“Eter­na­men­te agra­de­ci­do”

Record (Portugal) - - OPINIÃO - RUI SOUSA E JOSÉ MI­GUEL MA­CHA­DO

Co­lom­bi­a­no não es­con­deu vín­cu­lo emo­ci­o­nal aos por­tis­tas no re­gres­so ao Dra­gão

Jack­son não dei­xou es­ca­par a opor­tu­ni­da­de de de­mons­trar o seu re­co­nhe­ci­men­to pe­lo ca­ri­nho que re­ce­beu das ban­ca­das na noi­te do re­gres­so ao Dra­gão e apro­vei­tou a oca­sião pa­ra as­su­mir a sua li­ga­ção emo­ci­o­nal ao FC Por­to. “Olhan­do pa­ra trás, nun­ca pen­sei em jo­gar con­tra es­te clu­be, mas foi mui­to bom sen­tir a li­ga­ção com os adep­tos”, re­fe­riu o co­lom­bi­a­no, ga­ran­tin­do que es­ta­rá “eter­na­men­te agra­de­ci­do pe­los mo­men­tos vi­vi­dos” ao ser­vi­ço do FC Por­to: “Es­ta ca­sa abriu-me to­das as por­tas e es­ta li­ga­ção aos adep­tos fez-me sen­tir apre­ci­a­do.” Mo­men­tos de nos­tal­gia após um pro­lon­ga­do cal­vá­rio que, con­tu­do, o avan­ça­do re­co­nhe­ceu ain­da não fa­zer par­te da sua me­mó­ria. “Re­gres­sar à com­pe­ti­ção tem si­do uma lu­ta cons­tan­te e de di­fi­cul­da­des, mas a von­ta­de é de nun­ca me ren­der e con­ti­nu­a­rei a tra­ba­lhar no má­xi­mo pa­ra su­pe­rar es­te pe- río­do de so­fri­men­to”, re­fe­riu o Cha Cha Cha, par­ti­lhan­do par­te da in­ti­mi­da­de que te­ve com o pre­si­den­te Pinto da Cos­ta nes­te re­gres­so ao Dra­gão: “Quis dar-lhe um abra­ço e agra­de­cer-lhe tu­do o que fez por mim.”

Fo­co no presente após um jo­go on­de dis­se que “fal­tou es­cla­re­ci­men­to ao Por­ti­mo­nen­se após o em­pa­te do FC Por­to”, pa­ra lo­go de se­gui­da dei­xar em aber­to a pos­si­bi­li­da­de de in­te­grar a es­tru­tu­ra dos dra­gões após ter­mi­nar a car­rei­ra: “Se hou­ves­se es­sa opor­tu­ni­da­de, fi­ca­ria mui­to feliz.” *

MÁ­GI­CO. Co­lom­bi­a­no vol­tou ao Dra­gão e foi des­ta­que

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.