen­te e in­for­ma­do. Dis­so pa­re­ce não ha­ver qual­quer dú­vi­da e So­fia Mi­guel diz mes­mo que o con­su­mi­dor “sa­be bem o que quer”. Além dis­so, acres­cen­ta es­ta res­pon­sá­vel, “é um con­su­mi­dor ca­da vez mais pre­sen­te no mun­do di­gi­tal, daí a Bar­bot ter apos­ta­do nes­ta área nos úl­ti­mos anos, es­tan­do pre­sen­te nas prin­ci­pais re­des so­ci­ais de for­ma a acom­pa­nhar es­ta ten­dên­cia”.

Igual­men­te de­sa­fi­an­te é o mer­ca­do da cons­tru­ção, cu­ja cri­se agi­li­zou a pro­cu­ra de no­vos de­sa­fi­os e pro­je­tos. Exem­plo dis­so é pre­ci­sa­men­te a Bar­bot que es­tá ca­da vez mais cen­tra­da no mer­ca­do da re­a­bi­li­ta­ção. “Por is­so, te­mos apre­sen­ta­do vá­ri­os pro­du­tos, nos úl­ti­mos anos, que cor­res­pon­dam e col­ma­tem as ne­ces­si­da­des do mes­mo, co­mo pro­du­tos de iso­la­men­to”. A ga­ma Bar­botherm Cork e EPS são pre­ci­sa­men­te a ma­te­ri­a­li­za­ção des­sa nova ten­dên­cia.

Aliás, no si­te des­te player na­ci­o­nal do setor das tin­tas, é co­mu­ni­ca­do o fac­to da fa­cha­da dos Pa­ços do Con­ce­lho da Pó­voa de La­nho­so ter si­do com­ple­ta­men­te re­qua­li­fi­ca­da com o con­tri­bu­to da Bar­bot. “O edi­fí­cio, exem­plo da ar­qui­te­tu­ra do Es­ta­do No­vo, foi inau­gu­ra­do em 1942 e apre­sen­ta­va já al­guns si­nais de des­gas­te, so­bre­tu­do fis­su­ras na fa­cha­da. Para re­sol­ver to­dos os pro­ble­mas das pa­re­des ex­te­ri­o­res, foi apli­ca­do o Sis­te­ma de Res­tau­ro Bar­bot”. Es­te sis­te­ma é com­pos­to por mas­sa Bar­botherm pó, re­de fi­bra de vi­dro, Bar­bo­pri­mer e Mas­sa de Re­ves­ti­men­to Fi­nal. “A sua apli­ca­ção cria um re­ves­ti­men­to fi­nal hi­dró­fu­go e com fle­xi­bi­li­da­de, con­tri­buin­do para uma mai­or lon­ge­vi­da­de das fa­cha­das. Apli­car es­te con­jun­to de pro­du­tos ga­ran­te não só um bom aca­ba­men­to de as­pe­to de­co­ra­ti­vo, mo­der­no e du­rá­vel, co­mo tam­bém pre­vi­ne o re­a­pa­re­ci­men­to de fis­su­ras e de fun­gos e al­gas”.

Pro­je­tos para 2018

2017 foi um ano de­sa­fi­an­te para a Bar­bot. A em­pre­sa por­tu­gue­sa apos­tou no me­lho­ra­men­to de al­guns pro­du­tos, co­mo a ga­ma de ma­dei­ras. Lan­çou ain­da uma nova ima­gem da tin­ta eco­ló­gi­ca Bar­bot Per­fect e avan­çou com o pro­je­to da Aca­de­mia de Pin­tu­ra Bar­bot, “no sen­ti­do de es­tar­mos mais pró­xi­mos dos pro­fis­si­o­nais, mas tam­bém dos con­su­mi­do­res”.

Para 2018, além de dar con­ti­nui­da­de ao que de­sen­vol­veu até ago­ra, So­fia Mi­guel acres­cen­ta que a Bar­bot pre­ten­de re­for­çar a apos­ta no de­sen­vol­vi­men­to de no­vos pro­du­tos, para col­ma­tar as ne­ces­si­da­de e exi­gên­cia do con­su­mi­dor de for­ma rá­pi­da e as­ser­ti­va. “Es­ta­mos a tra­ba­lhar em en­ri­que­cer o nos­so por­te­fó­lio de pro­du­tos, sem­pre com o ob­je­ti­vo de sa­tis­fa­zer as exi­gên­ci­as do nos­so con­su­mi­dor, no­me­a­da­men­te no que diz res­pei­to aos pro­du­tos de­co­ra­ti­vos”. Na área de pa­vi­men­tos e in­dús­tria tam­bém ha­ve­rá novidades, diz So­fia Mi­guel. “Por fim, es­tá pre­vis­ta a aber­tu­ra de no­vas lo­jas Bar­bot, e a re­mo­de­la­ção de al­gu­mas já exis­ten­tes”.

DR

Dois pro­du­tos da Bar­bot ga­nha­ram uma nova ima­gem: a tin­ta Bar­bo­li­te Hy­dro e a tin­ta para ex­te­ri­or Bar­bo­cril Plus D7

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.