“O tu­ris­mo de lu­xo em Por­tu­gal es­tá ao ní­vel do que me­lhor se faz no mun­do”

Car­los Le­al foi re­cen­te­men­te no­me­a­do pre­si­den­te da As­so­ci­a­ção Por­tu­gue­sa de Re­sorts. Em en­tre­vis­ta, diz que Por­tu­gal tem um tu­ris­mo re­si­den­ci­al de lu­xo de gran­de qua­li­da­de e que a APR pre­ten­de não só con­tri­buir pa­ra uni­fi­car to­dos os “players” na área do

Publico - Imobiliario - - Especial Resorts -

Ho­je, que pa­pel quer ter a APR no se­tor?

Pre­ten­do con­tri­buir pa­ra que a As­so­ci­a­ção Por­tu­gue­sa de Re­sorts (APR) re­for­ce a pro­mo­ção e união do Tu­ris­mo, em par­ti­cu­lar do Tu­ris­mo Re­si­den­ci­al. Se­rá im­por­tan­te que es­te se tor­ne ca­da vez mais com­pe­ti­ti­vo em ter­ri­tó­rio na­ci­o­nal e in­ter­na­ci­o­nal.

E quais as ações pro­gra­ma­das pa­ra o cor­ren­te ano?

Te­mos já pro­gra­ma­das al­gu­mas ações e par­ti­ci­pa­ções em ini­ci­a­ti­vas in­ter­na­ci­o­nais. Des­ta­co al­gu­mas: a con­fe­rên­cia anu­al do tu­ris­mo re­si­den­ci­al e do gol­fe; par­ti­ci­pa­ção co­le­ti­va no sa­lão Buying Pro­perty Abro­ad em Es­to­col­mo, nos sa­lões Mo­ving to Por­tu­gal em Lon­dres e em Bir­mingham, no sa­lão Se­cond Ho­me Ex­po em Utre­cht, no sa­lão do Tu­ris­mo e do Imo­bi­liá­rio Por­tu­guês em Pa­ris e no sa­lão Over­se­as Pro­perty, Im­mi­gra­ti­on and In­vest­ment Exhi­bi­ti­on em Xanghai. Te­mos tam­bém pre­vis­ta a re­a­li­za­ção de workshops How to Sell Suc­ces­s­fully to Bel­gi­an, Dut­ch and Swe­dish Cli­ents em Lis­boa e Fa­ro. Pre­ten­de­mos me­lho­rar o por­tal da APR e in­ves­tir em es­tu­dos de mer­ca­do in­ter­na­ci­o­nais.

O que tem vin­do a mu­dar es­pe­ci­fi­ca­men­te nes­te se­tor nos úl­ti­mos anos?

Nos úl­ti­mos anos Por­tu­gal tem-se tor­na­do um país mais for­te tu­ris­ti­ca­men­te. No Al­gar­ve con­ti­nu­a­mos a ter a co­mu­ni­da­de bri­tâ­ni­ca co­mo um dos prin­ci­pais mer­ca­dos, se­gui­dos pe­lo mer­ca­do na­ci­o­nal, mas há ou­tros mer­ca­dos emer­gen­tes, co­mo o fran­cês, que têm vin­do a cres­cer nos úl­ti­mos anos. O tu­ris­mo de lu­xo em Por­tu­gal es­tá ao ní­vel do me­lhor se faz no mun­do e que­re­mos con­ti­nu­ar a apos­tar nes­se seg­men­to. Tan­to ao ní­vel do golf co­mo ago­ra, nu­ma ten­dên­cia cres­cen­te, ao ní­vel do “well being”, Por­tu­gal tem in­fra­es­tru­tu­ras ao mais al­to ní­vel que acom­pa­nham as ten­dên­ci­as de cui­da­dos de saú­de e bem-es­tar, que têm es­ta­do in­ter­na­ci­o­nal­men­te a di­tar ten­dên­ci­as.

Den­tro do imo­bi­liá­rio, co­mo des­cre­vem a área de re­sorts e em­pre­en­di­men­tos tu­rís­ti­cos de qua­li­da­de?

Em Por­tu­gal te­mos um tu­ris­mo re- si­den­ci­al de lu­xo de gran­de qua­li­da­de. Na APR pre­ten­do não só con­tri­buir pa­ra uni­fi­car to­dos os “players” na área do tu­ris­mo, co­mo tam­bém acres­cen­tar va­lor ao sec­tor do tu­ris­mo re­si­den­ci­al e ser por­ta voz dos nos­sos as­so­ci­a­dos. apoio ao mai­or des­ti­no tu­rís­ti­co de Por­tu­gal: o Al­gar­ve. O po­si­ci­o­na­men­to de Por­tu­gal de­ve ser mais do que sol e mar. O país tem to­das con­di­ções pa­ra ser um des­ti­no de saú­de e bem-es­tar (sen­do es­ta uma ten­dên­cia do tu­ris­mo, pa­ra os pró­xi­mos 30 anos).

Quais as me­di­das que an­sei­am pa­ra o se­tor?

Re­for­ço a ideia da ne­ces­si­da­de de au­men­tar a ca­pa­ci­da­de lo­gís­ti­ca de mo­do a acom­pa­nhar o cres­ci­men­to do sec­tor. São ne­ces­sá­ri­as (e ur­gen­tes) al­ter­na­ti­vas ao Ae­ro­por­to de Lis­boa. Es­te é um fa­tor crí­ti­co, pois os mer­ca­dos que fo­ram afe­ta­dos por si­tu­a­ções po­lí­ti­co-so­ci­ais es­tão a “vol­tar” às es­co­lhas dos tu­ris­tas.

O que par­ti­cu­lar­men­te gos­ta­ria de ver “re­sol­vi­do” du­ran­te a sua pre­si­dên­cia?

Nes­ta pre­si­dên­cia va­mos tra­ba­lhar pa­ra me­lho­rar as si­ner­gi­as com ou­tros sec­to­res e or­ga­ni­za­ções - con­so­li­dan­do e unin­do es­for­ços com di­fe­ren­tes es­tru­tu­ras or­ga­ni­za­ti­vas, mes­mo nou­tros sec­to­res (al­guns exem­plos: Con­se­lho Na­ci­o­nal da In­dús­tria do Golf, Li­ving In, AIPP, As­so­ci­a­ção Ho­te­lei­ra Por­tu­gue­sa, APEMIP, etc). Pre­ten­de­mos con­tri­buir pa­ra que a APR se­ja um se­lo de qua­li­da­de, uma cer­ti­fi­ca­ção, uma en­ti­da­de re­co­nhe­ci­da que es­pe­lha a se­gu­ran­ça e a qua­li­da­de, ine­ren­tes ao se­tor do tu­ris­mo re­si­den­ci­al. E, fi­nal­men­te, que­re­mos aju­dar a man­ter o ní­vel de com­pe­ti­ti­vi­da­de des­te se­tor.

Nas­ci­do em An­go­la, Car­los Le­al pas­sou a sua in­fân­cia e ju­ven­tu­de adul­ta na África do Sul, an­tes de se mu­dar pa­ra Por­tu­gal em 1999. É li­cen­ci­a­do em “Qu­an­tity Sur­veyor” com pós-gra­du­a­ção em Ges­tão e Ad­mi­nis­tra­ção de Ne­gó­ci­os

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.