Li­vro de re­ci­ta­ções

Publico - Ipsilon - - Primeira Página -

(o li­vro on­de ele foi re­pu­bli­ca­do, jun­ta­men­te com mui­tos ou­tros, tem o mes­mo tí­tu­lo).

Stan­ley Fish ci­ta a Cons­ti­tui­ção ame­ri­ca­na que pro­cla­ma, na sua Pri­mei­ra Emen­da, a “fre­e­dom of spe­e­ch”, co­mo um va­lor e um di­rei­to que ne­nhu­ma lei po­de li­mi­tar. Apa­ren­te­men­te, a Pri­mei­ra Emen­da con­sa­gra de ma­nei­ra ab­so­lu­ta a li­ber­da­de de spe­e­ch (pa­la­vra que não po­de ser tra­du­zi­da por “ex­pres­são”). Pa­ra pro­te­ger a li­ber­da­de de spe­e­ch é ne­ces­sá­rio en­con­trar cri­té­ri­os de iden­ti­fi­ca­ção des­se “dis­cur­so” pro­te­gi­do, sem os quais, co­mo es­cre­ve Fish, não po­de ha­ver ne­nhu­ma lei que o pro­te­ja uma vez que nin­guém sa­be ao cer­to a que cor­res­pon­de a pró­pria no­ção de spe­e­ch. Por is­so, aliás, é que o Su­pre­mo Tri­bu­nal dos

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.