Seg­men­to re­si­den­ci­al po­ten­cia cres­ci­men­to da Pre­di­bi­sa

O seg­men­to re­si­den­ci­al, li­ga­do à pro­mo­ção e à re­a­bi­li­ta­ção ur­ba­na no cen­tro his­tó­ri­co do Por­to, foi o que re­gis­tou me­lhor per­for­man­ce, ten­do mais que du­pli­ca­do em re­la­ção a 2016

Publico - Imobiliario - - Novos Projetos Imobiliários Na Ru -

Em linha com os anos an­te­ri­o­res, a Pre­di­bi­sa re­gis­tou, uma vez mais, um cres­ci­men­to fa­ce ao ano an­te­ri­or. A con­sul­to­ra imo­bi­liá­ria es­pe­ci­a­li­za­da no Nor­te do país apre­sen­tou os seus re­sul­ta­dos, di­vul­gan­do ter en­cer­ra­do o ano de 2017 com um cres­ci­men­to de 50% em re­la­ção ao ano tran­sa­to e uma con­cre­ti­za­ção de ne­gó­ci­os de 150 mi­lhões de eu­ros. De to­das as áre­as de negócio, a con­sul­to­ra des­ta­cou a ver­ten­te re­si­den­ci­al, in­trin­se­ca­men­te li­ga­da à pro­mo­ção e à re­a­bi­li­ta­ção ur­ba­na na Bai­xa do Por­to, aque­la que re­gis­tou um mai­or in­cre­men­to, ten­do mais que du­pli­ca­do (125%) de 2016 pa­ra 2017.

“Cada vez mais pre­sen­te no ra­dar do mer­ca­do in­ter­na­ci­o­nal, o Por­to po­si­ci­o­na-se com uma zo­na mui­to atra­ti­va pa­ra gran­des tran­sa­ções imo­bi­liá­ri­as. O apa­re­ci­men­to de pro­du­to imo­bi­liá­rio em con­so­nân­cia com a qua­li­da­de da ofer­ta ex­pli­ca es­ta re­a­li­da­de. Mas se 2017 foi um ano no­tá­vel tam­bém te­ve de­sa­fi­os e um de­les pas­sou pe­lo re­for­ço da mul­ti­dis­ci­pli­na­ri­e­da­de da equi­pa Pre­di­bi­sa. Criá­mos o de­par­ta­men­to de Ava­li­a­ções e Con­sul­to­ria pa­ra dar uma res­pos­ta mais abran­gen­te aos cli­en­tes que pre­ten­dam ob­ter mai­or cer­te­za quan­to ao va­lor do seu pa­tri­mó­nio, com um acon­se­lha­men­to mais fun­da­men­ta­do”, re­fe­riu em co­mu­ni­ca­do João Ma­ga­lhães, di­re­tor-ge­ral da Pre­di­bi­sa.

Área re­si­den­ci­al des­ta­cou-se

A con­sul­to­ra ad­mi­te que li­ga­da à pro­mo­ção e à re­a­bi­li­ta­ção ur­ba­na no Por­to, a área re­si­den­ci­al foi a que se des­ta­cou com me­lho­res in­di­ca­do­res de per­for­man­ce no úl­ti­mo ano, no en­tan­to, tam­bém fo­ram re­a­li­za­dos ne­gó­ci­os com cli­en­tes in­ves­ti­do­res que pro­cu­ra­vam ren­di­men­tos na res­tau­ra­ção, co­mér­cio, es­cri­tó­ri­os, ho­te­la­ria mas, em par­ti­cu­lar, no short-ren­tal. “Es­ta di­nâ­mi­ca de tran­sa­ções de­veu-se em lar­ga me­di­da ao in­cre­men­to do tu­ris­mo e ao alo­ja­men­to lo­cal. To­da­via, 2017 foi tam­bém um ano po­si­ti­vo pa­ra ou­tros seg­men­tos de negócio da Pre­di­bi­sa”.

Em re­la­ção à área de es­cri­tó­ri­os, “es­ta con­so­li­dou-se em re­la­ção a 2016, re­fle­xo da pro­cu­ra acen­tu­a­da de em­pre­sas es­tran­gei­ras, que bus­cam a fi­xa­ção na re­gião. Fa­to­res co­mo o know-how tec­no­ló­gi­co e de­sen­vol­vi­men­to de soft­ware, a in­ci­dên­cia de po­los uni­ver­si­tá­ri­os na re­gião, as bo­as aces­si­bi­li­da­des e até a pró­pria qua­li­da­de de vi­da, fa­zem do Por­to uma boa alter­nati­va pa­ra ins­ta­la­ção des­tas em­pre­sas, fa­ce a ou­tros mer­ca­dos eu­ro­peus”. Con­tu­do, a Pre­di­bi­sa ga­ran­te que pa­ra con­so­li­dar a atra­ti­vi­da­de que a re­gião tem vin­do a go­zar no mer­ca­do in­ter­na­ci­o­nal de pro­cu­ra de es­cri­tó­ri­os, a qua­li­da­de da ofer­ta co­me­ça a ter que es­tar li­ga­da a pro­je­tos de re­con­ver­são. “Al­go já com al­gu­ma ex­pres­são no que diz res­pei­to à im­ple­men­ta­ção de es­pa­ços de cowor­king, uma apos­ta di­re­ci­o­na­da, em par­ti­cu­lar, pa­ra o mer­ca­do das star­tups e que se pre­vê ter con­ti­nui­da­de es­te ano”.

No que con­cer­ne à ati­vi­da­de de ou­tras ver­ten­tes de negócio, co­mo a in­dús­tria e lo­gís­ti­ca e o co­mér­cio, a em­pre­sa con­si­de­ra que os de­sem­pe­nhos fo­ram po­si­ti­vos, re­gis­tan­do-se

A Pre­di­bi­sa diz que li­ga­da à pro­mo­ção e à re­a­bi­li­ta­ção ur­ba­na no Por­to, a área re­si­den­ci­al foi a que se des­ta­cou com me­lho­res in­di­ca­do­res de per­for­man­ce no úl­ti­mo ano

um sig­ni­fi­ca­ti­vo vo­lu­me de tran­sa­ções, com bons re­tor­nos imo­bi­liá­ri­os. “Tam­bém o seg­men­to de ca­pi­tal mar­ket foi si­nó­ni­mo de in­ten­si­da­de nos ne­gó­ci­os, com em­pre­sas es­tran­gei­ras a apos­ta­rem na com­pra de gran­des ati­vos imo­bi­liá­ri­os nu­ma ba­se de ren­di­men­to ga­ran­ti­do, sen­do a re­gião Nor­te pon­to de atra­ção ao in­ves­ti­men­to”.

Ao lon­go de 2017, o por­te­fó­lio da Pre­di­bi­sa in­cor­po­rou ne­gó­ci­os co­mo a co­mer­ci­a­li­za­ção de em­pre­en­di­men­tos re­si­den­ci­ais, co­mo o edi­fí­cio Lei­ca na Rua Sá da Ban­dei­ra; as Ca­sas Quin­ta da Vi­la­ri­nha, o Es­sen­za e as Ca­sas das Bu­gan­ví­li­as jun­to à Ave­ni­da da Bo­a­vis­ta, o em­pre­en­di­men­to Flo­res 77 na Rua das Flo­res e o Pa­lá­cio dos Prín­ci­pes em Ce­do­fei­ta; a co­lo­ca­ção da Star­bucks na Rua Mou­zi­nho da Sil­vei­ra; o pro­je­to cha­ve-na-mão da Pre­di­bi­sa com a Gar­cia, Gar­cia pa­ra a Na­cex, en­tre ou­tros.

DR

Pa­lá­cio dos Prín­ci­pes, em Ce­do­fei­ta, Por­to

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.