O re­a­tar de uma re­la­ção

Sábado - - ASEMANA -

As re­la­ções en­tre Por­tu­gal e An­go­la es­fri­a­ram, mas o cli­ma é de re­a­pro­xi­ma­ção. E is­so fi­cou evi­den­te du­ran­te a pri­mei­ra vi­si­ta ofi­ci­al de João Lou­ren­ço ao País. Os re­ca­dos mais du­ros fo­ram pa­ra os “ma­rim­bon­dos” (ou ves­pas, na ver­são por­tu­gue­sa) de An­go­la. Pa­ra os por­tu­gue­ses, hou­ve mais afec­tos, mes­mo com avi­sos de que uma re­la­ção vi­ve de “ges­tos” e tem de ser cul­ti­va­da. Na ima­gem cap­ta­da pe­los fo­tó­gra­fos an­tes do dis­cur­so de João Lou­ren­ço na As­sem­bleia da Re­pú­bli­ca até pa­re­ce que as mais al­tas fi­gu­ras das du­as na­ções es­tão ani­ma­da­men­te a dan­çar o Apita o Com­boio. A ban­da so­no­ra não se­ria des­ca­bi­da: afi­nal, o que se quer é que a re­la­ção vol­te a ro­lar so­bre car­ris e se afas­te a to­da a ve­lo­ci­da­de do “ir­ri­tan­te” pro­vo­ca­do pe­lo ca­so Ma­nu­el Vi­cen­te.

APITA O COM­BOIO...

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.