“Sem er­ros de ar­bi­tra­gem a clas­si­fi­ca­ção se­ria di­fe­ren­te”

Téc­ni­co pre­fe­re não se alon­gar em co­men­tá­ri­os, mas con­cor­da que a atu­al clas­si­fi­ca­ção não re­fle­te a jus­ti­ça do cam­pe­o­na­to

Record (Portugal) - - PRIMEIRA PÁGINA - VALTER MAR­QUES

“NUM CLU­BE DES­TA DI­MEN­SÃO SEN­TI­MOS PRES­SÃO DES­DE O PRI­MEI­RO DIA. SÓ PEN­SA­MOS EM GA­NHAR, GA­NHAR” “NIN­GUÉM SAI DE UM ES­TA­DO ME­NOS PO­SI­TI­VO NUM ES­TA­LAR DE DE­DOS. TE­MOS CON­FI­AN­ÇA NO QUE ES­TA­MOS A FA­ZER”

Rui Vi­tó­ria pa­re­ce con­cor­dar com a de­ci­são dos res­pon­sá­veis ben­fi­quis­tas de ex­po­rem à FPF e à Li­ga um con­jun­to de er­ros da ar­bi­tra­gem, pois tam­bém o trei­na­dor va­li­da a ideia de que tais fa­lhas têm ti­do re­fle­xo na clas­si­fi­ca­ção da Li­ga. “Acre­di­to que fos­se di­fe­ren­te, mas tam­bém não me vou pro­nun­ci­ar so­bre is­so nes­ta al­tu­ra. O Ben­fi­ca tem pes­so­as a tra­tar des­ses as­sun­tos e já fez o que ti­nha a fa­zer. Ago­ra não sou eu, o meu fo­co é mes­mo o jo­go. O Ben­fi­ca tem pes­so­as com is­so. Mas acre­di­to que a ta­be­la fos­se di­fe­ren­te”, afir­mou on­tem, em con­fe­rên­cia de im­pren­sa de an­te­vi­são ao jo­go com o V. Se­tú­bal, no qual as águi­as vão pro­cu­rar o ter­cei­ro triun­fo con­se­cu­ti­vo, de­pois da cri­se que ia co­lo­can­do a equi­pa téc­ni­ca de saí­da. Quan­do qu­es­ti­o­na­do se a de­ci­são pou­co con­sen­su­al no uni­ver­so ben­fi­quis­ta de con­ti­nu­ar ao le­me das águi­as faz com que se sin­ta mais pres­si­o­na­do, es­te ne­ga de for­ma ve­e­men­te. E fri­sa que, ape­sar da con­tes­ta­ção, vi­veu es­ses di­as “com mui­ta nor­ma­li­da­de”, pois já apren­deu a “não vi­ver com mui­to es­pan­to”.

“Não sin­to pres­são em fun­ção do que se pas­sou. Mas ao re­pre­sen­tar um clu­be des­ta di­men­são, sen­ti­mos pres­são des­de o pri­mei­ro dia. É um clu­be ga­nha­dor, que quer ga­nhar sem­pre. Só pen­sa­mos em ga­nhar, ga­nhar. Não sin­to pres­são em es­pe­ci­al por­que a nos­sa vi­da é es­sa, ir pa­ra to­dos os jo­gos com uma con­vic­ção mui­to gran­de. Te­mos de acre­di­tar, en­quan­to equi­pa, que va­mos ga­nhar os jo­gos. Ti­ve­mos es­se pe­río­do que foi me­nos bom, mas é as­sim que pen­sa­mos da­qui pa­ra a fren­te”, pers­pe­ti­vou, de for­ma confiante, o trei­na­dor de 48 anos, em­bo­ra re­co­nhe­ça que a cri­se não se po­de dar co­mo es­tan­do to­tal­men­te ul­tra­pas­sa­da: “Nin­guém sai de um es­ta­do me­nos po­si­ti­vo com um es­ta­lar de de­dos. Te­mos con­fi­an­ça no que es­ta­mos a fa­zer e cons­ci­ên­cia da­qui­lo que ain­da te­mos de fa­zer. Não foi por ga­nhar dois jo­gos que mu­dei a minha for­ma de pen­sar”.

Con­fi­an­ça ina­ba­lá­vel

Mes­mo sem re­ve­lar os jo­ga­do­res que irá uti­li­zar es­ta noi­te con­tra o V. Se­tú­bal, no Bon­fim, Rui Vi­tó­ria co­men­tou a as­cen­são de João Fé­lix e o fac­to des­te ter, fren­te ao Pa­ços de Fer­rei­ra, efe­tu­a­do pe­la pri­mei­ra vez 90 mi­nu­tos com­ple­tos na equi­pa prin­ci­pal. O téc­ni­co de­ci­diu pu­xar dos ga­lões e dei­xou uma ga­ran­tia aos adep­tos ben­fi­quis­tas. “O João é um be­lís­si­mo jo­ga­dor, tem um po­ten­ci­al enor­me, e quan­do o cha­mar da­rá res­pos­ta. Es­tá in­se­ri­do num lo­te que tem cin­co jo­ga­do­res in­ter­na­ci­o­nais na­que­la po­si­ção. O João es­tá a evo­luir, tal co­mo o Ged­son, o Al­fa, o Yu­ri [Ri­bei­ro]..., jo­ga­do­res vin­dos da for­ma­ção, e sei que per­cur­so ele tem de cum­prir. Não acer­to em tu­do, mas no pas­sa­do já acer­tei em mui­tas des­sas si­tu­a­ções e aqui vou acer­tar de cer­te­za. Sa­be­mos mui­to bem o que te­mos de fa­zer”, ati­rou.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.