Mil­len­nium bcp lan­ça no­va cam­pa­nha pa­ra cer­ca de 130 imó­veis re­si­den­ci­ais

Sob o le­ma “Bo­as Opor­tu­ni­da­des”, es­ta ação en­vol­ve apar­ta­men­tos e mo­ra­di­as em 17 dis­tri­tos. Ar­ran­cou es­ta se­gun­da-fei­ra, dia 4, e de­cor­re até 30 de se­tem­bro. O que o ban­co pro­cu­ra é com­pra­do­res e bo­as pro­pos­tas.

Publico - Imobiliario - - Oportunidades -

Po­der ad­qui­rir os imó­veis a va­lo­res pro­mo­ci­o­nais du­ran­te o pe­río­do da ação é ape­nas um dos fa­to­res dis­tin­ti­vos da cam­pa­nha “Bo­as Opor­tu­ni­da­des”, cu­ja 1ª edi­ção foi lan­ça­da a 4 de ju­nho pe­lo Mil­len­nium bcp. “As van­ta­gens não se es­go­tam no pre­ço! Enu­me­ra­mos tam­bém as con­di­ções de fi­nan­ci­a­men­to exis­ten­tes no ban­co pa­ra es­tes imó­veis e o acom­pa­nha­men­to per­so­na­li­za­do dos cli­en­tes, pro­por­ci­o­na­do pe­los nos­sos par­cei­ros imo­bi­liá­ri­os, quer na vi­si­ta ao imó­vel, quer em to­do o pro­ces­so de aqui­si­ção e in­te­ra­ção com o ban­co”, evi­den­cia Jo­sé Araú­jo, di­re­tor da Di­re­ção de Ne­gó­cio Imo­bi­liá­rio (DNI) do Mil­len­nium bcp.

Mas aci­ma de tu­do, des­ta­cam-se “os imó­veis en­vol­vi­dos, que cons­ti­tu­em ver­da­dei­ras opor­tu­ni­da­des de ne­gó­cio, tan­to pa­ra uti­li­za­ção pe­lo pró­prio, co­mo nu­ma pers­pe­ti­va de in­ves­ti­men­to pa­ra re­ven­da ou ar­ren­da­men­to”, acres­cen­ta Carlos Nunes, Res­pon­sá­vel de Vendas – Re­ta­lho Sul da DNI, que es­tá a co­or­de­nar a cam­pa­nha na re­gião Sul, a qual con­cen­tra cer­ca de 30% dos imó­veis en­vol­vi­dos.

A Nor­te, on­de se si­tu­am os ou­tros 70% da car­tei­ra, a co­or­de­na­ção é as­su­mi­da por Cruz Lan­ça, Res­pon­sá­vel de Vendas – Re­ta­lho Nor­te da DNI, pa­ra qu­em a cam­pa­nha reú­ne os in­gre­di­en­tes cer­tos pa­ra o su­ces­so, pois “pro­mo­ve uma ofer­ta de imó­veis re­si­den­ci­ais em vá­ri­os con­ce­lhos do país e a bons pre­ços”. Es­ta di­ver­si­da­de é pre­ci­sa­men­te um dos trun­fos da ação, que de­cor­re­rá até 30 de se­tem­bro.

Os cer­ca de 130 imó­veis in­te­gra­dos na cam­pa­nha dis­tri­bu­em­se por 17 dis­tri­tos de to­do o país, des­de Bra­gan­ça a Be­ja (no in­te­ri­or e li­to­ral), e apre­sen­tam áre­as e pre­ços bas­tan­te va­ri­a­dos. As mo­ra­di­as são pre­do­mi­nan­tes (cer­ca de 80% da ofer­ta) e in­clu­em ti­po­lo­gi­as de V0 a V5, com al­gu­mas a in­te­gra­rem ter­re­nos cir­cun­dan­tes/lo­gra­dou­ros de bo­as di­men­sões. Qu­an­to aos apar­ta­men­tos, há ofer­ta de T1 a T5, em­bo­ra ape­nas a re­gião Sul en­glo­be ti­po­lo­gi­as de me­nor di­men­são (i.e. in­fe­ri­or a T2).

Opor­tu­ni­da­des a Sul

“De fac­to uma das mar­cas da cam­pa­nha é a des­cen­tra­li­za­ção dos imó­veis en­vol­vi­dos”, con­fir­ma Carlos Nunes, ex­pli­can­do que “qui­se­mos cri­ar opor­tu­ni­da­des nou­tras zo­nas uma in­fluên­cia po­si­ti­va no re­sul­ta­do”. Na sua pers­pe­ti­va, “des­de fi­nais de 2016 que o mer­ca­do imo­bi­liá­rio tem vin­do a mos­trar ful­gor co­mo há mui­tos anos não as­sis­tía­mos”. As bo­as opor­tu­ni­da­des pro­por­ci­o­na­das por es­ta cam­pa­nha são ain­da mais evi­den­tes num con­tex­to em que “se man­te­rá a ten­dên­cia de su­bi­da dos pre­ços mé­di­os por m2 em qua­se to­das as re­giões do Sul”, co­men­ta Pedro Ba­ra­ta, su­bli­nhan­do que, “com a cam­pa­nha, es­tes imó­veis irão des­per­tar bas­tan­te in­te­res­se”.

Opor­tu­ni­da­des a Nor­te

Pers­pe­ti­vas se­me­lhan­tes tem Cruz Lan­ça pa­ra a re­gião Nor­te. “Os dis­tri­tos do in­te­ri­or co­mo Cas­te­lo Bran­co, Bra­gan­ça ou Guar­da têm ga­nho ul­ti­ma­men­te uma no­va di­nâ­mi­ca”, re­fe­re, dan­do co­mo exem­plo o con­ce­lho da Co­vi­lhã, “on­de te­mos al­guns ati­vos pa­ra ven­da com pre­ços mui­to in­te­res­san­tes. Mas tam­bém te­mos imó­veis em con­ce­lhos mais pro­cu­ra­dos no dis­tri­to do Por­to, co­mo são os ca­sos de San­to Tir­so ou Gaia”. Aliás, “nos con­ce­lhos on­de ha­bi­tu­al­men­te há mais pro­cu­ra, de­sig­na­da­men­te nos cen­tros ur­ba­nos, con­ta­mos ven­der mais de dois ter­ços dos imó­veis em cam­pa­nha no pe­río­do”, diz João Mar­tins, Di­re­tor Ge­ral da Max­fi­nan­ce Por­tu­gal/Gru­po Remax, que es­tá a apoi­ar o ban­co nes­ta cam­pa­nha a Nor­te, con­si­de­ra que “os con­ce­lhos on­de exis­tem uni­ver­si­da­des e que es­te­jam a ser pro­cu­ra­dos pe­lo tu­ris­mo evi­den­ci­am gran­de di­nâ­mi­ca”, pe­lo que imó­veis nos con­ce­lhos de Coim­bra e Por­to de­ve­rão “ser os mais atra­ti­vos”.

Tam­bém nes­ta re­gião, o mo­men­to de mer­ca­do “pro­pí­cia o su­ces­so de cam­pa­nhas co­mo es­ta”, diz Cruz Lan­ça: “Há fal­ta de ofer­ta de imó­veis no­vos, es­pe­ci­al­men­te no seg­men­to re­si­den­ci­al e nas mai­o­res zo­nas ur­ba­nas. Es­ta si­tu­a­ção, as­so­ci­a­da ao au­men­to da pro­cu­ra, ala­van­ca­da pe­lo cres­ci­men­to da ofer­ta de cré­di­to e pe­la pro­cu­ra tu­rís­ti­ca de ca­sas, co­lo­cou pres­são no mer­ca­do de usa­dos, com au­men­to do in­ves­ti­men­to nes­te ti­po de imó­veis e cor­res­pon­den­te au­men­to de pre­ços em zo­nas de mai­or pro­cu­ra”. Por is­so mes­mo, diz João Mar­tins, “es­ta cam­pa­nha vai ao en­con­tro das ne­ces­si­da­des do cli­en­te com­pra­dor, sa­tis­fa­zen­do a la­cu­na da fal­ta de pro­du­to”.

WIKIMEDIACOMMONS/M.PEINADO

O ban­co pro­cu­ra com­pra­do­res e bo­as pro­pos­tas pa­ra os imó­veis in­te­gra­dos nes­ta cam­pa­nha. Bra­gan­ça (na fo­to) é um dos dis­tri­tos abran­gi­dos.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.