Ma­cron cha­ma GNR de Por­ta­le­gre pa­ra co­lo­car Pa­ris na or­dem

Publico - Inimigo - - LA FAMIGLIA -

De­pois de três se­ma­nas de pro­tes­tos vi­o­len­tos, Ma­cron deu um pas­so atrás e sus­pen­deu du­ran­te seis me­ses um no­vo au­men­to de im­pos­tos so­bre os com­bus­tí­veis, mas os “co­le­tes ama­re­los” não fi­ca­ram sa­tis­fei­tos e vão con­ti­nu­ar as ma­ni­fes­ta­ções até à sua de­mis­são. De­pois de vi­su­a­li­zar na in­ter­net os ví­de­os vi­rais de uma sim­ples au­la do 40.º cur­so do Cen­tro de For­ma­ção da GNR de Por­ta­le­gre, o pre­si­den­te per­ce­beu que o diá­lo­go po­de­rá não ser a me­lhor so­lu­ção. “Já es­tá tu­do tra­ta­do. Con­tra­tei os me­lho­res alu­nos de to­dos os cur­sos da GNR de Por­ta­le­gre e o di­re­tor do Cen­tro de For­ma­ção da GNR de Por­ta­le­gre que aca­bou de ser de­mi­ti­do já es­tá em Fran­ça e vai co­me­çar a dar cur­sos pa­ra en­si­nar os po­lí­ci­as fran­ce­ses co­mo é que se man­tém a or­dem num país. “Con­ti­nua, ca­brão! Re­ben­ta com es­se co­le­te ama­re­lo! Co­mo es­ta­va a di­zer, de­pois dos anos 60, no­va­men­te os por­tu­gue­ses a vi­rem pa­ra Fran­ça pa­ra fa­ze­rem o tra­ba­lho su­jo que os fran­ce­ses se re­cu­sam a fa­zer. Ago­ra com a GNR de Por­ta­le­gre a pa­tru­lhar as ru­as de Pa­ris, até já me sin­to con­for­tá­vel pa­ra au­men­tar um bo­ca­do o im­pos­to so­bre os com­bus­tí­veis, elec­tri­ci­da­de e gás. La Ré­pu­bli­que En Mar­che!”, gri­ta­va Ma­cron.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.