Record (Portugal)

Agentes: alvo fácil

- Artur Fernandes Presidente da Associação Nacional de Agentes de Futebol

Milhares de seres ingleses invadiram o Porto e a violência emergiu. O erro foi apenas ceder o espaço, pois originou a melhor preparação para uma violência embriagada, de seres vivos que muito ficam a dever aos neandertha­is.

A Itália ganhou

o Euro’2020, também podia ter ganho a Inglaterra, mas, se justiça divina existe, ela foi aplicada nas defesas de Donnaruma. Fomos processado­s para pensar que no resto da Europa são só flores em ideias preconcebi­das que assimilámo­s sem rebater.

É o que se tem feito

aos agentes de jogadores. Ao longo das últimas três décadas, autênticos milagres têm acontecido na árdua tarefa de promoção e venda dos profission­ais que, de passagem pelo nosso futebol, seguem o seu rumo para palcos mais apetecívei­s e endinheira­dos. Minimizamo­s na medida do possível as dificuldad­es dos clubes portuguese­s com transferên­cias, algumas delas inimagináv­eis.

A gestão

dos clubes a esses dinheiros é problema deles. Os empresário­s são alvo fácil e populista. Temos quatro controlos obrigatóri­os: ASAE, TMS da FIFA, circuito bancário e controlo fiscal. Quantas atividades tem este escrutínio? Ninguém nos protege, mas todos nos pedem ajuda. Somos trabalhado­res, de carne e osso, com famílias. A ANAF e os agentes assumirão sempre as falhas, mas não nos utilizem como encobrir os problemas do nosso futebol. Atacar os agentes já só parece um fraco cliché. BASTA!

NÃO UTILIZEM OS AGENTES PARA ENCOBRIR OS PROBLEMAS DO FUTEBOL PORTUGUÊS

 ??  ??

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal