Record (Portugal)

CAPITÃO COM RECRUTAS

- JOÃO SOARES RIBEIRO

Ao quinto jogo realizado na pré-temporada, os leões foram finalmente travados pelo Portimonen­se nos minutos finais, quando as pernas já pesavam toneladas. Na estreia com a braçadeira, Daniel Bragança liderou uma equipa na qual jovens como Joelson e Gonçalo Esteves prometem fazer estragos

ADÁN 3

A prestação do guarda-redes leonino acaba por ser penalizada pelo lance que resulta no último golo do jogo, em que falha na interceção ao cruzamento. Antes já havia mostrado toda a sua qualidade quando impediu Aylton de faturar nos minutos iniciais da partida e, mesmo no primeiro golo dos algarvios, ainda susteve o primeiro remate de Renato Júnior. Durante o jogo ainda foi notória a sua preocupaçã­o em corrigir a posição dos mais novos. Resta assinalar que a sua defesa mais espetacula­r acabou por ser inviabiliz­ada pela marcação de um fora-de-jogo ao ataque do Portimonen­se.

EDUARDO QUARESMA 3

O central foi um dos elementos da equipa leonina em que se notou mais o cansaço na segunda parte. Menos ofensivo que Matheus Reis, o defesa ainda está à procura dos índices físicos que lhe permitam mostrar todo o seu potencial. Foi notória a preocupaçã­o do treinador em motivar o jovem especialme­nte na segunda parte, quando jogou junto aos bancos.

GONÇALO INÁCIO 3

Eleito o patrão da defesa, o jovem central começou muito bem a partida, e até fez o primeiro golo da equipa do Sporting com um ca- beceamento imperial após livre marcado por Joelson no lado esquerdo do ataque leonino. De negativo só há a apontar a falta feita à entrada da área, que resultou no primeiro golo do Portimonen­se.

MATHEUS REIS 3

O defesa é um dos jogadores do Sporting que já se apresenta em melhor forma, e este dado permite-lhe destacar-se no plano defensivo e ofensivo. Duro na marcação aos adversário­s, o brasileiro foi revelando bons movimentos com Esgaio e Joelson que iam baralhando a defesa algarvia. Aliás, sobre o intervalo, até acertou no poste após um lance de entendimen­to com Joelson.

MATHEUS NUNES 3

O médio começou a um nível alto mas foi baixando de rendimento ao longo dos minutos mostrando que ainda não atingiu a forma

ideal. Teve mais liberdade ofensi- va que Daniel Bragança, especial- mente no primeiro tempo, mas não foi tão eficaz. Ainda tentou o seu bom remate à entrada da área já na segunda parte, mas a bola acabou por sair fora do alvo.

JOELSON 4

Tem sido uma das grandes surpresas da pré-temporada do Sporting, e caso mantenha este nível é quase certo que este ano terá mais hipóteses de jogar na equipa principal, o que não acon- teceu na época passada. Com a ir- reverência habitual dos jovens, nunca deixou de cair em cima dos defesas contrários e, mesmo quando perdia o duelo, não virava a cara à luta procurando recuperar de imediato a bola que que lhe havia sido tirada. Ao minuto 27 teve o seu momento alto no jogo, quando na marcação de um livre cruzou milimetric­amente para a cabeça de Gonçalo Inácio que assinou o primeiro golo. Nota-se

que está confiante, e é o homem das bolas paradas, quer seja na marcação de cantos ou livres... e que perigo levam aqueles cruzamento­s tensos às defesas adversária­s.

PAULINHO 3

O ponta-de-lança leonino registou um jogo ingrato em que nunca deixou de lutar, mas não teve uma única ocasião para alvejar com perigo a baliza contrária. Mais uma vez procurou o sucesso coletivo em detrimento da glória pessoal, como ficou provado logo ao minuto 11 quando desmarcou Matheus Nunes que entrava na área em melhor posição. Mesmo evidencian­do claros sinais de cansaço no segundo tempo face ao desgaste que ia causando na defesa contrária, o internacio­nal português ainda fez a assistênci­a para o golo de Daniel Bragança. Este passe acaba por compensar o trabalho de sapa que foi obrigado a realizar ao longo dos 90 minutos

*

 ??  ??

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal