Me­lan­có­li­cos fi­lhos do You­tu­be (e ou­tras mú­si­cas)

Publico - Ipsilon - - Primeira Página -

Um per­cur­so pe­los sons des­te Su­per Bock em Stock — os que dão pa­ra dan­çar de­va­ga­ri­nho e os épi­cos.

Vai ser cu­ri­o­so, vai: co­mo raio é que os Sa­xopho­nes vão con­se­guir re­pro­du­zir a co­mo­ven­te in­ti­mi­da­de do seu dis­co de es­treia nu­ma si­tu­a­ção de festival? Música fei­ta de qua­se na­da, uma gui­tar­ris­ta, du­as vo­zes, mui­ta tristeza — co­mo?

Bom, a ho­ra e o sí­tio aju­dam: num festival con­ven­ci­o­nal aque­la me­lan­co­lia per­dia-se en­tre mi­lha­res de pes­so­as a olhar pa­ra te­le­mó­veis e es­pa­nhóis que nun­ca se ca­lam. Mas às 23h45 de sá­ba­do, no São Jorge, em Lis­boa — is­to tal­vez con­fi­gu­re uma si­tu­a­ção de uma cer­ta sa­cra­li­da­de, de dis­po­si­ção pa­ra ou­vir.

São um ca­so da­na­do, os Sa­xopho­nes: com um or­ça­men­to pa­ra mar­ke­ting que era me­nos que ze­ro, fo­ram aju­da­dos pe­lo bo­ca a bo­ca, o par­ti­lha a par­ti­lha — ba­si­ca­men­te to­da a gen­te os des­co­briu gra­ças ao al­go­rit­mo do You­tu­be, que por afi­ni­da­de os foi co­lo­can­do na lis­ta de coi­sas a ou­vir apro­pri­a­das pa­ra o teu gos­to (se­jas lá tu quem fo­res). Len­tos, me­lan­có­li­cos, pro­vi­dos de uma gui­tar­ra acús­ti­ca e pou­co mais, fo­ram len­ta­men­te tor­nan­do-se nu­ma ban­da de cul­to, so­bre quem re­ca­em imen­sas ex­pec­ta­ti­vas.

Sá­ba­do pa­re­ce ter si­do de­di­ca­do às ban­das cu­jo es­cas­so no­me se de­ve aos mis­té­ri­os do You­tu­be — exem­plo dis­so são, tam­bém, os Still Cor­ners: pes­qui­sem por The Trip, um co­los­so psi­ca­dé­li­co a les­te dos nos­sos di­as, pes­qui­sem por Black La­go­on (e de­pois dêem um pu­lo ao Co­li­seu, às 21, ama­nhã). Além dis­so, sá­ba­do pa­re­ce de­di­ca­do à me­lan­co­lia: Tim Ber­nar­des, que é vo­ca­lis­ta de O Ter­no, tor­nou-se ca­so de cul­to com Re­co­me­çar, dis­co de 2017 que foi (mais uma vez) sen­do des­co­ber­to len­ta­men­te. Re­co­me­çar, avi­sa-se, é só co­ra­ções des­truí­dos, in­di­ca­do, por­tan­to, a la­me­chas e gen­te em pro­ces­so de re­cu­pe­ra­ção emo­ci­o­nal das fe­ri­das pro­vo­ca­das em va­le de len­çóis (ama­nhã, 20h30, Ti­vo­li).

E, co­mo se não bas­tas­se, há o gran­de El­vis Per­kins (fi­lho do trá­gi­co Anthony), às 20h15, na Es­ta­ção Fer­ro­viá­ria do Ros­sio, com a sua folk que em dis­co é or­ques­tra­da e mui­to bo­ni­ta. Pa­ra dan­çar de­va­ga­ri­nho há a ex­ce­len­te elec­tró­ni­ca dos Jun­gle, às 00h30, no Co­li­seu.

Tam­bém se po­de dan­çar ao som de Na­ta­lie Prass — e com is­to es­ta­mos na sex­ta (por­que es­te tex­to co­me­çou pe­lo fim e só ago­ra che­gou ao prin­cí­pio). The Fu­tu­re and the Past, o mais re­cen­te dis­co, tem mui­to de r’n’b e de funk­zi­nho su­a­ve, não des­cu­ran­do a me­lo­dia — ex­pe­ri­men­tem pi­car Short court sty­le. Prass ac­tua ho­je às 23h45, no São Jorge, óp­ti­ma ho­ra pa­ra sen­tir o efei­to de música me­lo­sa no sis­te­ma de na­ve­ga­ção da an­ca.

Há Co­nan Osi­ris, às 22h15, e no mí­ni­mo há cu­ri­o­si­da­de pa­ra ver até que pon­to po­de che­gar es­te cu­ri­o­so fe­nó­me­no de ex­ce­len­tes be­ats e voz (pro­cu­ra eu­fe­mis­mo) idi­os­sin­crá­ti­ca. Ain­da no ca­pí­tu­lo das vo­zes: va­le a pe­na es­pi­ar a de Nakha­ne, às 22h na Ca­sa do Alen­te­jo; uma ho­ra mais ce­do, pu­ra e épi­ca pop com Ma­nu­el Fú­ria, no Co­li­seu. J.B.

Vai ser cu­ri­o­so ver co­mo é que os Sa­xopho­nes vão con­se­guir re­pro­du­zir a co­mo­ven­te in­ti­mi­da­de do seu dis­co de es­treia nu­ma si­tu­a­ção de festival

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.