En­con­tra­da clas­se pro ssi­o­nal em Por­tu­gal que não es­tá em pro­tes­to

Publico - Inimigo - - GERINGONCEXIT -

De­pois dos pro­tes­tos, pré-avi­sos e gre­ves de es­ti­va­do­res, en­fer­mei­ros, téc­ni­cos de di­ag­nós­ti­co, bom­bei­ros, pro­fes­so­res, fun­ci­o­ná­ri­os do Me­tro de Lis­boa, Me­tro do Por­to, CP, ins­pec­to­res do SEF, se­gu­ran­ças dos ae­ro­por­tos, fun­ci­o­ná­ri­os ju­di­ci­ais, guar­das pri­si­o­nais, juí­zes, fun­ci­o­ná­ri­os dos re­gis­tos e no­ta­ri­a­dos, tra­ba­lha­do­res da Plu­ral e dos su­per­mer­ca­dos, foi fi­nal­men­te des­co­ber­ta uma clas­se pro­fis­si­o­nal em Por­tu­gal que não es­tá a exi­gir me­lho­ria de con­di­ções de tra­ba­lho e es­tá sa­tis­fei­ta. “Não te­mos ab­so­lu­ta­men­te ne­nhu­ma ra­zão pa­ra fa­zer gre­ve. Te­mos um sa­lá­rio mui­to bom, bom am­bi­en­te de tra­ba­lho, ho­rá­rio de tra­ba­lho fle­xí­vel, qua­li­da­de de vi­da, con­se­gui­mos con­ci­li­ar tra­ba­lho e tem­po pa­ra a fa­mí­lia e te­mos uma boa pro­gres­são na car­rei­ra. Te­nho um emprego de so­nho, até acho que era jus­to re­ce­ber me­nos e te­nho pe­na de ou­tras pes­so­as não po­de­rem ter as nos­sas re­ga­li­as”, ad­mi­tiu o por­ta-voz do sin­di­ca­to na­ci­o­nal dos de­pu­ta­dos. JH

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.