Crónica Vas­co Câ­ma­ra O mun­do é grand

Publico - Ipsilon - - Primeira Página -

Nu­ma en­tre­vis­ta ao Íp­si­lon, António-Pe­dro Vas­con­ce­los (APV) con­si­de­rou que “o úni­co cinema po­lí­ti­co nes­te mo­men­to” é o de­le. “Não ve­jo ou­tros.” E sur­pre­en­dia-se: “Sur­pre­en­de-me que o cinema por­tu­guês não fa­le da re­a­li­da­de.” Eu fi­quei es­tar­re­ci­do. En­quan­to lia a con­ver­sa, lis­tei Ca­va­lo Di­nhei­ro (2014) — ca­be­ria to­do o cinema de Pe­dro Cos­ta, co­mo ca­be a mo­nu­men­tal ex­po­si­ção de Serralves, Pe­dro Cos­ta Com­pa­nhia; As Mil e uma Noi­tes de Miguel Go­mes (2015); São Jor­ge (2016), de Mar­co Mar­tins; Co­lo (2017, mas to­do o cinema de Te­re­sa

Vil­la­ver­de é ferido pe­la re­a­li­da­de...); Fá­bri­ca de Na­da (2017), de Pe­dro Pi­nho, proposta de pen­sa­men­to e de ac­ção pe­ran­te a di­fi­cul­da­de de ler o mun­do ho­je. E ca­be o mun­do nes­ta lista por­que se al­go mar­ca o cinema em Portugal na tra­ves­sia da cri­se é o ar­dor com que se deseja fi­xar ex­pe­ri­ên­ci­as e vidas, ins­cre­ver aven­tu­ras in­di­vi­du­ais no co­lec­ti­vo, apro­pri­an­do-se a fic­ção do re­al pa­ra se ele­var.

Es­se ar­dor só po­de pas­sar des­per­ce­bi­do a quem não se in­te­res­sa já. E há tam­bém dis­pli­cên­cia, por exem­plo, qu­an­do diz — en­tre­vis­ta de A.P.V. ao Ob­ser­va­dor — que o cinema por­tu­guês “ho­je é ir­re­le­van­te” por­que “nun­ca ga­nhou o pré­mio de Me­lhor Fil­me nos prin­ci­pais fes­ti­vais de cinema, co­mo Can­nes, Ber­lim ou Ve­ne­za”. Bem, co­lo­can­do a coi­sa as­sim, ven­do nos pré­mi­os, ou num Ós­car, a me­di­da da re­le­vân­cia... en­tão e a Pal­ma de Ou­ro de Can­nes e o Ur­so de Ou­ro de Ber­lim, 2010 e 2012, res­pec­ti­va­men­te, pa­ra João Sa­la­vi­za?

A não ser que se to­me aque­le “não ve­jo ou­tros” por uma afir­ma­ção de in­ten­ções — não lhe in­te­res­sa mes­mo ver fil­mes —, o pro­ble­ma com o re­al é no­to­ri­a­men­te o em­ba­ra­ço do re­a­li­za­dor de Par­que Mayer, fil­me que es­ta se­ma­na che­ga às sa­las. Es­sa for­ma de eli­dir a re­a­li­da­de e a fal­ta de em­pa­tia e de po­ro­si­da­de

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.