BAT­TLE­FI­ELD HAR­DLI­NE

IS­TO ATÉ PO­DIA SER UM FIL­ME!

Revista PCGuia Play - - Primeira Página -

AE­lec­tro­nic Arts de­ci­diu que es­ta­va na ho­ra de fa­zer com os fãs da sé­rie de jo­gos Bat­tle­fi­eld mu­das­sem de ares dos cam­pos de ba­ta­lha mais ou me­nos fu­tu­ris­tas pa­ra as ci­da­des on­de os con­fli­tos po­dem ser tão ou mais vi­o­len­tos. Nes­te no­vo Bat­tle­fi­eld Har­dli­ne, de­sen­vol­vi­do pe­la Vis­ce­ral Games, foi com­bi­na­da a tec­no­lo­gia e a me­câ­ni­ca do ga­me­play com to­da a es­té­ti­ca e re­fe­rên­ci­as vi­su­ais dos fil­mes de ac­ção em que en­tram Bru­ce Wil­lis ou Syl­ves­ter Stal­lo­ne. Se­gun­do os res­pon­sá­veis da Vis­ce­ral Games, Bat­tle­fi­eld Har­dli­ne foi bus­car ins­pi­ra­ção a Lethal We­a­pon ou Bad Boys 2, de Michael Bay. A his­tó­ria des­te jo­go, se qui­ser jo­gar em mo­do sin­gle-player, se­gue a vi­da de um po­lí­cia que se de­ba­te com a cor­rup­ção na es­tru­tu­ra da cor­po­ra­ção, en­quan­to ten­ta de­sac­ti­var um gan­gue de trá­fi­co de dro­ga. Co­mo se po­de ver é um gi­gan­tes­co lu­gar co­mum, mas aju­da a co­lo­car o jo­ga­dor no con­tex­to da ac­ção que se vai de­sen­ro­lar ao lon­go do jo­go. Bat­tle­fi­eld Har­dli­ne é um FPS que usa mui­tos dos pon­tos for­tes de ou­tros tí­tu­los da sé­rie, co­mo por exem­plo os ce­ná­ri­os que são pra­ti­ca­men­te to­dos des­tru­tí­veis e em que é pos­sí­vel des­truir pa­re­des com ti­ros de ca­ça­dei­ra à lá Ma­trix.

Har­dli­ne traz con­si­go al­gu­mas no­vas me­câ­ni­cas de jo­go que não pas­sam ape­nas pe­los ti­ros: há a pos­si­bi­li­da­de de se evi­ta­rem al­guns ini­mi­gos quan­do não é pos­sí­vel eli­mi­ná-los, es­con­den­do-se nas som­bras ou fa­zen­do pou­co ba­ru­lho en­quan­to se mo­vi­men­ta.

Ou­tra no­vi­da­de são os ta­ke­downs que per­mi­tem imo­bi­li­zar um ini­mi­go sem o ma­tar. Mas, se qui­ser ser mes­mo mau­zi­nho, há sem­pre os he­adshots... Ain­da nes­te cam­po, se es­ti­ver a jo­gar em sin­gle­player, há al­guns bugs: por exem­plo mui­tas ve­zes os ban­di­dos ren­dem-se as­sim que mos­tra o cra­chá; ou­tro dos pro­ble­mas acon­te­ce em si­tu­a­ções on­de os ini­mi­gos

não o de­tec­tam, mes­mo que es­te­ja es­con­di­do a pou­cos cen­tí­me­tros - pa­re­ce que vêm mui­to mal ao per­to. O mo­do Ve­te­ran, o mais di­fí­cil, de­mons­tra mui­to bem que nem sem­pre é pos­sí­vel en­trar num sí­tio “à cam­peão” e eli­mi­nar to­dos os ini­mi­gos a ti­ro de me­tra­lha­do­ra. Às ve­zes é pre­fe­rí­vel ma­tá-los de for­ma si­len­ci­o­sa um de ca­da vez ou pren­dê-los. Mas, tal co­mo acon­te­ce em ou­tros Bat­tle­fi­eld, às ve­zes tem mes­mo de eli­mi­nar va­ga após va­ga de ini­mi­gos. Se jo­gar nes­te ní­vel de di­fi­cul­da­de vai avan­çar ra­pi­da­men­te e des­blo­que­ar ar­mas e per­so­na­li­za­ções, mais de­pres­sa. Tam­bém co­mo acon­te­ce nou­tros tí­tu­los de Bat­tle­fi­eld, os veí­cu­los têm um pa­pel fun­da­men­tal em Har­dli­ne com mui­tas per­se­gui­ções e con­fron­tos com he­li­cóp­te­ros e tan­ques. Ape­sar de Bat­tle­fi­eld Har­dli­ne não ter um mundo aber­to co­mo o de GTA, exis­tem mui­tas mis­sões em que há tan­tas hi­pó­te­ses de per­se­gui­ção e fu­ga, que até pa­re­ce que es­ta­mos mes­mo em Los San­tos. Vi­su­al­men­te, Bat­tle­fi­eld Har­dli­ne es­tá mui­to bem: as tex­tu­ras são de pri­mei­ra qua­li­da­de e o ce­ná­rio des­tru­tí­vel es­tá dois ou três pas­sos à fren­te de qual­quer coi­sa que al­gu­ma vez se fez em Bat­tle­fi­eld. Até a ex­ce­len­te ban­da so­no­ra aju­da à fes­ta! No que res­pei­ta ao jo­go mul­ti­player, Bat­tle­fi­eld Har­dli­ne dis­po­ni­bi­li­za cin­co

mo­dos em que du­as equi­pas de de­fron­tam, uma do la­do dos la­drões e ou­tra dos po­lí­ci­as: Res­cue, em que é ne­ces­sá­rio sal­var um re­fém; Cros­shair, em que os po­lí­ci­as têm que pro­te­ger uma pes­soa e os cri­mi­no­sos têm que a aba­ter; Heist, em que uma equi­pa rou­ba um sa­co de di­nhei­ro de um co­fre e a ou­tra tem de im­pe­dir que os la­drões che­guem ao pon­to de ex­trac­ção; e Blo­od Mo­ney, em que du­as equi­pas de cri­mi­no­sos lu­tam pe­la pos­se de uma quan­ti­da­de obs­ce­na de di­nhei­ro. Bat­tle­fi­eld Har­dli­ne é um jo­go mui­to di­ver­ti­do em sin­gle e mul­ti­player. Gra­fi­ca­men­te es­tá mui­to bom e pa­ra quem já jo­gou Bat­tle­fi­eld no pas­sa­do é mui­to sim­ples de apren­der. Uma boa apos­ta pa­ra quem es­tá far­to de an­dar na gu­er­ra tra­di­ci­o­nal.

BAT­TLE­FI­ELD HAR­DLI­NE VAI BUS­CAR MUI­TOS ELE­MEN­TOS DE LETHAL WE­A­PON OU BAD BOYS 2 DE MICHAEL BAY

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.